Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 20 de dezembro de 2019

4 curiosidades sobre tradições natalinas que você sempre quis saber

Descubra a origem de algumas tradições natalinas bem populares ao redor do mundo.

Imagem: Deagreez/iStock

O Natal é uma celebração que reúne um grande número de símbolos e tradições. No entanto, a origem de algumas dessas tradições natalinas acabaram esquecidas por boa parte das pessoas. Você, por exemplo, sabe quando que se tornou popular a prática de montar presépios? Ou por que o Papai Noel se veste de vermelho, branco e preto? Pensando em ajudá-lo a ter a resposta para essas perguntas nós preparamos um slideshow abaixo!

Leia também: Conheça a origem dos pratos da ceia de Natal e confira as receitas

  • Deagreez/iStock

    Como a árvore de Natal se difundiu no mundo?

    A árvore de Natal difundiu-se de sua originária Alemanha para o resto do mundo durante o século XVIII, quando se estendeu pelo centro da Europa e pelos Estados Unidos, levada pelos imigrantes alemães. Curiosamente, foi introduzida na América do Norte antes que na Escandinávia ou na França. No século XIX chegou à Inglaterra, onde se popularizou apesar dos comentários desdenhosos de alguns, como Charles Dickens; para tanto foi decisiva a intervenção do príncipe Alberto, cônjuge da rainha Vitória. Alberto, alemão de origem, quis tanto ter uma lembrança de sua terra, como surpresa par ao filho, que ordenou que se instalasse uma grande árvore de Natal no castelo de Windsor em 1840. O exemplo foi seguido pelo povo britânico e difundiu-se por todo o império. Em meados do século XIX, o costume consolidou-se nos Estados Unidos, quando começaram a colocar árvores de Natal nas ruas.


  • Bogdan Kurylo/iStock

    Qual é a origem das guirlandas de Natal?

    Alguns autores costumam relacioná-las às coroas de louro que os antigos gregos concediam aos esportistas campeões. Os cristãos adotaram-nas como imagem do triunfo de Jesus sobre a morte. Muito antes de Cristo, os nórdicos costumavam fazer coroas de folhas perenes, pois seu verde permanente era um símbolo de vida indestrutível em meio ao inverno rigoroso do norte da Europa. Sua forma redonda representa o ciclo da vida e anuncia que a primavera voltará quando terminar o inverno. Com a chegada do cristianismo, as guirlandas transformaram-se em símbolo do Salvador; as frutas vermelhas que as enfeitam são interpretadas como o sangue derramado por Cristo.


  • manaemedia/iStock

    Como se tornou popular a prática de montar presépios?

    Quem deu o impulso decisivo a esse costume foi São Francisco de Assis, e há quem o considere o criador da prática. Para celebrar a missa à meia-noite de 25 de dezembro de 1223, São Francisco dispôs no parque de Greccio, na região da Toscana, um altar onde havia um presépio com feno, um boi e uma mula, e ali celebrou a missa, diante de uma gruta.

    Os habitantes da região chegaram trazendo tochas acesas e ficaram muito impressionados, pois juraram ter visto um bebê sorrindo nos braços do santo. Apesar de estarem presente nessa cena muitos dos elementos do que se costuma chamar o presépio “clássico”, o que São Francisco fez tinha muito mais a ver com uma representação teatral do que com um presépio como se conhece hoje.


  • Cristiano Babini/iStock

    Por que o Papai Noel atual se veste de vermelho, branco e preto?

    Até as primeiras décadas do século XX Papai Noel era representado indistintamente vestido de azul, vermelho, amarelo ou verde. O “toque final” da iconografia atual deste personagem ficou a cargo do pintor Haddon Sunblom, que na década de 1930 se encarregava dos anúncios natalinos da Coca-Cola. Sunblom usou como modelo um vendedor aposentado da empresa e, quando este faleceu, inspirou-se em si mesmo. Seus anúncios traziam Papai Noel escapando de situações extravagantes e recebendo como prêmio uma garrafa de refrigerante. Os anúncios fizeram tanto sucesso e influenciaram de tal maneira a cultura popular que, daí em diante, Papai Noel aparece como um velhinho gordo, sempre alegre e jovial, com um cinto largo e botas pretas, e com roupa vermelha e branca. Talvez não seja coincidência que essas três cores seja as mesmas do logotipo da Coca-Cola.


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados