Maria Eduarda de Carvalho, no ar na trama “Éramos Seis”, dando vida à Olga, bateu um papo com a coluna. Dona de um corpão, contou que é fã, de verdade, de dar boas corridas.

“Tenho isso ao meu favor. Adoro! Prefiro fazer o exercício ao ar livre. Mas pode ser correr na praia, na Lagoa (Rodrigo de Freitas), na rua e até na academia, mas preciso me mexer, correr”, entrega.

Avessa um pouco a ir à academia, a atriz diz que conta com a ajuda de um professor particular para a incentivar.

“Sem ele eu não iria, mesmo, para a academia, algo que tenho horror! Ele me incentiva a fazer a musculação, algo importante por conta da saúde. Preciso fortalecer o joelho, a coluna (a lombar), o pescoço. E a musculação é muito excelente para isso, para eu continuar com a minha forma muscular perfeita”.

Leia também: 20 melhores alimentos para praticantes de caminhada

Dona de um cabelo ruivo, que é a sua marca registrada, Maria Eduarda conta que já teve que descolorir os fios para poder pintar o cabelo. “

“Para esta novela, eu estou com a minha cor natural. Só retirei o megahair. A minha cor de cabelo é essa, ruivo natural, não é tintura. O difícil já foi ter que descolorir e pintar de preto por conta de um trabalho. Deu uma pena, mas voltou ao normal”, fala.

Mãe de Luiza, de nove anos, fruto do casamento com o cineasta Snir Wine, Maria Eduarda conta que tem uma grande companheira dentro de casa.

“Ela é um barato, uma grande amiga que tenho dentro de casa. Questionadora, vive me perguntando as coisas. É muito autêntica, cheia de personalidade”, diz.

Anos 20

No ar dando vida à Olga, uma mulher mandona e divertida, a atriz se diz encantada com o figurino da personagem. Apaixonada pela década, ela conta que ama as saias de cintura baixa usadas na trama.

“Nossa, o figurino dela é lindo! Eu fico encantada porque as personagens desse núcleo são mulheres simples, mas com esse figurino bonito. Amo esses vestidos de cintura baixa que a Olga usa em cena. Sinto-me feliz em poder contar histórias dos anos 20”, fala.

Para dar vida à personagem, que ela assistiu na versão feita pelo SBT, pela atriz Denise Fraga, de quem é fã, Maria Eduarda conta que não enfrentou grandes desafios interpretar Olga.

“O texto já chega pronto, é uma maravilha. E a Olga é bem construída, não preciso fazer muita coisa. A novela é linda, afetiva, tem uma humanidade que encanta. Talvez o meu maior desafio foi o de me colocar no lugar dessas mulheres da época, que não tinham liberdade de escolher os próprios caminhos. Às vezes, eu fico até tocada por conta das poucas perspectivas das mulheres da época, que tinham pouca oportunidade de lutar”, finaliza.

Márcio Gomes
Márcio Gomes
O carioca Márcio Gomes é apaixonado pelo jornalismo, tanto que o escolheu como profissão. Passou por diversas redações, já foi correspondente estrangeiro dos títulos da Editora Impala de Portugal, e editor na revista deBORDO. Escreveu para várias publicações como Capricho, Manchete,Desfile, Todateen, Seleções, Agência Estado/Estadão e outros. Márcio é “assim ó” com as celebridades, e agora toda semana convida uma delas para contar seus segredos de saúde e beleza – aqueles que nós, pobres mortais, também podemos adotar.