Faça uma busca
|
Publicado em: 13 de outubro de 2019

Quem aí tá comigo nessa procafeinação?

Depois de uma breve consideração, a gente empurra pro lado, enfia numa pilha e esconde mais uma vez.

Imagem: efetova/iStock

Sabe aquela ideia de procrastinar? Você deve conhecer esse sentimento porque nas nossas vidas tem sempre algumas coisas que se arrastam. Algumas coisas que por motivo desconhecido a gente olha e tem o impulso de adiar… pra resolver sabe Deus quando. A gente empurra pra frente, pro lado, pra baixo do tapete, pra algum lugar seguro onde aquilo possa, de preferência, ser esquecido.

Mas é claro que tudo é cíclico e a coisa vai voltar. Vai nos encarar de frente de novo, precisando ser resolvida. Só que depois de uma breve consideração, a gente empurra pro lado, enfia numa pilha e esconde mais uma vez.

Nunca é muito claro para o procrastinador porque escolheu aquela determinada coisa pra não ser feita.

São várias emoções e nenhuma delas é muito consciente. Medo, preguiça, aversão, falta de conhecimento, certeza que vai errar, ou simplesmente porque aquela coisa faz parte das que a gente odeia fazer. Ou seja, tem um monte de razões, mas todas imediatamente se transformam numa nebulosa indecifrável.

Somos todos falíveis, porém detestamos falhar.

E o ego insidiosamente sussurra no nosso ouvido: Você vai falhar.

A melhor escolha naquele instante é bem óbvia. Sua resposta mental insconsciente é: Eu não vou falhar, porque eu não vou fazer.

O instinto de sobrevivência emergencialmente resolveu nos afastar de todo e qualquer perigo. Tem solução melhor?

Não fazendo, você jamais será testado, julgado, criticado, nem por você mesmo. É sem dúvida a melhor opção.

Vou dar uma descansada aqui e depois cuido disso, vou dar uma distraída e dar uma olhada (durante horas) nas redes sociais e depois eu vejo isso. Precisa ser agora? Ah, agora me deu um cansaço só de pensar.

E bora adiar que nada é pra já.

Cada um de nós tem seu jeito de lidar com o acúmulo.

Tem gente que consegue não ligar a mínima. E se tudo desmoronar que se dane, vou é tomar uma cerveja. Tem gente que fica andando com uma nuvem escura em cima da cabeça e se culpando por não fazer o que precisa. E tem gente que se esforça e promete tudo pra segunda-feira. Mas procrastinar com certeza faz a gente arrastar correntes, carregar pesos, mesmo que não aparentes. Faz a gente se frustrar quando as coisas não acontecem e não pintam resultados. Faz a gente se cobrar do que não fez, mesmo que a gente esqueça o que tinha pra fazer.

Uma boa sugestão pra isso é não se importar de errar e aprender a achar graça naquilo que não dá certo. Porque mesmo os erros sempre podem nos levar para caminhos inesperados e interessantes.

Quando a gente faz e tira da frente, movimenta energias e coisas novas sempre aparecem. E fica aquela satisfação quentinha de quem conseguiu concluir uma tarefa.

Ufa! Eu sei que ainda tem um monte de tarefas me esperando e vou dar uma sugestão.

E se a gente mudasse o verbo?

Se, em vez de procrastinar, a gente resolvesse procafeinar?

Vamos inventar uma palavra e aplicar nas nossas vidas.

Procafeinar: adiar brevemente alguma coisa pra tomar um café antes. Que tal a ideia?

Vou procafeinar um pouco e depois continuo.

Quem tá comigo?

@brunalombardioficial

redefelicidade.com

Bruna Lombardi
Bruna Lombardi
Atriz, poeta, escritora, apresentadora, roteirista, produtora, palestrante e ativista ambiental. Publicou 10 livros e é referência no tema “Felicidade”. Criou a Rede Felicidade, uma plataforma digital que compartilha experiências que inspiram e motivam as pessoas a viver mais felizes e realizadas.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close