Faça uma busca

Esse site usa cookies para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com nossa Política de Privacidade

|
Publicado em: 27 de março de 2022

6 mitos mais comuns sobre a economia de energia

Douglas Ferreira
Última atualização: 25 de março de 2022
Por: Douglas Ferreira

Economizar energia faz bem para o bolso do consumidor e para o meio ambiente. Mas será que estamos fazendo do jeito certo?

Imagem: Milkos/iStock

A economia de energia sempre apresenta dois benefícios. A primeira para o consumidor que tem uma boa redução em seus gastos. Já a segunda para o meio ambiente, pois a redução do consumo possibilita o aumento do estoque de energia no país, evitando o uso de energia proveniente das usinas térmicas que aumentam a poluição do ar.

Mas mesmo sabendo que é importante a economia de energia, às vezes acabamos acreditando em alguns mitos que acabam não ajudando muito a economizar. Por esta razão, esclarecemos alguns desses mitos muito comuns nos quais acreditamos.

Confira 6 mitos comuns sobre economia de energia

Mito 1: Aparelhos como TVs e notebooks não gastam energia quando ligados na tomada sem ser usados

Falso: Alguns aparelhos elétricos gastam energia mesmo quando não estão em uso. Esse “poder de vampiro” desperdiça energia, e o melhor modo de evitar isso é tirar o aparelho da tomada. Quem desliga os aparelhos da tomada em vez de deixá-los em modo stand by pode economizar cerca de 170 reais por ano, em média.

Mito 2: Os painéis solares não geram energia elétrica em dias nublados

Falso: Embora sejam mais eficazes sob sol forte, os painéis solares continuam a captar a energia da luz difusa, mesmo em dias nublados. Os meses de verão são mais produtivos porque há mais horas de luz do que no inverno. Saiba mais sobre projetos de energia sustentável no Brasil!

Mito 3: No desktop, os protetores de tela poupam energia

Falso: Como o monitor continua ligado, o protetor de tela é só mais um programa consumindo energia como qualquer outro. Embora os computadores tenham configurações de suspensão e desligamento que poupam energia, desligar o monitor ou mesmo o computador durante as pausas é o modo mais eficaz de evitar o desperdício.

Mito 4: Deixar o ar-condicionado ligado direto gasta mais energia do que ligar e desligar quando necessário

Falso: Quando você liga e desliga o ar-condicionado muitas vezes, o consumo de energia aumenta. Nos modelos mais modernos, com a tecnologia “inverter”, ao atingir a temperatura desejada o compressor diminui a velocidade de rotação, mas não desliga totalmente, mantendo a temperatura desejada e poupando energia.

Mito 5: Motores menores de carro sempre gastam menos combustível

Falso: Um carro grande equipado com um motor 2.0 pode gastar menos do que o mesmo carro com um motor 1.6, porque o motor maior se esforça menos para deslocar o mesmo peso. Em um teste realizado no Reino Unido, uma minivan com motor pequeno teve uma eficiência muito menor no uso do combustível do que outra com motor maior.

Mito 6: O chuveiro é o aparelho que gasta mais energia em uma casa durante o mês

Depende:  O consumo vai depender do uso que você faz do chuveiro. Em geral, excetuando-se o ar-condicionado, o chuveiro é sim o aparelho que consome mais energia em tempo real, isto é: durante o tempo em que está ligado. Por esta razão é bom evitar ficar com o chuveiro ligado por muito tempo. Mas em alguns casos o aparelho que pode gastar mais energia – a longo prazo – é a geladeira. Isto ocorre pois algumas geladeiras mais antigas ou com problemas para vedar a porta, podem aumentar o consumo de energia e até mesmo ultrapassar o gasto do chuveiro.

Agora que você já sabe alguns mitos sobre economia de energia, conheça 10 maneiras de economizar energia dentro de casa!

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados