Leite: consumir com moderação?

Mitos e fatos sobre o leite e seus derivados
 

<p>A imagem do leite é tão pura e tão branca quanto o próprio líquido. Mas, recentemente, pesquisadores americanos começaram a questionar os benefícios do leite. De acordo com o professor Walter Willet, cientista de alimentos da Universidade de Harvard, não se deve pressupor que tomar muito leite evite a fratura e enfraquecimento dos ossos (osteoporose). Ele pesquisou esse fato durante 30 anos e não encontrou correlação entre o consumo de laticínios e ossos fortes. O Dr. Colin Campbell, bioquímico da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, vai além e aconselha quem se preocupa com a saúde dos ossos a não tomar leite. Suas proteínas, segundo ele, criam um ácido que, na verdade, decompõe os ossos.</p> <p>Será que este alimento tão inocente é na verdade um lobo em pele de cordeiro? As campanhas de publicidade para incentivar o seu consumo não passaram de brincadeira de mau gosto?</p> <p>Jaime Danowski, reumatologista do Hospital Albert Sabin, no Rio de Janeiro, mostra-se cético. Presidente da Sociedade de Metabolismo Ósseo e membro do Comitê de Doenças Ósseas da Sociedade Brasileira de Reumatologia, há anos ele estuda o efeito dos laticínios e afirma que a opinião do Dr. Willet é questionável. “Coordenei três pesquisas sobre os efeitos da ingestão de leite, e os resultados indicam que <strong>pessoas que consomem laticínios têm massa óssea maior do que as que não consomem</strong>. Além disso, a comunidade científica em geral concorda que a falta de cálcio causa doenças ósseas, mas existem outros fatores envolvidos, inclusive hereditários.”</p> <p>Danowski também rejeita as afirmativas de Campbell. “Contanto que os rins funcionem normalmente, a carga ácida dos alimentos é compensada pela eliminação elevada de íons positivos de amônio na urina e, nesse caso, não há perda de massa óssea. A teoria de que a alimentação rica em proteínas causa osteoporose está desatualizada e já foi refutada em publicações oficiais”, explica o médico.</p> <p>Historicamente, o <strong>brasileiro consome menos alimentos ricos em cálcio do que o recomendado. </strong>Apesar de ter crescido mais de 10% nos últimos oito anos, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Gado de Leite), o consumo por pessoa no país ainda é abaixo do ideal: o Ministério da Saúde recomenda:</p> <pre><strong> <span style="color: #3366ff;">400 ml/dia de leite para crianças de até 10 anos</span></strong></pre> <pre><span style="color: #3366ff;"><strong>700 ml/dia </strong><strong><strong>de leite</strong></strong> <strong>para jovens de 11 a 19 anos</strong></span></pre> <pre><span style="color: #3366ff;"><strong>600 ml/dia </strong><strong><strong>de leite</strong></strong><strong> para adultos acima de 20 anos. </strong></span></pre> <p>Parte do problema pode estar associado aos hábitos do brasileiro, que chega a consumir 89% e 41% a mais de refrigerantes e cerveja, respectivamente, do que leite.</p> <p></p> <p> </p> <p> </p> <h2><span style="color: #3366ff;"><span style="font-weight: bold;">Leite materno: a importância da amamentação<br /></span></span></h2> <p>Segundo a nutricionista Patrícia Chaves Gentil, técnica da Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, a preocupação atual quanto ao consumo de leite gira em torno de grupos específicos, como crianças, adolescentes, idosos e gestantes. <strong>“Muitos jovens bebem refrigerante demais e negligenciam o consumo de laticínios”</strong>, adverte ela, destacando, entretanto, a importância da moderação. “Deve-se tomar cuidado com exa­geros. Crianças que trocam refeições por um copo de leite com chocolate acabam anêmicas, pois não absorvem a quantidade adequada de ferro, entre outros nutrientes presentes nas refeições balanceadas”, adverte.</p> <p>Além disso, o leite de outras fontes não deve substituir o aleitamento materno, considerado, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), uma das estratégias de maior impacto na redução da mortalidade infantil no mundo. “<strong>O leite materno é completo. Até os 6 meses o bebê não precisa de outro alimento</strong>. Depois, a amamentação po­de até ser complementada, mas o ideal é que continue até 2 anos ou mais”, aconselha Patrícia.</p> <p>Para reforçar a importância da amamentação adequada, a Anvisa aprovou recentemente a Lei nº 11.265, que regulamenta a propaganda de produtos para lactentes, proibindo imagens que levem à interpretação incorreta de que aquele alimento pode substituir a amamentação.</p> <div><br /></div> <p> </p><h2><span style="font-weight: bold;"><span style="color: #3366ff;">Leite engorda?</span><br /></span></h2> <p>Ao discutir os benefícios do leite, também é preciso abordar uma questão importante: não se pode simplesmente consumir um volume ilimitado de laticínios. “É sensato limitar a ingestão da gordura do leite”, diz Patrícia. “Assim como as gorduras sólidas dos animais, o <strong>leite é rico em ácidos graxos saturados, que elevam o nível de colesterol, o que pode resultar em doenças crônicas</strong>”, acrescentou.</p> <p>“Por isso, <strong>recomenda-se o leite desnatado</strong>, com baixo teor de gordura, na idade adulta. E uma alimentação equilibrada, que inclui frutas e legumes, hoje negligenciados por grande parte da população. O leite integral, por outro lado, é a melhor opção para idosos, gestantes e crianças em fase de crescimento.”</p> <p> </p> <p></p> <h2><span style="color: #3366ff;"><span style="font-weight: bold;">Concorrentes do leite <br /></span></span></h2> <p>Pesquisas realizadas pela Embrapa Gado de Leite revelam que a população brasileira consome cerca de 120 litros por habitante/ano, na forma fluida ou de laticínios, longe da média recomendada de 200 litros por habitante/ ano. Uma ironia em um <strong>país que é o sexto maior produtor de leite do mun­do</strong> (21 bilhões de litros em 2001).</p> <p>Apesar do maior consumo de laticínios, muitas pessoas ainda não têm condições financeiras de consumi-los todo dia. E algumas não o fazem por questão de hábito. “Estes alimentos, pela potencialidade da pecuária de leite nacional, deveriam se tornar acessíveis à totalidade da população”, comenta Rosangela Zoccal, pesquisadora da Embrapa Gado de Leite.</p> <p>Rosangela também destaca a concorrência entre o leite, a cerveja e as bebidas gaseificadas, em geral. “Antigamente, usávamos o leite para preparar muitos alimentos caseiros. Hoje, os supermercados oferecem uma variedade de produtos semiprontos, derivados ou não do leite, em embalagens de fácil consumo. <strong>O leite está sofrendo um problema de imagem. As bebidas ‘divertidas’ – e de baixo valor nutricional – acabam fazendo mais sucesso.</strong>”</p> <p>Mesmo assim, queijos e outros derivados são os primeiros a voltar para a mesa do brasileiro quando o poder de compra melhora. “Quanto maior a renda, maior a aquisição desses alimentos no dia-a-dia”, afirma Patrícia.</p> <p> </p> <h3><br /></h3> <h2><span style="color: #3366ff;"><span style="font-weight: bold;">Cálcio em excesso faz mal para a saúde?</span></span></h2> <p>O leite também já foi considerado vilão quando o assunto são as doenças decorrentes do consumo excessivo de cálcio. O motivo da preocupação em demasia? Automedicação.</p> <p>“<strong>Quando falamos de problemas renais causados por excesso de cálcio, a causa em geral é artificial</strong>. Muita gente toma suplementos de cálcio sem necessidade, se automedica porque vê os amigos fazerem o mesmo quando chegam a certa idade”, afirma Jaime Danowski. “Essas pessoas vão sofrer no futuro com depósitos de placas de cálcio nas artérias, o que aumenta o risco de doenças das artérias coronárias. Isso não é causado pelo leite.”</p> <p>E quem se preocupa com a osteoporose e quer preveni-la deve ter a consciência de que uma série de fatores influencia a saúde, e a melhor receita é equilibrar a alimentação. “Quem come de tudo geralmente não precisa de suplementação”, diz o médico.</p> <p>O médico também descarta certas alegações negativas contra os produtos lácteos. “Às vezes ainda ouvimos o velho argumento que o leite é para crianças e, portanto, não serve para seres humanos adultos. Essa é uma opinião míope. O ser humano é onívoro por natureza.”</p> <p>Então a mensagem é continuar bebendo leite? “Acredito que seja sensato consumi-lo diariamente. O leite é um alimento excelente e relativamente barato, e que se encaixa perfeitamente numa alimentação equilibrada”, afirma Danowski.</p> <p> </p><h2><span style="color: #3366ff;"><span style="font-weight: bold;">O leite na escola</span></span></h2> <p>No ano passado, <strong>34,6 milhões de crianças da rede pública do Ensino Fundamental foram atendidas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar </strong>(Pnae), responsável pelo repasse de recursos financeiros no valor de R$ 1,49 bilhão. As refeições oferecidas variam de acordo com a região do país, mas todas são balanceadas – e incluem leite e derivados. Principalmente para as crianças, o leite é uma importante fonte de nutrientes, pois suas gorduras e carboidratos fornecem energia, e as proteínas garantem o crescimento e a estrutura celular. Crianças em desenvolvimento precisam de muito cálcio para formar ossos fortes. O leite também contém várias vitaminas essenciais. A vitamina A promove o crescimento e é importante para a saúde dos olhos; a vitamina B contribui para o metabolismo saudável e assegura que o corpo funcione adequadamente; e a vitamina D ajuda os ossos e os dentes a crescerem. Famílias menos favorecidas também podem contar com o Programa do Leite, desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.</p> <p> </p> <h2><span style="color: #3366ff;">Mitos e Fatos sobre o leite</span><br /></h2> <p></p> <p><span style="font-weight: bold;">Mito</span></p> <p><span style="text-decoration: underline;">Leite engorda</span></p> <p><strong>Laticínios são fonte importante de cálcio e proteínas de alta qualidade que estimulam o metabolismo e o crescimento de músculos e ossos.</strong> Portanto, os laticínios têm efeito fa­vo­rável sobre o peso, principal­mente quando se escolhem produtos desna­tados e com baixo teor de gordura.</p> <p><span style="font-weight: bold;">Fato </span></p> <p><span style="text-decoration: underline;">O leite é uma das fontes alimentares mais antigas da humanidade</span></p> <p>As pessoas tomam leite desde que começaram a criar animais. Quase desde o princípio sabemos que os laticínios são bons para nós, e muitos estudos científicos confirmam isso. Há países em que o povo consome pouquíssimos laticínios e leva uma vida saudável, mas é difícil comparar hábitos alimentares nacionais. Os padrões dietéticos como um todo têm de ser comparados para se obter um quadro melhor.</p> <p></p> <p><span style="font-weight: bold;">Mito</span></p> <p><span style="text-decoration: underline;">O leite integral tem mais cálcio</span></p> <p>Tanto o leite integral quanto o desnatado e o com baixo teor de gordura contêm a mesma quantidade de cálcio. <strong>O leite integral contém mais gordura e mais vitaminas A e D</strong>, que são lipossolúveis. O fato é que o leite integral, o desnatado e o com baixo teor de gordura são as principais fontes naturais de cálcio da alimentação ocidental. Junto de outros laticínios, eles fornecem cerca de dois terços do volume de cálcio recomendado e necessário para o crescimento dos ossos em crianças e adolescentes e para a boa saúde óssea em adultos e idosos.</p> <p></p> <p><span style="font-weight: bold;">Fato</span></p> <p><span style="text-decoration: underline;">A alergia ao leite de vaca é uma realidade no Brasil</span></p> <p>Cerca de 25% da população sofre de intolerância digestiva ao leite. Às vezes, crianças alérgicas ao leite de vaca podem ser alérgicas também ao leite de outras fontes animais, assim como aos produtos à base de soja.</p> <p> </p> <p style="text-align: center;"><a href="../selecoesevoce/saude/1401/Intolerancia-a-lactose-e-alergia-ao-leite-entenda-a-diferenca.html" target="_blank"><span class="titulo_artigo">Intolerância a lactose e alergia ao leite: entenda a diferença</span></a></p> <p> </p> <p>Aproveite para aumentar o seu consumo de leite com estas <a href="../revista/3561/Nosso-doce-de-leite.html" target="_blank">deliciosas receitas de doce de leite caseiro</a>.</p> <p> </p> <p></p> <p></p> <p><strong><span style="color: #808080;">Adaptado de artigo de Door Wim Glas</span></strong></p> <div><br /></div>

Vote it up
577
Gostou deste artigo?OBRIGADO
 

 

 

Na Nossa Loja