Não importa quanto você tem depositado nela, a Poupança é a sua carteira, que concentra 100% do seu investimento. É por isso que a Caderneta de Poupança não pode ter tarifa cobrada pelo banco: porque ela é um tipo de investimento. Não é uma conta bancária comum.

Você ainda não tem uma Poupança, mas sobrou uma graninha na conta este mês ou tem um dinheirinho guardado num cofrinho? Então você é um investidor em potencial com uma carteira em potencial. Ela está lá, só esperando para ser concretizada. Então você só precisa aplicar esse recurso em um investimento para concretizar a sua carteira, e depois ampliá-la.

Você pode ser um tipo de rico, e não sabe.

Essa graninha que sobrou na sua conta corrente costuma sobrar todos os meses? Então, você é um rico em potencial! Sabe por quê? Porque os ricos são pessoas que conseguem acumular dinheiro. Seja gastando menos do que o que ganham, seja multiplicando o que já tem. O que você precisa saber agora é como fazer ou melhorar esses investimentos para acumular mais e se tornar rico de verdade.

Sabe o que é uma carteira de investimentos diversificada?

Achou esse termo complicado? Não sabe o que é isso? Fique tranquilo! Não é nada de outro mundo, é apenas ter dinheiro aplicado em opções de investimentos diferentes. Isso faz com que as suas chances de multiplicar o seu dinheiro e ampliar o seu patrimônio aumentem. Sabe por quê? Porque se um investimento rende menos em um momento, o outro pode render mais compensando o desempenho ruim do primeiro.

Como diversificar?

Se você é leitor assíduo do site já deve saber a resposta: conhecendo o seu perfil de investidor e o seu objetivo. O perfil é definido de acordo com o grau de risco (de perder dinheiro) que você aceita assumir. O objetivo pode ser de ganhar dinheiro no curto, médio ou longo prazo. Quanto maior o risco, maior costuma ser a rentabilidade de um investimento. Saiba mais sobre os perfis de investidores em “Qual é o seu perfil de investidor?” e em “Tipos de investimento: descubra como cada perfil investe“.

Em geral, quem está começando a investir não tem muito a perder. Assim, prefere as opções de investimento em Renda Fixa, que oferecem menor risco (de perder dinheiro), embora garantam menor rentabilidade. Entenda as diferenças entre Renda Fixa e Renda Variável em Seja um investidor: O que é a Renda Fixa e Seja um investidor: O que é a Renda Variável.

Definir objetivos faz toda a diferença:

  • Começar pela formação de uma reserva de emergência é um bom primeiro passo. Nesse caso é importante escolher uma opção que garanta possibilidade de saque imediato (alta liquidez) com custo baixo ou zero. A Poupança atende bem a esse objetivo de curto prazo.
  • Pensar na aposentadoria é uma preocupação de longo prazo. Planos de Previdência, Títulos Públicos e Ações de empresas que tenham lucro constante e paguem dividendos são boas opções.
  • Viagens e compra de bens como imóveis ou carros são objetivos de curto ou médio prazo. Há fundos de investimentos em Renda e Fixa e Renda Variável e Fundos Imobiliários que podem atender.

Para diversificar a sua carteira de investimentos, pesquise as opções oferecidas por todos os bancos. Conheça as que exigem um valor baixo para aplicação inicial em “Como investir dinheiro para conseguir mais dinheiro“. E saiba que você não é refém do seu banco, pode investir dinheiro através de corretoras de valores independentes. Elas costumam oferecer opções bastante interessantes e cobrar taxas bem mais baixas do que as taxas dos bancos de varejo..

Agora você já sabe que é um investidor e possui uma carteira de investimentos, mesmo que ela seja modesta e concentrada em uma única aplicação. Então busque mais informações aqui na Coluna de Economia. Descubra como diversificar a sua carteira e amplie seus investimentos rumo à sua independência financeira.

POR SAMASSE LEAL

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!