A fome constante pode ser resultado da ingestão insuficiente de calorias ou ainda um indicativo de que a saúde está com problemas. Para aqueles que desejam perder peso, a falta de saciedade costuma ser uma das maiores queixas.

No entanto, todos aqueles que não levam uma rotina puxada devem se questionar quando a quantidade de comida que consomem parece não ser suficiente.

Leia também: 8 tipos de transtornos alimentares que podem prejudicar a sua saúde

A razão para essas questões pode estar em problemas de saúde como hormônios desregulados ou condições mentais extenuantes.

Preparamos uma lista com alguns dos problemas de saúde mais comuns que podem ser a causa da sua fome constante:

Diabetes

Para aqueles que têm diabetes do tipo 1 e 2, lidar com o controle do nível de açúcar no sangue e com a fome pode ser particularmente difícil.

Principalmente se, após um processo de baixa no açúcar, comerem descompensadamente e entrarem num quadro de hiperglicemia.

É preciso manter uma dieta que tenha constância e fuja de farinha de trigo e açúcar refinado.


Obesidade

O obesidade é um ciclo vicioso, pois o aumento de peso no corpo pode levar a ganhar ainda mais.

Isso acontece pelo acúmulo de tecido adiposo, responsável por aumentar a insulina e, por conseguinte, o apetite.

O hormônio da saciedade, leptina, também é liberado com maior dificuldade em pessoas obesas e isso atrapalha o processo alimentar delas.

O aumento da massa magra do corpo, isto é, dos músculos, pode ajudar a enfrentar esse problema.


Verminoses

Muito comuns, alguns tipos de verminoses podem causar excesso de fome.

Não é somente em contextos precários que se pode pegar vermes, mas também pela falta de higiene adequada com os alimentos a serem consumidos em casa e em restaurantes.

Mesmo com a cultura de “vermifugar” rotineiramente, faça os exames acompanhado de um médico e tome o remédio prescrito, nunca sozinho.


créditos: Karolina Grabowska/Pexels

Medicamentos

Alguns remédios são conhecidos por aumentar o apetite, como antidepressivos, anticonvulsionantes ou corticoides.

Apesar desse efeito não ser um problema, algumas pessoas podem se sentir incomodadas com o possível ganho de peso.

Entretanto, não devem mexer na dosagem ou parar de tomar o remédio sem consultar o médico.