Faça uma busca

Esse site usa cookies para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com nossa Política de Privacidade

|
Publicado em: 30 de dezembro de 2019

Compra por impulso: 11 dicas para gastar menos em 2020

William Bastos
Última atualização: 29 de dezembro de 2019
Por: William Bastos

A compra por impulso pode arruinar a sua vida; aprenda meios de como evitá-la no que vem

Compra por impulso: 11 dicas para gastar menos em 2020 Imagem: a-wrangler/iStock

Já fez as suas resoluções para 2020? Muitas pessoas estão montando a lista há semanas: comer menos, fazer mais exercícios, seguir uma dieta mais saudável… Os itens não param. Mas, se você gastou muito em 2019, que tal incluir “evitar a compra por impulso”?

Adquirir pequenos itens apenas para satisfazer um pequeno desejo é uma das principais atitudes que levam pessoas a se endividar. Você certamente já passou por uma situação semelhante; mas alguns casos podem ser sinais de síndromes, como a ansiedade.

Veja também: Não cometa mais esses erros comuns em sua vida financeira

Isso porque a compra por impulso, segundo alguns especialistas, pode ser sinal de busca por prazer. Diversos estudos demonstram que ir às compras significa, para o cérebro, mais serotonina, o hormônio do bem-estar. Assim, para ele, quanto mais itens no carrinho, mais felicidade.

Mas a sensação passa quando a fatura do cartão de crédito chega. A fim de evitar esse tipo de problema, a educação financeira se faz necessária, bem como comprometimento pessoal. Admitir o problema é o primeiro passo.

Em seguida, vale o bom senso: algumas medidas, como as que listamos abaixo, podem ajudar a manter o controle. Mas se o problema é crônico, não há outra opção: é recomendável procurar ajuda profissional. Um psicólogo ou psiquiatra poderão fazer análises mais profundas do seu caso, e, se for necessário, aplicar medicações que amenizarão o problema.

Que tal, então, evitar a compra por impulso em 2020? Veja como você pode fazer isso:

  • Rawpixel/iStock Rawpixel/iStock

    1. Invista em atividades prazerosas

    Uma compra por impulso geralmente é feita para suprir o desejo pela sensação de bem-estar. No entanto, ela tende a sumir logo após a compra. Para evitar desgastes financeiros, procure pensar em atividades que façam você se sentir bem ao invés de comprar algo para se sentir melhor. Vale qualquer coisa, desde ler um livro até comer um chocolate.


  • Deagreez/iStock Deagreez/iStock

    2. Faça a pergunta clássica: eu preciso mesmo disso?

    É claro que a compra por impulso costuma acontecer rapidamente; em um instante você se vê desejando alguma coisa, e no outro, a compra está feita. Mas tente, na próxima vez que se sentir assim, se perguntar: eu preciso mesmo disso? Não há nada similar que eu já possua?


  • Prostock-Studio/iStock Prostock-Studio/iStock

    3. Não siga o fluxo emocional

    Muitas pessoas tendem a fazer compras por impulso quando estão se sentindo ou muito felizes ou muito tristes, em picos emocionais. Se você passa por momentos similares e tende a fazer compras em um desses momentos (ou nos dois), evite sair de casa com o cartão de crédito, ou dê um tempo da internet.


  • Sitthiphong/iStock Sitthiphong/iStock

    4. Cuidado com a internet

    É muito fácil fazer compras na internet. Alguns sites, por exemplo, costumam até facilitar para os clientes disponibilizando botões de compra de 1 clique, em que a compra é realizada rapidamente, mas isso é um perigo extremo. Para evitar faturas exorbitantes, retire o seu cartão de crédito dos dados pessoais de sites de compras. Dessa maneira, caso venha a tentar realizar alguma compra futuramente, deparar-se com o formulário de compra dará mais um tempo para pensar se você realmente precisa do que está comprando.


  • Jun/iStock Jun/iStock

    5. Não navegue de madrugada

    Seguindo a esteira da última dica, compras na internet, preste atenção também no horário: se você costuma usar a internet de madrugada, está mais vulnerável a pensar menos nas compras devido ao cansaço. Se é a insônia que te deixa acordada, existem formas de retomar o sono e manter uma rotina saudável.


  • Prostock-Studio/iStock Prostock-Studio/iStock

    6. Tenha alguém ao seu lado

    Se você precisa fazer compras mas tende a pegar muito mais do que precisa, experimente levar alguém para policiar as suas ações. Deixe a pessoa avisada e comprometa-se a seguir o que ela sugerir quanto a compras desnecessárias.


  • Drazen Zigic/iStock Drazen Zigic/iStock

    7. Saia de casa com dinheiro contado

    Cartões de crédito na carteira e notas além da quantia que você precisa? Nada disso. O maior erro das pessoas que compram por compulsão é ter em mãos o cartão de crédito; por isso, deixe-o guardado em casa se não for estritamente necessário. Se você usa dinheiro vivo, nada de levar quantias além da necessária da mesma forma.


  • AaronAmat/iStock AaronAmat/iStock

    8. Segure a pressa

    Quem sai de casa querendo comprar algum item pode se deparar com compras supérfluas e totalmente desnecessárias. Tenha foco: pense no que quer e atenha-se a isso. Na loja, nem pense em passear pelas prateleiras; vá direto à seção do que procura.


  • Ralf Geithe/iStock Ralf Geithe/iStock

    9. Faça uma lista do que você tem em casa

    Verifique sempre o que você tem em casa para evitar comprar produtos que já estão disponíveis. Para isso, dê uma olhada na despensa, conte quantas lâmpadas tem ou avalie a necessidade de uma nova sanduicheira. Nada de comprar o que já está guardado e disponível!


  • Thiago Santos/iStock Thiago Santos/iStock

    10. Trace o seu orçamento

    Crie o hábito de avaliar e calcular o seu orçamento e estabelecer uma quantia que você pode gastar em cada mês. Para isso, some suas despesas fixas (internet, telefone, luz etc) e some com o valor da fatura atual do cartão. O resultado da conta deve estar incluído no que você tem disponível no banco. Comprar qualquer item, mesmo que seja em uma promoção, pode descontrolar todos esses cálculos. Por esse motivo, estabelecer alguma educação financeira em sua vida deve ser prioridade.


  • Prostock-Studio/iStock Prostock-Studio/iStock

    11. Procure tratamento

    Muitas vezes as compras por impulso vêm de problemas mais profundos. Se, por exemplo, você não conseguir parar o hábito sozinha, procure a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra para estipular um tratamento viável que fará com que você tenha o controle novamente.


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

Assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados