Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 10 de julho de 2020

Polícia investiga três suspeitos pela morte de estudante que fazia caminhada no litoral de SP

Imagem:

SÃO PAULO, SP – A polícia de São Sebastião (191 km de SP), no litoral norte paulista, investiga três suspeitos pela morte da estudante de veterinária Julia Rosenberg Pearson, 21 anos. A jovem desapareceu no manhã de domingo (5), quando saiu para fazer uma caminhada entre as praias de Paúba e Maresias. Seu corpo foi encontrado no dia seguinte em uma cova rasa.

Moradora na capital paulista, ela estava no litoral, junto com parentes, desde o início da pandemia da Covid-19, onde fazia a quarentena.

A polícia encontrou manchas de uma substância ainda não identificada nas calças usadas por Julia. Dois dos suspeitos, segundo apurou a reportagem, já prestaram depoimento no 2º DP de São Sebastião e teriam se comprometido a entregar material genético para ser confrontado com o encontrado na roupa da jovem.

A polícia aguarda resultados de exames de perícia para confirmar o que seriam as três manchas.

O terceiro suspeito ainda era procurado, por investigadores do litoral norte paulista. Ninguém havia sido preso até a publicação desta reportagem.

No dia em que o corpo de Julia foi encontrado, um homem chegou a ser encaminhado ao 2º DP de São Sebastião, após ser apontado como suspeito, por uma denúncia anônima. Ao ser ouvido pela polícia, ele negou envolvimento no crime. O homem apresentou um álibi que, "salvo pequenas contradições", confirmam a versão dele, disse a polícia, na ocasião.

Segundo o boletim de ocorrência, o corpo de Julia foi encontrado por um morador da região e por PMs que faziam buscas pela jovem. Ela estava coberta por folhas, perto de uma antena de transmissão de telefonia móvel.

Ainda de acordo com a polícia, a perícia constatou sinais de estrangulamento no corpo da estudante. Um pedaço de cinto estava em volta do pescoço da jovem e um tecido foi encontrado na boca da vítima. Por enquanto, a polícia descarta violência sexual, mas aguarda laudos para confirmação.

Investigadores coletaram imagens de câmeras de monitoramento, que serão analisadas para ajudar a identificar o autor do crime. Em um dos vídeos, Julia é vista caminhando sozinha às 7h24.

O delegado seccional Múcio Mattos Monteiro de Alvarenga enviou nota à imprensa afirmando que o Núcleo de Perícias Criminais de São Sebastião colheu "relevantes indícios" que poderão "servir para apontar o autor do crime."

"Da mesma forma, o doutor Ricardo Cortez, na sede do Instituto de Médico Legal, constatou, quando da realização do devido exame necroscópico, evidências que também podem servir para o mesmo propósito", diz trecho do documento. Não são especificados os indícios e evidências mencionados.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB) afirmou que as investigações sobre a morte da estudante "estão em andamento". "Por hora não há novidades ou detalhes que possam divulgados para não prejudicar o trabalho policial", diz trecho de nota.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados