Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 3 de julho de 2020

Presidente da Caixa anuncia redução de taxa de juros do cheque especial para 1,8% ao mês

Imagem:

BRASÍLIA, DF – O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse nesta que quinta-feira (26) que o banco público reduziu a taxa de juro do cheque especial de 2,9% para 1,8% ao mês.

Em março, o banco já havia reduzido a taxa de 4,95% para 2,9% ao mês.

"Nunca vi nada parecido. É basicamente a menor taxa até de crédito pessoal", disse Guimarães ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em live no Palácio da Alvorada.

Guimarães afirmou que espera reduzir ainda mais a taxa, mas que esta redução ainda possibilita ao banco ser rentável.

O presidente disse não querer que ninguém se endivide ou "vá para o cheque especial", mas recomendou que, quem precisar, procure a Caixa.

"Como eu não entendo de economia e tá dando certo, quero continuar não entendendo", disse Bolsonaro.

Na live, também foi mencionado que o governo deve lançar nos próximos 15 dias um novo programa habitacional.

De acordo com o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), que também participou da live, a ideia é diminuir a taxa de juro habitacional, além de criar um programa de legalização fundiária.

"Temos hoje 10 milhões a 12 milhões de unidades habitacionais que não têm escritura pública. O programa vai apoiar municípios para que possam fazer valer a legislação", disse Marinho.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados