Se você já aprendeu a fazer sua reserva de emergência e entendeu a importância de ter um dinheiro guardado, chegou a hora de saber quando usar esse dinheiro. Afinal, como você deve ter visto não é difícil manter o investimento e construir a sua reserva de emergência.

Como manter a sua Reserva de Emergência

Para garantir a sua segurança e tranquilidade, utilize somente se necessário. E parta dessa reserva para começar a formar suas reservas para aposentadoria ou para a conquista de um objetivo.

Qual o melhor momento para usar o que guardei?

Quando acontecer uma emergência e somente nesta hipótese. Atenção, gaste somente o estritamente necessário. Procure usar o mínimo possível da reserva para que seja mais fácil recompô-la. Se for necessário trocar a geladeira, nem pense em aproveitar para trocar outros eletrodomésticos usando essa grana porque deu vontade de renovar o visual da cozinha.

Se nunca acontecer, parabéns, você é uma pessoa de sorte. Ou cautelosa e não deu chance para o azar. Cuidou da saúde. Fez a manutenção do carro e dirigiu com segurança. Ótimo. Parte da sua reserva poderá ser incorporada para os gastos na sua aposentadoria. Outra poupança que deve ser feita, visando o futuro. Comece a formá-la depois que a reserva de emergências estiver garantida.

Já está pensando que vai precisar passar a vida todas fazendo reservas? Talvez não seja necessário, se:

  • Você mantiver foco e conseguir gastar menos do que ganha mensalmente.
  • Começar a fazer as reservas o mais cedo (jovem) possível – por isso ensine os seus filhos.
  • Conseguir destinar verbas extras, como as que citamos na primeira parte desse Manual.

Com essas três ações em prática, no curto prazo, sua reserva de emergência estará formada e disponível para ser gasta. Nas famílias com um orçamento muito apertado, todos precisam se unir. Economizando nas despesas e guardando uma graninha juntos, o prazo estimado para este objetivo é de 02 a 03 anos. Se o orçamento for mais folgado e puderem contar com receitas extras, em menos de 12 meses essa reserva estará garantida.

A reserva para o futuro é uma poupança contínua. Ela deve ser feita durante toda a sua vida de trabalho. Escolha opções de investimentos de longo prazo como alguns Títulos Públicos (Tesouro Direto SELIC), Previdência Privada e Ações. Prefira as Ações que paguem frequentemente Juros Sobre o Capital Próprio (JSCP) e Dividendos. Aqui no site você encontra muita informação sobre estas e outras opções. Leia mais em Como juntar dinheiro para o futuro e em Como lucrar com ações, veja 04 maneiras diferentes.

Em que não devo gastar?

Jamais use sua reserva para adquirir bens ou viajar. Mantenha o foco. Tenha sempre em mente o objetivo, por mais difícil que seja. Reserva de emergência = proteção contra imprevistos; segurança; conforto e tranquilidade.

Se ficar desempregado, jamais gaste o valor da rescisão do contrato de trabalho adquirindo bens. Essa indenização deve ser imediatamente destinada para a sua reserva. Nem mesmo quite ou abata o saldo devedor de financiamentos (imobiliário ou de veículo, por exemplo) tentando diminuir a dívida. Use este valor para arcar com as despesas mensais. Inclusive para o pagamento de parcelas de financiamento. Imagine um fluxo de caixa ao longo do tempo. Se você gastar todo o dinheiro de uma vez, no próximo mês terá de fazer dívidas, com juros mais altos, para arcar com as despesas fixas. Não é um bom negócio.

Corte o máximo de gastos possível com consumo, principalmente com lazer. É hora de apertas os cintos. Considere reduzir as despesas fixas mensais no curto prazo, até mesmo reduzindo o padrão de vida. Tudo para a sua reserva durar o máximo de tempo possível, até você conseguir se recolocar.

Adote medidas que ajudem a conseguir uma receita extra. Veja diversas dicas valiosas em nossos inúmeros artigos que comentam sobre minimalismo, sustentabilidade e empreendedorismo. Você as encontra facilmente na ferramenta de busca de nosso site.

POR SAMASSE LEAL

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!