Uma em cada seis pessoas no mundo ainda passa fome todos os dias. E o crescimento populacional leva a calcular que a demanda de alimentos aumentará uns 40% nos próximos 20 anos. Mas há boas notícias. Há décadas, os cientistas trabalham para criar alimentos que promovam a saúde, vençam o aquecimento global, sobrevivam a secas e, ao mesmo tempo, transformem milhões de vidas. Agora, algumas inovações brilhantes começam a aparecer…

Arroz Mergulhador

Imagine passar meses trabalhando, semeando e cuidando da plantação para alimentar a família de 22 pessoas e ver tudo ir por água abaixo.

Foi por essa adversidade que Mostafa Kamal passou. Durante quatro de cada cinco anos, o agricultor do distrito
de Rangpur, em Bangladesh, perdeu muitos pés de arroz com as inundações. Dois dos seis hectares de sua fazenda alagavam com tanta frequência que ele deixou de usá-los. E este não é um caso isolado. Quatro milhões de toneladas – o suficiente para alimentar 30 milhões de pessoas – se perdem todo ano com inundações só em Bangladesh e na Índia.

Conheça a história da startup carioca Ciclo Orgânico, que reaproveita coleta e redireciona o descarte de alimentos para a compostagem.

Mas isso pode se tornar coisa do passado. Os cientistas do Instituto Internacional de Pesquisa do Arroz, nas Filipinas, desenvolveram um arroz “mergulhador”; que sobrevive até duas semanas de imersão completa.

A plantação de arroz é feita debaixo d’água. Mas as sementes crescem muito rápido, logo lançando brotos para que encontrem a luz do sol. Isso exige muita energia e, se as plantas permanecerem submersas mais do que alguns dias, os pés morrem. O truque do arroz que resiste a inundações é adormecer caso fique tempo demais coberto por água e só voltar a crescer quando for possível chegar rapidamente à superfície.

Os pesquisadores criaram esse arroz isolando o gene que dá tolerância a inundações, uma variedade muito resistente mas cuja produção é baixa demais para uso comercial. Depois, transferiram o gene para novas “megavariedades” de elevada produção, com grão de boa qualidade e resistência a pragas.

Hora de colher os grãos…

Após três anos de testes no sul da Ásia, a primeira linhagem de arroz resistente a inundações foi liberada em fevereiro de 2009. Agora os cientistas tentam criar mais variedades adaptadas a outros ambientes.

Essa inovação levou 30 anos para ser elaborada. O Dr. David Mackill, do Instituto Internacional de Pesquisa do Arroz, seu principal desenvolvedor, tentou criar um arroz como esse na década de 1980, mas a ciência ainda não estava suficientemente avançada, e o resultado tinha um sabor horrível. Mas a perseverança rendeu frutos. Mostafa foi um dos fazendeiros que testou as sementes resistentes a inundações. Ele viu a safra aumentar 50% e diz que isso mudou sua vida. “Dois hectares a mais de produção é um grande salto.”

Espera-se que até 2021 o arroz esteja à disposição de aproximadamente 18 milhões de famílias de agricultores nos países em desenvolvimento.