No dia 24 de julho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou novas regras que proíbem a venda de alguns medicamentos sem receita. Entre eles, a ivermectina e outros mais conhecidos, como cloroquina e hidroxicloroquina.

Segundo a Anvisa, a medida visa impedir a compra desses medicamentos em farmácias de forma imprópria. Os remédios têm sido divulgados como potencialmente benéficos contra o coronavírus, embora não haja nenhuma pesquisa científica conclusiva que prove a eficácia dessas medicações.

A ivermectina, por exemplo, faz parte do grupo dos medicamentos antiparasitários. Estudos laboratoriais mostraram que seu uso foi positivo na inibição da replicação do Sars-CoV-2, porém o teste ainda precisa ser feito em humanos.

O que é a ivermectina?

A ivermectina combate a ação de vermes e parasitas como os nematódeos, principalmente o Strongyloides stercoralis; e alguns tipos de ácaros.

Para que serve a ivermectina?

O medicamento deve ser utilizado sob prescrição médica. Mas é necessário fazer o uso de forma apropriada e na dose certa por um determinado período de tempo.

Foto: Sophie Walster/iStock

A ivermectina pode ser utilizada em caso de:

  • Estrongiloidíase intestinal, infecção causada pelo Strongyloides stercoralis;
  • Oncocercose, infecção causada pelo parasita Onchocerca volvulus;
  • Elefantíase (filariose), causada pelos parasitas Wuchereria bancroftiBrugia malayi e Brugia timori;
  • Lombriga (ascaridíase), causada pelo parasita Ascaris lumbricoides;
  • Sarna (escabiose), causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei;
  • Piolhos (pediculose), causados pelo áraco Pediculus humanus capitis.

O medicamento ainda pode ser utilizado em cuidados dermatológicos e, em outras ocasiões, até para uso veterinário.

Contraindicações

O medicamento não pode ser utilizado caso por pessoas que sejam alérgicas (ou tenham casos na família de alguém que tenha tido reação semelhante) ao seu princípio ativo ou algum componente de sua fórmula. Portanto, é fundamental consultar um médico antes de fazer o uso dessa medicação.

Foto: fizkes/iStock

A ivermectina também não deve ser utilizada em casos de:

  • Meningite ou alguma doença que afete o Sistema Nervoso Central.
  • Doenças que reduzam o sistema de defesa do corpo (Aids, lúpus, câncer, anemia, obesidade, entre outros).

Efeitos adversos da ivermectina

A ivermectina é considerada tolerante, segura e eficaz, mas algumas pessoas podem apresentar sintomas provisórios como:

  • Diarreia;
  • Náusea;
  • Dor abdominal;
  • Falta de apetite;
  • Constipação;
  • Vômito;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Vertigem;
  • Tremor;
  •  Febre;
  • Coceira;
  • Lesões de pele;
  • Urticária.

Interações medicamentosas

Alguns medicamentos, se combinados com a ivermectina, reduzem sua eficácia. Principalmente aqueles que tratam doenças do Sistema Nervoso Central, como remédios para ansiedade e insônia.

Foto: Pixavrill/iStock

Portanto, avise seu médico caso tenha utilizado substâncias como:

  • Acetaminofeno (paracetamol);
  • Ácido acetilsalisílico (aspirina);
  • Albendazol ou Pirantel (vermífugos);
  • Ácido valpróico (anticonvulsivante);
  • Álcool;
  • Ácido graxo poliinsaturado Ômega 3;
  • Multivitamínicos, Vitaminas B, B12, C, D3, K;
  • Difenidramina (anti-histamínico)

Entre outros.


Atenção:
Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico ou farmacêutico.