Faça uma busca
Colunistas

Manda nudes… Da alma!

Quando o nude corporal do outro fica sem graça,o nude da alma chega como um bote salva-vidas.

Escrito por:

Marina Estevão

Redator
stevanovicigor/iStock
Publicado em: Última atualização:

Manda nudes… Da alma!

Nudes do corpo já é ultrapassado.

Todo mundo já sabe o que é um seio.

Mas a gente quer saber o que tem através dele.

Hoje em dia a gente quer saber de saúde mental.

Paz de espírito.

Um carinho, um afago.

Uma mensagem de saudade.

— Tô pensando em você.

Sem achar que isso é melodramático, piegas, brega.

Até porque gostar é meio tudo isso mesmo, não é?

Então vamos assumir!

Manda nudes da alma.

Sem medo de se despir.

Fala do que você tem medo.

Sem medo de ser julgado.

Seja você!

Diz que o seu sabor preferido de sorvete é tamarindo.

Que você gosta de colorir mandalas no tempo livre.

Nudes da alma não podem ser ajustados no Photoshop.

Eles são como são.

Se apresentam como vieram ao mundo.

Nude da alma é também se importar com os nudes do outro.

Como o outro se sente?

O que o outro pensa?

Se preocupar com o outro é uma das formas mais bonitas de ficar nu.

Nudes de alma é falar que tem borboletas no estômago.

E demonstrar.

— Tô ansiosa pra te ver.

A nudez da alma transcende.

Ultrapassa desejos momentâneos.

E é o que resta quando estes já se foram.

Esse tipo de nudez fica pra vida toda.

Quando o nude corporal do outro fica sem graça,

o nude da alma chega como um bote salva-vidas.

A paz, a serenidade, a paciência.

O abraço sem necessidade de palavras.

Conversas intermináveis no meio da madrugada.

Olhares de compaixão.

Pés entrelaçados debaixo do lençol.

Vamos trocar nudes de alma?