Para a sua coleção de histórias engraçadas, mais estas. Histórias como essas podem acontecer com todos, e valem umas boas risadas.

Viajando pelo interior da Irlanda com um grupo de escritores, passamos por um cemitério que tinha centenas de belas lápides incrustadas em um gramado verde-esmeralda. Todos pegaram suas câmeras quando o guia disse que o inventor das palavras cruzadas estava enterrado ali. E indicou o local:
– Vertical três, horizontal quatro.

— Steve Bauer

O prédio do monastério da universidade católica em que trabalho estava para ser demolido após 104 anos de existência. Quando a bola do guindaste de demolição começou a bater, senti a aflição e a tristeza no rosto de um dos monges mais antigos, cuja ordem fundara a faculdade.
– Isso deve ser difícil para o senhor, padre – comentei. – A tradição associada a esse prédio, as lembranças de todos os alunos e monges que viveram e trabalharam aqui. Não consigo nem imaginar o quanto o senhor deve estar sofrendo.
– É pior do que isso – retrucou o monge. – Acho que deixei meu Palm Pilot lá dentro.

— P. J. Brozynski

Tenho uma amiga musicista que está sempre alto-astral. Nada a deixa deprimida. Mas, quando ela começou a sofrer de zumbido no ouvido, fiquei preocupada que isso pudesse afetá-la negativamente. Perguntei-lhe se esse problema era mais irritante para um músico. Ela fez que não com a cabeça e disse:
– Que nada. O zumbido é em si bemol, e eu uso ele para afinar meu violoncelo meio tom mais baixo.

— Kathleen Cahill

Alguns colegas de trabalho e eu decidimos tirar a caixa de sugestões de nossa sala porque quase não era usada. Resolvemos largá-la em cima de um armário de metal de dois metros de altura e esquecemos dela. Meses depois, quando a caixa foi removida por causa de uma obra, encontramos nela um pedaço de papel. A sugestão dizia: “Baixem a caixa!”

— Frank J. Monaco

Quando um colega afinador de pianos ficou doente, me incumbiu de afinar um piano em uma pensão de moças. Enquanto eu trabalhava, várias das garotas passaram para lá e para cá em diversos estágios de nudez. O ponto culminante aconteceu quando uma jovem de camisola veio me pagar. Enquanto eu preenchia o recibo, ela me lançou um olhar aturdido e em seguida saiu correndo, aos gritos:
– Ele não é nosso afinador! O afinador habitual é cego.

— Alex Byrnes

Jesus e Satã estavam no meio de uma discussão acalorada sobre quem tinha mais habilidade no uso de computadores. Por fim, Deus sugeriu que pusessem isso à prova: cada um passaria duas horas usando planilhas, criando páginas para a Internet, elaborando gráficos e tabelas – tudo o que fossem capazes de fazer. Os dois se sentaram diante do teclado e começaram a digitar, freneticamente. Pouco antes de transcorridas as duas horas, caiu uma tempestade, que acabou provocando falta de luz. Quando a energia voltou, os dois reiniciaram o computador.
– Perdi! Perdi tudo! – gritou Satã. – Não acredito! Tudo o que fiz foi apagado!
Enquanto isso, Jesus começou a imprimir seu trabalho.
– Ei, ele deve ter trapaceado! – exclamou Satã. – Como pode não ter perdido tudo?
Deus deu de ombros e disse, simplesmente:
– Só Jesus salva.

— Laura Mason

Após fazer compras numa loja cheia, outra cliente e eu saímos ao mesmo tempo, por coincidência, e nos confrontamos com a desanimadora tarefa de encontrar os carros no estacionamento lotado. Nesse instante, a buzina do meu soou, e eu pude localizá-lo com facilidade.
– Uau! – disse a mulher. – Adoraria ter um dispositivo desses para me ajudar a achar o meu.
– Na verdade – retruquei –, o dispositivo é meu marido.

— Kathy Behrenbrinker

Pouco depois de ter consertado meu carro, o mecânico me pediu que o levasse de volta à oficina. Vi quando ele abriu o capô e retirou uma ferramenta que havia esquecido lá dentro. Com um tom de ironia na voz, eu disse:
– Se você fosse cirurgião, eu o processaria.
– É, mas se eu fosse cirurgião – respondeu ele –, cobraria por ter de operar de novo.

— Jeanie Lovelady

Não fico à vontade quando tenho de falar com mecânicos. Então, quando meu carro começou a fazer um barulho esquisito, pedi a ajuda de um amigo. Ele deu uma volta no quarteirão com o carro, prestou bastante atenção no ruído e me disse como explicar o problema na oficina. Chegando lá, recitei direitinho:
– A correia está fora do lugar e as explosões estão prematuras, o que pode danificar as válvulas.
Espiando por sobre o ombro do mecânico, vi quando ele escreveu na prancheta: “A moça diz que o carro está fazendo um barulho engraçado.”

— Kate Kellogg

Quer rir mais um pouco? Então confira algumas histórias divertidíssimas que selecionamos para você.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!