Hoje, os cientistas sabem muito mais sobre as causas do câncer de intestino e, por conseguinte, os meios de evitá-lo. Fatores sob nosso controle, como alimentação e estilo de vida, são significativos. Confira algumas outras formas de você proteger seu intestino.

1. Levante-se e fique de pé 

É provável que não seja surpresa para você escutar que permanecer sentado durante horas está associado a um maior risco de dor nas costas, doença cardíaca, trombose venosa profunda, diabetes e obesidade. Mas você sabia que a inatividade associada ao fato de ficar sentada por longos períodos, sem intervalo, agora também está ligada a um maior risco de diversos tipos de câncer e, que o câncer de cólon está no topo da lista? Permanecer sentado durante períodos prolongado leva ao aumento da inflamação do organismo. Uma pesquisa canadense sugere que a inflamação crônica é um fator predisponente de câncer de cólon e de muitos outros tipos. Para reduzir o risco, existem diversas medidas fáceis, que você mesmo pode tomar:

2. Faça um intervalo  
Se você trabalha sentado, levante-se e ande um pouco pelo menos a cada hora — pelo escritório, pelo corredor, qualquer lugar serve.

3. Envie menos e-mails
Caso você possa cruzar a sala ou dar um pulo no andar de cima para falar com um colega em vez de enviar um e-mail, aproveite a oportunidade.

4. Almoce fora
Não almoce em sua mesa. Coma ao ar livre se se o tempo permitir; do contrário, ache um local fechado adequado.

5. Fale e ande
Se você passa muito tempo ao telefone, levante-se enquanto fala e, ao mesmo tempo, ande, se possível.

6. Use a força do pedal
Para não incomodar os outros, você pode investir em um cicloergômetro compacto para colocar sob sua mesa de trabalho. Isso vai permitir treinar enquanto permanece sentado.

7. Saia ao sol

Os benefícios da exposição regular (mas não excessiva) à luz do sol estendem-se à prevenção de câncer de cólon. É essencial evitar queimaduras, mas seu corpo precisa de vitamina D, produzida quando a pele é exposta ao sol, para permanecer saudável e evitar o câncer de cólon e outros. É preciso expor os membros e o rosto ao sol regularmente, nos horários recomendados, sem filtro solar. Essa exposição pode ser de até 30 minutos, porém a pele mais escura pode ser exposta por mais tempo. Tomar um suplemento de vitamina D e comer peixes oleosos também é benéfico.

8. Dose dupla de AAS 

Com as evidências crescentes de que o ácido acetilsalicílico pode evitar sua disseminação, alguns médicos recomendam que pessoas com alto risco de câncer de intestino tomem não só uma dose por dia, mas duas. Pessoas com ligação genética ao câncer de intestino têm risco dez vezes maior de desenvolvê-lo — e com frequência isso ocorre na juventude. Dois comprimidos de AAS de baixa dosagem por dia podem reduzir os riscos em 60%. É um tratamento converso, que acarreta o risco de úlcera gástrica ou anemia decorrente de algum pequeno sangramento crônica no trato digestivo. Se na sua família há casos de câncer de intestino, converse com seu médico.

9. Vença o câncer com arroz integral

O antigo debate sobre se alimentar ricos em fibras podem ajudar a evitar o câncer de intestino parece finalmente ter sido resolvido de forma conclusiva. Após uma grande revisão, envolvendo quase 2 milhões de pessoas, cientistas mostraram que comer muitos grão e cereais integrais — particularmente arroz e aveia — de fato protege contra esse câncer. Se sua digestão permitir, inclua o arroz integral e a aveia no cardápio com a maior frequência possível, como um modo fácil de manter a saúde do seu intestino.

10. Repolho contra o câncer

Foi demonstrado que a substância química singrina — produzida quando vegetais verdes como o repolho são picados, cozidos, mastigados e digeridos — enfraquece as células cancerígenas e impede sua multiplicação. A singrina é convertida no organismo na substância anticancerígena alil-isotiocianato. Comer suas verduras cozidas vai ajudar a prevenir o câncer, inclusive o do sistema digestivo.

11. Recorra aos peixes (gordurosos) para proteger o sistema digestivo

Os ácidos graxos ômega-3 são essenciais para uma boa digestão, e ótimas fontes são os peixes oleosos (como sardinha, cavala e salmão), o óleo de linhaça e o óleo de peixe. Estudos mostram que o consumo de óleo de peixe reduz o número de episódios de Crohn. E mais: pessoas que ingerem óleo de peixe toda semana reduzem o risco de câncer do cólon e do reto em até 40%. Para cada porção extra de peixe por semana, o risco de desenvolver câncer é reduzido em mais 4%.

12. Hora de parar

Fumar aumenta o risco de câncer colorretal — e esse efetivo adverso parece ser mais duradouro nas mulheres. Pesquisadores mostraram que as mulheres. Pesquisadores mostraram que as mulheres que deixaram de fumar há até dez anos ainda têm risco aumentado de câncer colorretal decorrente do tabagismo — embora o impacto tenha desaparecido em ex-fumantes homens. Lembre-se de que é importante mencionar seu histórico de tabagismo para o médico quando estiver considerando submeter-se a exames de triagem — e, se você fuma, quanto antes para melhor.