Dieta Pobre em Carboidratos: prós e contras de cortar os carboidratos da alimentação

Será que cortar os carboidratos da alimentação funciona? Quais são vantagens e desvantagens?
 

As dietas pobres em carboidratos são muito populares. Você deve conhecer alguém que já testou alguma das inúmeras opções dessa dieta que reduz a quantidade de carboidratos: Dr. Atkins, South Beach, Poder da proteína. Mas a pergunta que fazemos é: ela realmente funciona? Quais são, a longo prazo, as consequências dessas dietas pobres em carboidratos para a saúde?

Como as dietas pobre em carboidratos funcionam

A premissa por trás das dietas pobres em carboidratos é que alimentos com carboidrato estimulam a produção de insulina, o hormônio responsável pelo transporte da glicose até as células, onde é usada como energia. O excesso de glicose é armazenado sob forma de gordura. Substituir alimentos ricos em carboidratos por alimentos ricos em proteína, que não causam o mesmo aumento dos níveis de insulina, promove o uso da gordura armazenada como energia, resultando na perda de peso.

Prós da dieta pobre em carboidratos

Há provas de que durante os primeiros seis meses, dietas pobres em carboidratos podem resultar em emagrecimento mais rápido do que as dietas convencionais de baixa caloria e de baixa gordura. Estudos demonstram que durante esse período, as pessoas que adotaram o programa de baixo carboidrato perderam duas vezes mais peso do que os que seguiam dietas comuns.

Quando comparadas às dietas comuns, as pobres em carboidratos, a curto prazo, podem trazer mais benefícios tanto nos níveis de colesterol HDL (o bom colesterol) quanto nos de triglicerídeos. Ambos os fatores são importantes para a saúde cardiovascular. Em um estudo conduzido durante seis meses, participantes de uma dieta pobre em carboidratos viram o colesterol LDL cair até 10 pontos e o HDL subir 10 pontos. Os que seguiam uma dieta de baixa gordura mostraram uma redução do total de colesterol semelhante, mas parte da perda resultou de uma queda do colesterol HDL.

Contras da dieta pobre em carboidratos

O efeito inicial de emagrecimento com as dietas pobres em carboidratos é diminuído ao longo do tempo. Em até 12 meses, não existem diferenças significativas na perda de peso por meio de uma dieta pobre em carboidratos comparada ao programa convencional com restrição de calorias e de gordura.

Muitas das dietas mais rigorosas pobres em carboidratos provocam a cetose, que é o acúmulo de cetonas no sangue. Cetona é um produto resultante do metabolismo da gordura. A cetose não é um estado normal do corpo e pode resultar em náusea, desidratação, tontura, fadiga e mau hálito. Os efeitos a longo prazo da cetose crônica na saúde ainda são desconhecidos.

Como as dietas pobres em carboidratos são em geral pobres em fibra e ricas em gordura, um efeito colateral comum é uma prisão de ventre indesejável.

Conclusão: eliminar o carboidrato da dieta reduz a energia do corpo

Não existem evidências convincentes da eficácia a longo prazo das dietas pobres em carboidratos. No entanto, em períodos mais longos, essas dietas perdem a vantagem, se comparadas aos programas de dieta de baixa caloria e de baixa gordura.

Quaisquer que sejam suas metas de perda de peso, lembre-se de que a saúde também é uma meta importante. Centenas de estudos mostram que uma alimentação repleta de frutas, verduras, legumes, cereais integrais e proteína magra está intimamente ligada à queda de incidência de doenças. Os carboidratos têm uma função muito importante no organismo humano: gerar energia. Sem a ingestão de carboidratos nos sentimos mais indispostos e sem energia.

 

Fonte: Alimentos Saudáveis, Alimentos Perigosos

Vote it up
158
Gostou deste artigo?Votá-lo até

Postar um comentário

Na Nossa Loja