Faça uma busca
|
Publicado em: 22 de dezembro de 2020

Como se preparar para visitas familiares nas festas de fim de ano

Imagem: © cerro_photography/iStock

As pessoas podem estar mais ansiosas do que nunca por encontros familiares nesta temporada de festas de fim de ano e férias.

Ação de Graças, Natal, Kwanzaa, Hanukkah, Ano-Novo e outras celebrações de fim de ano no mundo inteiro são, tradicionalmente, datas para se estar com a família.

No entanto, devido à pandemia do novo coronavírus, estar com pessoas – até mesmo com a família – pode ser arriscado.

Mas, mesmo diante do atual cenário, muitas pessoas estão se preparando para ver pessoalmente (em vez de virtualmente) seus entes queridos no fim deste ano de confinamento. Para ajudar você a ter confraternizações mais seguras, nós separamos algumas dicas de especialistas de como evitar a disseminação da Covid-19 durante as festas de fim de ano.

Veja também: 10 dicas que vão inspirar você na decoração natalina.

Como reduzir o risco de contrair a Covid-19 durante as festas de fim de ano e as férias

1. Pergunte-se se você deve mesmo se reunir

Foto: Halfpoint/iStock.

Algumas pessoas não deveriam participar de nenhum tipo de reunião. De acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC/EUA), isso inclui pessoas que foram diagnosticadas com Covid-19, aquelas que apresentam sintomas da doença, pessoas esperando pelos resultados dos testes e aquelas que pensam que podem ter sido expostas a alguém com Covid -19 nos últimos 14 dias.

E lembre-se de que mais da metade das transmissões da Covid-19 vem de pessoas que não apresentam sintomas, diz o Dr. Blumberg.

Leia também: O que é sindemia? Nova classificação é proposta para a Covid-19.

2. Proteja seus parentes mais velhos

noticias boas
Imagem: iStock

A decisão de se reunir ou não com a família deve depender, pelo menos em parte, da presença de parentes mais velhos.

Os especialistas em infecção sabem, desde o início da pandemia, que os idosos estão entre aqueles com alto risco para o coronavírus. Eles correm ainda mais risco se tiverem uma doença subjacente, como problemas no pulmão, rim ou doença cardíacaasmadiabetessistema imunológico enfraquecido ou se forem obesos.

De fato, pessoas de qualquer idade com qualquer uma dessas condições correm maior risco de contrair a Covid-19, em sua forma mais grave.

Leia também: Covid-19: por que é mais difícil imunizar os idosos?

“Queremos ser extremamente cuidadosos com a vovó e o vovô”, diz Dr. Blumberg. ‘Queremos abraçar a vovó, mas é melhor não.’

Ainda mais se você acha que teve alguma exposição à Covid-19. Dessa forma, se você compartilhar um quarto ou uma mesa de jantar com parentes idosos, use máscara (exceto quando estiver comendo) e pratique o distanciamento social.

3. Opte por um meio de transporte mais seguro

Foto: Jovanmandic/iStock.

Quanto menos você viajar durante a pandemia, mais seguro estará. Dito isso, se você acabar viajando neste fim de ano, o Dr. Blumberg acredita que dirigir é mais seguro do que voar.

“Você ficará isolado dos outros”, diz o médico. “Se você pegar o trem, avião ou algum outro meio de transporte, distancie-se o máximo possível ao entrar, sair e durante a viagem.”

Passar longos períodos de tempo na companhia de estranhos é algo a ser evitado.

Planeje sua viagem com antecedência, pare o menos possível, use luvas descartáveis; e use pagamentos sem contato, se possível.

E, como sempre, use máscara em ambientes públicos, mantenha distância de outras pessoas, lave as mãos com frequência e não toque nos olhos, nariz ou boca, se suas mãos não estiverem higienizadas.

Alguns defendem a segurança dos aviões para as festas de fim de ano

Um estudo de outubro de 2020, realizado por pesquisadores de Harvard e financiado pela indústria aérea concluiu que voar ‘é tão seguro ou substancialmente mais seguro do que as atividades de rotina que as pessoas realizam durante esses tempos.’

De fato, um estudo anterior conduzido pelo Departamento de Defesa descobriu que o risco de o vírus ser transmitido pelo ar através da dispersão de aerossol em aviões foi reduzido em 99,7%, devido a elementos como a recirculação do filtro HEPA e aberturas para baixo em jatos modernos.

Veja mais: Persistência de sintomas de Covid-19 alerta para possíveis sequelas da doença.

Mas voar também envolve chegar ao aeroporto, fazer o check-in, ficar nas filas com segurança e outras interações em que sua exposição será elevada.

Como existem riscos ao dirigir e voar, os especialistas sugerem basear sua decisão em fatores como a duração da viagem, seu conforto pessoal e as diretrizes de segurança que você está seguindo.

4. Considere o tamanho do grupo, o tempo e o espaço

Três fatores principais afetam o risco de contrair SARS-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19, em um ambiente social: o tamanho da reunião, quanto tempo você passará com outras pessoas e em que tipo de espaço você está. Não existe uma regra rígida sobre quantas pessoas estão seguras, mas os regulamentos locais podem fornecer alguns parâmetros.

A solução é limitar a quantidade de contato próximo que você tem com qualquer pessoa que possa estar doente.

O CDC atualizou recentemente sua definição de contato próximo, como alguém que passa um total de 15 minutos com uma pessoa infectada por um período de 24 horas.

Esse é apenas mais um motivo para ficar a dois metros de distância dos outros, mesmo em uma festa de família.

Quanto à terceira consideração – o espaço –, estar ao ar livre é sempre melhor do que dentro de casa, mas isso pode ser mais difícil em um dia chuvoso ou no inverno do hemisfério norte, por exemplo.

O CDC recomenda determinar o número de pessoas em uma reunião com base na capacidade de manter as pessoas à distância enquanto estão lá dentro. Abrir as janelas ou portas para ventilação também pode ajudar.

5. Faça uma escala para receber os hóspedes para as festas de fim de ano

Foto: Sinenkly/iStock.

Uma maneira de lidar com grupos maiores é ter uma casa aberta no período das festas de fim de ano, com vagas programadas para diferentes agrupamentos de famílias, diz Sickbert-Bennett.

O termo “família” é a chave aqui. “O risco de contrair Covid-19 aumenta com a quantidade de pessoas que estão perto de você, não necessariamente pessoas individuais, mas com quantas famílias você está interagindo”, diz ela.

Outra estratégia seria configurar mesas separadas para diferentes famílias, se você tiver espaço, complementa.

Leia mais: 15 doenças que você pode prevenir ao lavar as mãos corretamente

O CDC também recomenda levar em consideração a procedência dos participantes. Os eventos são mais arriscados se as pessoas vierem de muitos lugares diferentes, então tente manter qualquer reunião local.

Não importa de onde as pessoas cheguem, peça que tragam máscaras e desinfetante para as mãos.

6. Use utensílios individuais

Foto: Sabrina Bracher/iStock.

Peça aos convidados que tragam seus próprios pratos, copos e utensílios, ou use os descartáveis.

Embora a forma mais comum de propagação da Covid-19 seja por meio de gotículas respiratórias, o vírus também pode viver em superfícies.

Você pode até pedir que tragam sua própria comida, embora ainda não haja evidências fortes de que a Covid se espalha através dos alimentos.

7. Dê a si mesmo – e aos outros – uma pausa

Foto: Estradaanton/iStock.

Lembra-se de antes da pandemia, quando reunir-se com a família já era estressante o suficiente? Embora a rivalidade entre irmãos e as memórias delicadas possam ficar para trás neste ano, tenha em mente que os problemas de longa data provavelmente ainda estarão lá.

“Às vezes, surgem padrões antigos”, diz Laura Hawkins, professora assistente clínica da Escola de Enfermagem da Universidade Purdue em West Lafayette, Indiana. “Com a Covid-19, quase todo mundo está sob estresse de longo prazo. Em algum nível, pode ser mais difícil lidar com alguns desses padrões normais.

Leia mais: Torta de climão — como falar de política sem brigar no Natal

O uso de máscaras também pode alterar as interações. “As máscaras são uma barreira para a comunicação e também afetam a forma como as pessoas interpretam o que você está dizendo”, diz Robert Glatter, médico de emergência do Hospital Lenox Hill, na cidade de Nova York.

Nada disso é motivo para negligenciar o uso da máscara.

8. Seja flexível

Foto: Sergii Gnatiuk.

As férias este ano vão exigir muito mais planejamento e previsão do que nunca, ou você pode acabar levantando um problema potencial: “Os planos ficam mais difíceis de abandonar quando você tem algo pelo qual está realmente ansioso”, diz Sickbert-Bennett.

“Você precisa abordar isso com flexibilidade. Se você não está se sentindo à vontade, precisa estar disposto a mudar seus planos.”

Uma última palavra

Foto: Nattakorn Maneerat.

Primeiramente, se você está pensando em visitar a família durante as festas de fim de ano e nas férias, pergunte-se se você tem seguido rigorosamente as regras de uso de máscara, distanciamento social e higiene.

Do contrário, você pode querer repensar o fato de se juntar à família. “Tenha cuidado com os comportamentos de risco que você tem adotado nas últimas semanas antes de se encontrar com a família”, diz Sickbert-Bennett.

POR AMANDA GARDNER

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados