A escolha do piso e de seu acabamento depende do gosto pessoal e do clima em que você vive. Mas esse é um ótimo momento para ponderar sobre os efeitos que sua escolha pode ter na qualidade do ar de casa. Assim como na preservação do meio ambiente, claro. Uma escolha criteriosa deve reduzir a exposição a produtos químicos nocivos e provocar menos prejuízos ao meio ambiente. E, ao pesquisar preços, você ficará surpreso com o quanto algumas opções de pisos sustentáveis são econômicas. E quem não quer sua casa construída sobre os pilares da sustentabilidade e, claro, da economia?

Pisos sustentáveis e seus acabamentos

A produção de alguns tipos de piso tem elevado custo ambiental. Dê preferência a opções naturais.

1. Considere cada ambiente

● Pense nas características de cada ambiente. Pisos duros são ideais para ambientes de trânsito intenso (corredores, cozinha); pisos macios são indicados para quartos e áreas comuns.

2. Carpetes

● Embora sejam bonitos e confortáveis, carpetes novos trazem um risco elevado de liberação de substâncias químicas graças aos diferentes tratamentos aplicados durante sua produção. Se esta opção for inevitável, escolha um produto feito de fibras naturais, que não tenha passado por processos químicos.

● Caso seja necessário aplicar um revestimento sob o carpete, prefira borracha reciclada ou látex natural, em vez de material sintético, que exige muita energia para ser produzido e libera gases nocivos.

● Peça ao responsável pela instalação que utilize grampos ou tachas em vez de adesivos sintéticos. Se não for possível, exija um adesivo atóxico ou à base de água, que contém baixos níveis de compostos orgânicos voláteis (COVs).

● Qualquer que seja o tipo de carpete, mantenha a área bem ventilada durante a instalação e não use o ambiente por, no mínimo, três dias. Evite instalar carpetes em quartos ocupados por bebês ou mulheres grávidas. Veja algumas dicas para manter o carpete sempre limpo!

3. Madeira

● Considere um piso de madeira, que é delicado sob os pés, fácil de limpar e não serve de abrigo para ácaros. Escolha tábuas feitas de madeira oriunda de fontes sustentáveis ou, preferencialmente, de segunda mão, que costuma ter qualidade muito superior à dos produtos disponíveis atualmente. No caso de madeira nova, certifique-se de que não foram usados tratamentos químicos ou impermeabilizantes.

4. Pedra

● Considere pedras ou ardósia para o piso, principalmente se puderem ser obtidas no próprio terreno. Embora não renováveis, estes materiais são abundantes, duráveis e absorvem calor.

5. Ladrilho

● Em ambientes de circulação intensa, principalmente em regiões de clima quente, avalie a possibilidade de usar azulejos ou ladrilhos de terracota. Estes materiais provêm de fontes não renováveis, porém abundantes, exigem relativamente pouca energia na produção, não liberam gases e são recicláveis.

6. Pisos de concreto

● Em vez de cobrir um piso de concreto com outro material, aplique apenas um acabamento superficial. O concreto polido é resistente, impermeável e bonito, em especial quando misturado a um corante natural.

● Os mosaicos também são uma boa alternativa em regiões de clima quente. Fragmentos de mármore são misturados ao concreto, que depois recebe polimento. É uma opção bonita e mais barata que o mármore!

7. Evite

● Evite pisos que contenham PVC e vinil. Sua produção envolve a liberação de substâncias tóxicas e, para pessoas alérgicas, é uma opção tão nociva quanto o carpete. O descarte também resulta em depósito de substâncias químicas nos aterros sanitários.

Quer conhecer outras opções sustentáveis e econômicas para a sua casa? Aprenda a coletar a água da chuva.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!