10 dicas para evitar a trombose venosa nas viagens aéreas – Seleções Brasil
fechar

Assine a nossa newsletter, e receba o melhor conteúdo da web onde você estiver.

fechar busca

Saúde

10 dicas para evitar a trombose venosa nas viagens aéreas


Imagem: AlxeyPnferov/iStock

Embora tenhamos conhecimento sobre trombose venosa profunda (TVP), relacionada a viagens de avião, pesquisas continuam intensas sobre a doença. Conhecida como flebite ou tromboflebite, trata-se de uma ameaça em potencial à vida, pois um coágulo se forma em uma veia profunda durante um voo. Mas há medidas práticas que você pode tomar para se proteger.

A TVP relacionada a viagens de avião foi relatada pela primeira vez em 1954 quando um cirurgião americano John Homas diagnosticou a doença em um homem que havia voado por 14 horas. De fato, um estudo de 1940, que relatou o aumento em seis vezes da morte súbita associada à TVP, já havia revelado sua causa básica ­­— imobilidade prolongada. Mais recentemente, a suposta trombose eletrônica tem sido diagnosticada tem sido diagnosticada em pessoas sentadas em frente ao computador por no mínimo 12 horas. A TPV ameaça a vide se o trombo, ou coágulo, for desalojado porque pode viajar rumo aos pulmões e bloquear — de forma potencial e fatal — o suprimento de oxigênio. Isso é conhecido como embolia pulmonar (EP).

A doença repercutiu nas mídias em 2000, depois de uma britânica de 28 anos morrer de EP após um voo de Sidney para Londres. Em 2001, a OMS estabeleceu a Pesquisa sobre os perigos globais das viagens (Projeto WRIGHT, em inglês). A Fase 1 dos estudos, publicada em 2007, descobriu que:
– Viagens aéreas de mais de quatro horas duplica o risco de TVP/EP.
– Outros fatores de risco: obesidade, uso de contraceptivo oral, ser baixo ou alto demais, além de anormalidades sanguíneas relativas à coagulação.

Estudos estabelecem que gravidez, idade avançada, cirurgia e AVC recentes, insuficiência cardíaca e uso da terapia de reposição hormonal também aumentam o risco.  De modo surpreendente, atletas de resistência podem ser suscetíveis. Sua capacidade física lhes confere uma frequência cardíaca de repouso baixa que, quando combinada a inatividade, decorrente de viagem ou lesão, aumenta a probabilidade da formação de coágulo. Embora não exista evidência clara, sobre a incidência clara sobre a incidência de TVP entre quem viaja de avião com frequência, em especial a tripulação de voo, os comissários de bordo tendem a permanecer ativos enquanto a aeronave está no ar, minimizando os riscos. E os pilotos se submetem a check-ups médicos frequentes que identificam a predisposição a problemas de saúde, o que tende a oferecer um grau de proteção extra. Para pessoas saudáveis vale lembrar que a incidência geral de TVP/EP e, na verdade, bem baixa, de apenas um caso em seis mil voos de quatro horas ou mais.

Controle seu voo

Vale a pena considerar onde você irá sentar-se e o que irá fazer durante um voo. Se possível, escolha a poltrona do corredor para facilitar o deslocamento. Um estudo alemão de mais de 11 mil pessoas em voos com duração acima de quatro horas descobriu que os passageiros das poltronas da janela duplicaram o risco de TVP, principalmente se estavam acima do peso. Aqueles que dormiram aumentaram em 1,5 vez o risco. Descobriu-se ainda que passageiros ansiosos apresentavam o risco 2,5 vezes maior. Os especialistas sugerem as seguintes medidas:

1. Consulte o médico antes de um voo mais longo, se você apresentar qualquer um dos fatores de risco descritos anteriormente.

2. Use uma roupa folgada, e confortável.

3. Compre meias próprias para viajar de avião, ou meias de compressão para usar no voo. Mais apenas meias ¾ de compressão classe um, que exercem pressão suave ao redor dos tornozelos para estimula a circulação sanguínea. É vital que as meias avaliadas e usadas de forma correta, pois as inadequadas podem aumentar o risco de TVP. Peça ajuda ao seu médico.

4. Escolha a poltrona ideal. Você ficará mais propenso a se movimentar caso se sente perto do corredor. Opte por uma poltrona na primeira fila, na frente, onde há mais espaço.

5. Guarde a bagagem no compartimento acima da poltrona de modo a não restringir a sua capacidade de mexer as pernas.

6. Cuidado com bebidas. Se quiser tirar proveito das bebidas alcoólicas, não consuma mais do que uma. Beba bastante água. Não há provas de que a água proteja contra a TVP. Mas, com certeza, ajuda a prevenir a desidratação, que pode sérum fator de risco.

7. Evite dormir e as pílulas para dormir durante um voo. Um dos principais fatores de risco para a TVP é a imobilidade. E, se você dormir durante o voo, a tendência é ficar imóvel por completo. Ao dormir na cama, é natural que você se mexa, o que mantém o sangue circulando. Em um avião, você está sentado, em uma posição de dormir não natural, e o movimento das pernas é restrito. Se precisar dormir, faça isso por um curto período, não mais de 30 minutos — acione um despertador para ter certeza de acordar e fazer exercícios para prevenir a TVP.

8. Caminhe pelos corredores, toda vez que puder.

9. Faça exercícios a cada meia hora. Levante os calcanhares, mantendo os dedos dos pés no chão, e volte a abaixá-los. Faça isso dez vezes. Depois, levante e abaixe e abaixe os dedos dos pés dez vezes.

10. Mantenha a calma se tiver medo de voar. Fazer alguns exercícios respiratórios irá ajudá-lo. Você também, pode colocar um pouco de óleo de lavanda em um lenço para inalar durante o voo.

Leia mais:


ATENDIMENTO ONLINE

Tire suas dúvidas online

Iniciar Chat