Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 8 de julho de 2020

Estudante é encontrada morta após desaparecer durante caminhada no litoral de SP

Imagem:

SÃO PAULO, SP – O corpo da estudante Julia Rosenberg Pearson, 21 anos, foi encontrado enterrado em uma cova rasa, por volta das 6h50 desta segunda-feira (6), em São Sebastião (191 km de SP), perto de uma trilha que ela costumava fazer. A jovem havia sido vista pela última vez no início da manhã do dia anterior, quando saiu para caminhar entre as praias de Paúba e Maresias. A polícia ainda não identificou suspeitos do crime.

Segundo o boletim de ocorrência, o corpo foi encontrado por por um morador da região e por PMs que faziam buscas pela jovem. Ela estava coberta por folhas, perto de uma antena de transmissão de telefonia móvel. Julia morava na capital paulista, onde estudava medicina veterinária, e foi passar a quarentena em São Sebastião, segundo o Agora apurou.

Ainda de acordo com a polícia, a perícia constatou sinais de estrangulamento no corpo Um pedaço de cinto estava em volta do pescoço da jovem, e um tecido foi encontrado na boca da vítima. Por enquanto, a polícia descarta violência sexual, mas aguarda laudos para confirmação.

Julia Rosenberg Pearson, 21 anos, desapareceu após ao fazer uma trilha, domingo (5), em São Sebastião (191 km de SP). O corpo da jovem foi encontrado enterrado em uma cova rasa, por volta das 6h50 do dia seguinte, em um matagal perto da trilha que costumava fazer, entre as praias de Paúba e Maresias A polícia acredita que a vítima foi abordada por ao menos um suspeito. Os investigadores trabalham com as hipóteses de que a jovem foi enganada pelo assassino ou ameaçada para sair do da trilha onde estava, pois havia sinais de que ela foi arrastada.

Uma testemunha afirmou em depoimento ter visto um homem saindo do local onde o corpo de Julia foi encontrado, por volta das 10h, ainda no domingo, perto da torre de telefonia móvel. A mulher que fez o relato também fazia trilha e desconfiou de um homem de cerca de 1,70 m de altura, pardo, vestindo camiseta marrom, chinelo branco, calça ou bermuda cinza, que não levava nada consigo.

Um homem chegou a ser encaminhado ao 2º DP de São Sebastião, após ser apontado como suspeito por meio de uma denúncia anônima. Ao ser ouvido pela polícia, ele negou envolvimento no crime. Ele apresentou um álibi que, "salvo pequenas contradições", confirmam a versão dele, diz a polícia.

Investigadores coletaram imagens de câmeras de monitoramento, que serão analisadas para ajudar a identificar o autor do crime. Em um dos vídeos, Julia é vista caminhando sozinha às 7h24.

A jovem foi enterrada nesta terça-feira (7) no cemitério Israelita, no Butantã (zona oeste de SP).

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados