Abrangendo mais de 40% do território nacional, a Floresta Amazônica é um tesouro inestimável para a humanidade. Por isso, um dia dedicado somente à flora e à fauna desse bioma foi determinado: o Dia da Amazônia.

Essa data remete aos tempos do Império, quando Dom Pedro II, em 1850, definiu a província do Amazonas. Atualmente, nos ajuda a lembrar da importância ambiental dessa reserva natural tão rica.

Além disso, o Dia da Amazônia tem como objetivo chamar atenção para a necessidade de preservação da floresta, debater sobre o uso responsável de suas riquezas e estimular a criação de projetos e políticas públicas que diminuam o desmatamento.

Amazônia em detalhes

A Floresta Amazônica está presente em 9 estados brasileiros: Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia, Pará e Roraima e algumas partes do Maranhão, Tocantins e Mato Grosso. Além dos países: Peru, Venezuela, Suriname, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa e Bolívia.

Leia também: Dia da Árvore reacende debate sobre preservação

Por ter um grande número de rios, a Amazônia é considerada a maior reserva de água doce de superfície do mundo; sendo o rio Amazonas o maior deles. Sua flora é imensamente diversa, tendo a vitória-régia como planta típica da região, além de várias outras que são matéria-prima para medicamentos.

Dia da Amazônia
Imagem: Eplisterra/iStock

A fauna presente na Amazônia também é enorme. A floresta é o berço do boto-cor-de-rosa, onça-pintada, peixe-boi-da-amazônia e outros. O maior besouro do mundo, o Titanus giganteus, que pode chegar a 22 cm, também encontra-se lá.

Além da flora e da fauna, a Floresta Amazônica é a casa de muitas aldeias indígenas e comunidades. Atualmente, são aproximadamente 180 povos indígenas, além das tribos isoladas, que vivem em seu interior. Só da tribo Yanomami, por exemplo, reside 25,7 mil indígenas.

Leia também: 15 dicas para preservar o meio ambiente

Preservação da Floresta Amazônica

Normalmente, nos meses mais secos do ano, entre junho e setembro, o número de focos de incêndio na floresta aumenta. Entretanto, as queimadas ocorrem também pela ação humana.

De acordo com o programa Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), este ano tivemos o segundo pior Agosto, desde o início do monitoramento, em termos de desmatamento. Cerca de 1.045 km² de vegetação foi consumida pelo fogo em um único mês.

Dia da Amazônia
Imagem: Pedarilhos/iStock

O resultado desse descaso no combate aos incêndios criminosos e da falta de ações efetivas para conter as queimadas é a morte de inúmeros animais e os danos causados à flora amazônica.

Leia também: Como evitar as queimadas e proteger o meio ambiente

O aumento do aquecimento global também é, em parte, resultado do desmatamento. Como se sabe, as árvores, durante o processo de fotossíntese, transformam gás carbônico em oxigênio. Desse modo, os incêndios somados à redução de vegetação aumentam a emissão de gás carbônico na atmosfera.

Proteger a Floresta Amazônica, portanto, vai além de cuidar de um patrimônio mundial. Significa manter a sobrevivência humana, resguardando as fontes de água doce, protegendo a matéria-prima de medicamentos e proporcionando maior qualidade do ar que respiramos.

POR THAÍS GARCEZ