Alergia cutânea: como evitar e tratar

Pare de coçar e se machucar e saiba como curar dermatites e alergia na pele. 
 

Ninguém quer ser picado por uma abelha. Dói. Mas se você soubesse que o resultado de uma picada de abelha pode provocar edema generalizado, parada cardíaca e até mesmo morte, ficaria horrorizado – e é isso que pode acontecer com pessoas alérgicas a insetos.

Por outro lado, as alergias de pele são mais benignas, embora isso não as torne mais fáceis ou sem importância. Pergunte às milhares de pessoas que usam mangas compridas no verão apenas para esconder as placas escamosas nos braços. Com seu incessante prurido e sua alta visibilidade, as alergias cutâneas podem ser tão frustrantes e debilitantes quanto qualquer outra forma de alergia.
 

Alergias cutâneas X Dermatite alérgica de contato

Ouviu um barulho de coceira? O ruído de unhas na pele? Este é o som das alergias e da asma. É muito comum descobrirmos que um dos primeiros sintomas dessas duas condições não é o espirro, a tosse ou os sibilos, mas uma erupção cutânea denominada dermatite atópica, ou eczema. O nome dermatite atópica define realmente a condição. O termo dermatite significa “inflamação da pele”, e atópica refere-se a uma tendência herdada para desenvolver condições alérgicas. Juntos, significam que sua pele reage quando você come ou inala uma substância à qual seu corpo é alérgico.

Um conceito errôneo comum é o de que uma reação alérgica na pele tem de ser causada por algo que encostou nela. Existe um tipo de eczema, denominado dermatite alérgica de contato, no qual a pele apresenta uma reação sistêmica imunológica ao contato direto com um alérgeno, como certos conservantes presentes em cremes e loções. Mas isso não é verdade para a maioria dos casos de alergia cutânea. A dermatite atópica costuma ser uma reação externa a um fator deflagrador interno, como os alimentos.

Em ambos os casos, as alergias na pele não são potencialmente fatais, mas podem afetar gravemente a qualidade de vida. Na verdade, um estudo revelou que pessoas com eczema relataram qualidade de vida pior que aquelas com cardiopatia ou hipertensão arterial.

Isso faz sentido. Afinal, ninguém precisa saber que você tem hipertensão arterial, e com certeza ninguém consegue dizer isso apenas olhando para você. Mas no caso do eczema ou qualquer outra condição cutânea, sua situação é óbvia. Isso pode causar embaraço, vergonha, timidez e afastamento geral da vida social. As crianças com eczema, por exemplo, geralmente recusam usar shorts ou blusas de manga curta, com medo de que alguém veja sua pele escamosa e avermelhada. Além disso, existe o prurido e a coceira constante, que pode causar vermelhidão, fissuras, exsudação de líquido claro e, por fim,crostas e escamas na pele. A própria doença tende a piorar e a evoluir, ora se agravando (freqüentemente por causa de estresse), ora desaparecendo por completo.

Geralmente, começa antes dos 5 anos e, em alguns casos, pode desaparecer com o tempo; em outros, é uma condição para toda a vida. Não existe um exame único para estabelecer o diagnóstico de dermatite atópica. Mesmo os testes de alergia nem sempre são precisos, porque pessoas com eczema costumam apresentar sensibilidade cutânea a várias substâncias.

Entretanto, as alergias alimentares podem ter uma participação importante nesta condição. Para descobrir se o seu eczema é originado de alergias alimentares, tente eliminar um dos sete alérgenos alimentares mais comuns - um de cada vez, e observe se a sua pele melhora: ovos, leite, amendoim, trigo, nozes, soja e frutos do mar.

Tratamento para Dermatite Atópica

Tradicionalmente, o eczema tem sido tratado com cremes e pomadas contendo corticosteróides, que ajudam a manter a resposta imunológica que o causa sob controle. Mas o uso de esteróides provoca outros problemas, incluindo fragilização da pele, dilatação dos vasos sanguíneos, estrias e infecção.

Nos últimos anos, entretanto, foram lançados dois novos não-esteróides, conhecidos como imunomoduladores tópicos: pomada de tracolimo (Protopic) e creme de pimecrolimo (Elidel). Embora os pesquisadores não saibam exatamente como atuam, acredita-se que eles impedem as células imunológicas de criar as mensagens químicas que levam ao eczema. Os dois fármacos foram aprovados para uso em crianças acima de 2 anos, e também em adultos. Seu principal efeito colateral é o aumento da sensibilidade da pele à luz solar e outras luzes ultravioletas; assim, você deve cobrir a parte do corpo onde o medicamento foi aplicado quando estiver ao ar livre.

Se nenhum dos tratamentos for bem-sucedido, talvez você precise de esteróides sistêmicos para suprimir seu sistema imune e evitar crises. Entretanto, essas drogas são prescritas apenas em casos muito graves e por curto período de tempo. Outros imunossupressores, como metotrexato e ciclosporina, podem ser prescritos, também por curto tempo. O médico também pode recomendar antibióticos – para evitar infecção caso sua pele esteja em mau estado por causa da coceira – associados a um anti-histamínico de primeira geração, a fim de reduzir o prurido à noite e ajudar você a dormir. A fototerapia, ou uso de ondas de luz ultravioleta A e B isoladamente ou combinadas, também é um recurso no tratamento da dermatite atópica. Entretanto, como isso pode aumentar o risco de câncer de pele, o médico precisa monitorar rigorosamente o tratamento. Não tente se automedicar fazendo bronzeamento artificial! Também existem evidências de que a erva-de-são-joão, mais conhecida como tratamento fitoterápico para depressão, pode tratar a dermatite atópica quando utilizada como creme.

Em todo esse contexto, veja o que você pode fazer para diminuir a incidência e a gravidade das crises de alergia cutânea:

  • Trate sua pele com carinho.
    Sobretudo, evite substâncias irritantes que possam agravar a sua condição, como perfumes e corantes dos detergentes, sabonetes e cremes corporais, tecidos ásperos e exposição a substâncias químicas e fumaça.
     
  • Utilize roupas largas e leves.
    Fibras naturais, como algodão, são mais delicadas para a pele. Na verdade, algodão a 100% é o melhor tecido para as pessoas com eczema e dermatites. Lave as roupas novas antes de usá-las, para que fiquem mais macias, e retire etiquetas que possam irritar ainda mais a sua pele. Utilize também cobertores e roupas de cama feitos com 100% de algodão.
     
  • Refresque-se.
    O suor, bem como mudanças súbitas na temperatura, podem agravar a dermatite atópica. Se você estiver no meio de uma crise, fique um dia sem ir à academia ou faça apenas um alongamento leve. Também mantenha a temperatura de sua casa e do escritório fresca.
     
  • Experimente banhos frios para ajudar a melhorar o prurido eliminado pela pele. Evite a água que esteja mais quente que a temperatura ambiente, pois o calor dilata os vasos sanguíneos da pele, resultando em agravamento do prurido. Após o banho, dê tapinhas delicados na pele com uma toalha macia e aplique um creme ou loção sem perfume, para formar uma barreira mais forte entre a pele e as bactérias.
     
  • Não coce sua pele. Se não consegue parar de se coçar, procure manter as mãos ocupadas fazendo tricô ou palavras cruzadas. Além disso, mantenha as unhas curtas para evitar lacerar a pele quando a coçar. Se possível, “coce” com a palma da mão, esfregando a mancha pruriginosa em vez de raspá-la com as unhas.
     
  • Reduza o estresse. Ou, pelo menos, modere a sua reação as situações de estresse. Embora não seja uma causa de dermatite atópica, conforme se acreditava, o estresse definitivamente pode agravá-la.
     
  • Tome iogurte. Se o seu filho tem eczema, tente adicionar probióticos na alimentação dele, com iogurte ou suplementos. Um estudo finlandês constatou que o consumo do probiótico Lactobacillus acidophilus (que é seguro para crianças pequenas) diminuiu pela metade a incidência de eczema, comparado a lactentes que receberam placebo. Adicione também um potinho de iogurte com cultura viva em sua própria dieta diária, desde que você não seja alérgico a laticínios. Embora ainda não tenham sido feitos estudos a respeito, os probióticos podem funcionar em adultos tão bem quanto em crianças.

Veja aqui uma deliciosa receita de salada rapidinha com iorgute.
 

Definição de Eczema

Embora os termos dermatite atópica e eczema sejam praticamente sinônimos, a dermatite atópica é apenas um dos vários tipos de eczema, embora seja o mais comum.

Outras formas são: eczema de contato. Reação localizada que inclui vermelhidão, prurido e sensação de queimação no local onde a pele entrou em contato com uma substância irritante, como ácido, agente de limpeza ou outra substância química. Eczema disidrótico. Irritação da pele nas regiões palmares e plantares, caracterizada por bolhas profundas e claras que coçam e queimam.

Os médicos não sabem ao certo a causa, mas estresse e ingestão de determinados minerais (como níquel, cromo ou cobalto) podem estar entre os fatores da eczema. É mais comum entre jovens. Neurodermatite. Inflamação pruriginosa crônica da camada mais superficial da pele, em geral causada por coçadura crônica. Às vezes o prurido não tem causa aparente, outras vezes uma picada de inseto ou outra substância irritante podem desencadear o ciclo prurido-coçadura. Eczema numular. Placas cuneiformes de pele irritada, que podem ser crostosas, escamosas e extremamente pruriginosas. São mais comuns em braços, costas, nádegas e pernas. O formato cuneiforme das manchas torna este eczema distinto, mas suas causas não são conhecidas.

Eczema seborreico. Placas escamosas, oleosas e amareladas no couro cabeludo, na face e, ocasionalmente, em outras partes do corpo. Sua causa é desconhecida. Dermatite de estase. Pele irritada nas pernas que, em geral, está relacionada a problemas circulatórios, como acúmulo de sangue ou de outros líquidos nas veias da perna.
 

Glossário da Alergia Cutânea

Quem lida com qualquer forma de dermatite pode ouvir palavras complicadas. Este glossário simplificado ajuda a compreender melhor o que o médico diz e o que se pode ler sobre a condição.

  • Prega atópica (prega de Dennie-Morgan).Uma prega extra de pele que se desenvolve sob os olhos e indica tendência para asma e alergias.
  • Queilite. Inflamação da pele dos lábios e na região ao seu redor.
  • Palmas hiperlineares. Pregas cutâneas aumentadas nas palmas das mãos.
  • Pálpebras hiperpigmentadas. Pálpebras que adquiriram coloração escura em razão de inflamação ou rinite alérgica.
  • Ictiose. Escamas retangulares secas na pele.
  • Ceratose pilosa. Pequenas protuberâncias grosseiras, em geral, na face, nos braços e nas coxas.
  • Liquenificação. Pele dura e espessa em virtude de prurido e coceira constante.
  • Pápulas. Protuberâncias que podem se abrir quando coçadas e se tornam crostosas e infectadas.
  • Urticária. Protuberâncias vermelhas que podem ocorrer após exposição a um alérgeno, no início da crise, ou após exercício ou banho quente.

Fonte: Alivio Para Alergias E Asmas

 
Vote it up
322
Gostou deste artigo?Votá-lo até

Postar um comentário

Na Nossa Loja