Talvez você saiba que as fibras da maçã e do brócolis ajudam a evitar diabetes e doenças cardíacas, que os antioxidantes das frutinhas vermelhas têm poder anticâncer e que a proteína da carne magra compõe os músculos. Mas sabia que as sementes de linhaça reduzem os calores da menopausa? Ou que abóbora é um alimento tolerado por quem tem doença de Crohn? Eis aqui mais 12 alimentos que são mais saudáveis do que você pensava.

Aspargo para pressão alta

foto: hydrangea100/iStock

 

O aspargo contém o diurético natural asparagina, que ajuda o corpo a se livrar do excesso de líquido e sal. Isso é bom para pessoas com edema causado pela pressão alta. Além disso, as vitaminas B do aspargo auxiliam no combate à depressão e ao declínio cognitivo. Mas, se você tem gota, evite. O aspargo contém purinas, que podem provocar ataques dolorosos.

Chá para infecções

foto: Alexthq/iStock

 

A L-teanina, substância contida no chá, aumenta em até 50 vezes o número de células T gama-delta (células imunes do sangue que atuam na defesa do organismo contra infecções). Mas o chá, se tomado com uma refeição rica em ferro, pode reduzir em mais de 80% a absorção desse mineral. Tome entre as refeições ou acrescente limão para minimizar o efeito.

Carne de porco e energia

foto: margouillatphotos/iStock

 

A carne de porco é uma fonte importante de tiamina, vitamina do complexo B providencial na conversão de carboidratos em energia para o corpo e o cérebro. Também é fundamental para o funcionamento do coração, dos músculos e do sistema nervoso. E o zinco da carne de porco ajuda a fortalecer o sistema imunológico, construir proteínas e sarar feridas.

Cebola para câncer de pulmão

foto: ehaurylik/iStock

 

Um estudo publicado na revista Journal of the National Cancer Institute mostrou uma correlação significativa entre a ingestão elevada de flavonoides de alimentos como a cebola e a redução do risco de câncer de pulmão. A cebola também ajuda a aumentar o colesterol bom (HDL).

Queijo para a saúde bucal

foto: jantroyka/iStock

 

A gordura que existe naturalmente na maioria dos queijos recobre os dentes e atua como barreira natural contra bactérias. O queijo também contém caseína, proteína que oferece proteção natural aos dentes. Mas os queijos envelhecidos, como roquefort e camembert, podem provocar enxaqueca em algumas pessoas.

Limão para cálculos renais

foto: Karisssa/iStock

 

O ácido cítrico do suco de limão ajuda a evitar alguns tipos de cálculo renal porque reduz a excreção de cálcio pela urina. A casca do limão também é rica no composto rutina, que fortalece a parede de veias e capilares e, potencialmente, diminui a dor e a gravidade das veias varicosas.

Damasco para os olhos

foto: Tetiana_Chudovska/iStock

 

O damasco, principalmente quando seco, contém muito betacaroteno, que ajuda a prevenir catarata e degeneração macular relacionada à idade. Além disso, o damasco seco é rico em ferro e potássio, essenciais para o funcionamento dos nervos e músculos.

Banana para depressão e ansiedade

foto: bhofack2/iStock

 

Uma banana média representa 30% da ingestão diária recomendada de vitamina B6, que ajuda o cérebro a produzir a serotonina. Ela também contém triptofano, que alivia a depressão e a ansiedade. Mas cuidado: a banana (como o mamão e o abacate) pode provocar reação alérgica em quem for sensível ao látex.

Mostarda para ossos bons

foto: Nataliia Mysak/iStock

 

A mostarda contém fósforo e manganês, que contribuem para o fortalecimento de ossos e dentes. Também é fonte de selênio, que protege de câncer e doença cardíaca, e magmagnésio, que ajuda a reduzir inflamações, pressão arterial e glicemia.

Farelo para diverticulite

fonte: ConstantinosZ/iStock

 

Incluir farelo de trigo numa alimentação rica em fibras pode prevenir a diverticulite, problema intestinal em que as pequenas vilosidades da parede do cólon se inflamam. No entanto, o ácido fítico do farelo cru inibe a absorção de cálcio, ferro, zinco e outros sais minerais importantes.

Mamão para artrite

foto: PauloVilela/iStock

 

Um mamão de tamanho médio fornece mais do dobro da dose diária recomendada de vitamina C. Um estudo com mais de 20 mil participantes constatou que a taxa de artrite reumatoide de quem ingeria menos vitamina C nos alimentos era mais que o triplo da taxa dos que consumiam mais.

Beterraba para um cérebro melhor

foto: dianazh/iStock

 

A beterraba produz óxido nítrico, que ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo no corpo e no cérebro, reduzindo o risco de doença de Alzheimer e demência vascular. Mas as folhas são ricas em oxalato, que pode criar cristais e contribuir para a formação de cálculos renais.