Faça uma busca
|
Publicado em: 8 de junho de 2021

Diet e light: qual é a diferença entre esses produtos?

Confira algumas informações sobre essas categorias de produtos.

Imagem: ffeekai/iStock

É fácil um consumidor se sentir perdido no corredor do supermercado em que ficam os produtos diet e light. Você encontra os mais diversos alimentos – de gelatinas e doces a salgadinhos e até ketchup. Mas o que eles significam?

Leia também: 13 alimentos ricos em sódio que você deve evitar

Em minha jornada como coordenadora do Centro de Competência de Alimentação e Saúde da PROTESTE, busco sempre entender e esclarecer as principais dúvidas do consumidor brasileiro sobre alimentação. Além da realização de nossos testes de qualidade, atuo também na divulgação de informações que possam desvendar certos mitos sobre esse tema tão importante 

Uma de muitas desinformações com as quais me deparo frequentemente está relacionada aos alimentos diet e light e o que eles significam. Existe uma ideia entre os consumidores de que produtos diet, por exemplo, são necessariamente aqueles que não têm açúcar. Isso não é verdade.

Na coluna Pró-Saúde de hoje, vou desmistificar algumas concepções equivocadas que circulam sobre essas categorias de produtos. Leia os tópicos a seguir para entender.

Quais as diferenças entre alimentos diet e light?

alimentos funcionais
Imagem: Aet/iStock

Primeiramente, é essencial que você entenda que produtos diet e light não são iguais. Da mesma forma, um alimento diet, por exemplo, pode ter características diferentes de outros com a mesma denominação.

Mas o que exatamente significam essas indicações?

O que é um produto diet?

O termo diet não se aplica apenas aos alimentos isentos de açúcar. Aplica-se também aos alimentos isentos de um ou mais dos componentes a seguir:

  • gorduras;
  • proteínas;
  • sódio;
  • ou qualquer outro ingrediente.

O produto que recebe essa denominação passa por modificações para se adequar a certa restrição de nutrientes. Ou seja, eles são alternativas aos seus produtos originais que podem ser consumidas por pessoas com algum tipo de restrição alimentar.

Essa restrição está relacionada geralmente a necessidades metabólicas ou fisiológicas, como no caso dos diabéticos, que precisam controlar a taxa de açúcar no sangue.

Porém, da mesma forma que esses indivíduos podem procurar por produtos diet isentos de açúcar (que é um carboidrato), por exemplo, pessoas que possuem níveis elevados de colesterol ruim ou problemas de vesícula encontram alimentos diet sem gordura ideais para seu consumo.

Produtos diet isentos de sódio também estão disponíveis no mercado, essenciais para quem sofre de hipertensão arterial ou simplesmente deseja diminuir a quantidade de sódio ingerida diariamente. Recentemente, inclusive, produzimos na PROTESTE um estudo dos rótulos de diversos alimentos com sódio disponíveis no mercado, se quiser conferir.

Essas duas últimas versões podem ser encontradas contendo ou não açúcar em sua composição. É fundamental que você entenda que o açúcar pode ser o componente ausente em um alimento diet, mas não é a regra.

O que é um produto light?

O termo light vem da palavra em inglês correspondente a “leve”, e saber isso já ajuda você a compreender o que significam os produtos chamados de light.

Isso porque, para um alimento ser considerado light, ele deve obrigatoriamente apresentar uma redução de, pelo menos, 25% de algum nutriente ou ingrediente quando comparado à sua versão original. Assim como acontece com os produtos diet, essa redução pode se apresentar em diversas formas: quanto ao teor calórico, à quantidade de açúcares, colesterol, gorduras totais ou insaturadas, etc.

Mais de um componente pode estar reduzido, inclusive. Você pode encontrar marcas de requeijão light, por exemplo, que apresentem tanto o teor calórico quanto o de gorduras totais menores do que no produto convencional.

É por isso que, antes de comprar o primeiro item que achar pela frente, é de fundamental importância que leia o rótulo para identificar se o alimento corresponde às suas necessidades.

Produtos diet e light são menos calóricos?

Outra suposição que acompanha os demais mitos relacionados aos produtos diet e light envolve o teor calórico desses alimentos. Diferentemente do que muitos acreditam, eles não são necessariamente reduzidos em calorias.

Pelo contrário, é comum encontrar produtos cuja versão diet seja mais calórica do que a convencional. Segundo a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO), por exemplo, a média de calorias de 100g de um chocolate ao leite dietético (sem açúcar) é de 557kcal, enquanto a versão comum encontrada nas lojas tem cerca de 540 kcal.

Isso acontece porque o fabricante normalmente acrescenta gordura (substância rica em calorias) à fórmula do chocolate para torná-lo mais saboroso e garantir sua consistência, na falta do açúcar. Ou seja, se por um lado ele é bom para diabéticos, por outro pode não ser recomendado para quem pretende perder peso.

Já um alimento light só terá um menor teor calórico se este elemento tiver sido alvo de redução em sua composição. Um produto light em sódio não terá necessariamente menos calorias.

Observe os rótulos

economia sustentavel
Imagem: iStock

Se tem algo que sempre destaco nesta coluna é a importância de se atentar aos rótulos dos alimentos. Este dispositivo foi criado com o objetivo de auxiliar consumidores a tomarem decisões mais conscientes na hora da compra.

Ler o rótulo é exercer seu direito como consumidor e promover um consumo mais alinhado às suas necessidades e desejos. Quanto aos produtos diet e light, isso não é diferente.

Ao procurar por um alimento diet em uma substância específica, observe se ela está na lista de ingredientes. Caso você esteja em busca de um produto diet em açúcar, deve identificar expressões como “zero açúcar”, “não contém açúcar”, “livre de açúcar” ou “sem adição de açúcar”, na embalagem.

Se não encontrá-las, cheque a lista de ingredientes. Vale lembrar que o açúcar pode também ser encontrado nas seguintes formas:

  • sacarose; 
  • glicose ou dextrose;
  • açúcar demerara;
  • açúcar mascavo;
  • açúcar invertido.

Já os produtos light podem ser acompanhados de expressões como “reduzido”, “menos” ou “baixo” em seus rótulos, seguidas obrigatoriamente pela identificação da porcentagem de redução e do componente reduzido.

Uma conhecida marca de achocolatado em pó, por exemplo, traz estampada a frase “LIGHT – 27% Menos Calorias”. Já uma marca de manteiga, disponível no mercado, exibe em seu rótulo: “Light – Reduzido em: 50% de gordura / 43% de calorias”.

Se você conseguiu compreender as diferenças entre os produtos diet e light e como identificá-los, está na hora de colocar esse conhecimento em prática. Da próxima vez que for ao supermercado, não se esqueça de exercer seu direito como consumidor e conferir o rótulo ao fazer suas escolhas.

Para continuar se atualizando com dicas como as que eu dei aqui, acesse o portal MinhaSaúde da PROTESTE. Lá, você tem acesso a artigos exclusivos com informações sobre nossos testes de qualidade e outras orientações sobre alimentação. Que tal descobrir qual a manteiga ideal para ter em casa? Ou desvendar as fraudes mais comuns em azeites?


Pryscilla Casagrande
Pryscilla Casagrande
Mestre em Alimentos e Nutrição pela UFRJ, graduada em Engenharia de Alimentos pela UFRRJ, pós-graduada MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas e especialista em Chocolates e Açúcares pelo Central College of the German Confectionery Industry (ZDS) em Solingen, Alemanha. Atualmente é Coordenadora do Centro de Competência de Alimentação e Saúde da PROTESTE – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados