Faça uma busca
Sob os holofotes

Vannessa Gerbelli fala sobre sua carreira no teatro e na TV

Aos 48 anos, a atriz possui uma trajetória de sucesso nos palcos e na telinha

Escrito por:

Márcio Gomes

Redator
Vannessa Gerbelli
Vinicius Mochizuki
Publicado em: Última atualização:

Com uma alimentação equilibrada no dia a dia, Vannessa Gerbelli tem hábitos saudáveis à mesa. Nada de excessos! E quando precisa perder alguns quilos, ela sabe que o corpo responde ao cortar o consumo de alguns alimentos. “Quando preciso perder peso, reduzo o consumo dos carboidratos, das gorduras e dos doces”, conta.

Table Of Contents[ Hide ]

Leia também: Sílvia Pfeifer fala da paixão pela arte da confeitaria

Aos 48 anos, linda e com uma trajetória de sucesso na carreira, Vannessa, que é mãe de Tito Coimbra, mantém o corpo em equilíbrio com a prática da ioga. “Ela me traz benefícios para o físico e a mente. E ainda faço alongamentos para relaxar a musculatura”, diz. 

De volta aos palcos com a recente estreia de “Copacabana Palace, o Musical” – que marcou a reabertura do teatro do icônico hotel que estava fechado há 27 anos –, Vannessa Gerbelli vive Maria Isabel Guinle, a Mariazinha (que também é interpretada por Suely Franco), casada com Octávio Guinle (Cláudio Lins), empresário responsável pela idealização do hotel. 

Vannessa em “O Cravo e a Rosa”

Além do teatro, a atriz também pode ser vista na reprise de “O Cravo e a Rosa”, dando vida à caipira Lindinha – o primeiro trabalho no mundo dos folhetins. Vannessa conta que, mesmo a personagem sendo distante da sua realidade, ela aprendeu algumas coisas com a vilã.  “A Lindinha era totalmente diferente de mim. Eu era (e ainda sou) ‘urbanóide’… Mas aprendi a pegar a galinha e o porco, a fazer queijo, a segurar lagartixa e a ordenhar vaca… O que eu aprendi com essa novela, eu levo para todos os trabalhos que faço”, conta.

Com a personagem apaixonada por Petruchio (Eduardo Moscovis), Vanessa conta que Lindinha foi capaz das piores maldades para separar o amado de Catarina (Adriana Esteves). “Ela era impulsiva, apaixonada, ingênua e um pouco mau-caráter. Tentou até o fim conquistar Petrucchio. Ela era obstinada, mas as tentativas eram sempre infantis, bem diferente da personagem da Drica Moraes, a Marcela, que era cruel”, compara a atriz.

Uma trama de sucesso

Em relação ao sucesso de “O Cravo e a Rosa”, Vannessa acredita que o fato da novela ser baseada no clássico “A Megera Domada”; o humor leve, ingênuo e os romances da trama empolgaram os telespectadores. “Além disso, os cenários e figurinos eram lindos… Essa novela teve uma importância enorme para mim porque foi o meu primeiro trabalho diante de uma câmera”, enfatiza a atriz, que até hoje ainda é abordada por fãs para falar sobre a personagem. 

“A abordagem é sempre muito carinhosa, vinda de várias gerações porque a novela reprisou algumas vezes e acabou atraindo públicos de diferentes idades”.