Há algum tempo já é possível substituir os absorventes descartáveis por opções mais sustentáveis. E a calcinha absorvente é uma delas. Mas nem todas as mulheres se sentem seguras para realizar essa mudança.

Muitas nunca tiveram contato com outro tipo de absorvente que não fosse o descartável ou o interno. Por isso, sempre surgem dúvidas e medos, como o de vazamento, por exemplo.

Mas já é possível encontrar no mercado calcinhas eficazes, que garantem máxima proteção. Além disso, elas têm a duração de mais de 1 ano; deixando de gerar, aproximadamente, 4 kg de lixo que levam 400 anos para se decompor. Veja outras vantagens!

1. São desenvolvidas para cada tipo de fluxo

Para cada intensidade de fluxo existe um modelo de calcinha. É possível escolher a sua de acordo com o seu fluxo menstrual, gerando mais segurança na hora de comprar. Além disso, elas possuem uma duração média padrão.

Fonte: JulyProkopiv/iStock

Geralmente, calcinhas para fluxos leves a moderados têm mais tempo duração. Já os fluxos intensos e noturnos reduzem esse período de uso. Para os primeiros dias vale testar em casa, até reconhecer suas necessidades e se adaptar. Entretanto, ao contrário dos coletores menstruais, elas não suportam mais de 12 horas de fluxo.

2. Elas precisam ser trocadas durante o dia

A calcinha absorvente funciona. No entanto, por não absorver o fluxo por mais de 12 horas, é preciso ter sempre uma de reserva na bolsa. Esse é sem dúvida um ponto negativo para quem já é usuária fiel dos coletores menstruais; que podem ser lavados e reutilizados na hora.

A solução é ter sempre um saquinho para acondicionar a calcinha suja enquanto não chega em casa. Mas, atenção! Ela precisa ser lavada em até 12 horas para que o sangue não fique impregnado no tecido e para que depois seja mais fácil de lavar.

3. Calcinhas absorventes não deixam odor

Com várias camadas de absorção, as calcinhas não costumam exalar aquele cheiro característico de menstruação. As marcas fabricantes no Brasil afirmam que, mesmo depois de horas de uso, seus produtos não revelam odor.

Fonte: AtlasStudio/iStock

4. Elas são hipoalergênicas

Existe um modelo padrão de fabricação que constitui em camadas diferentes de absorção. Mas a primeira, a que estará em contato com a sua pele, costuma ser hipoalergênica, ou seja, com baixa probabilidade de causar alergias. Além disso, costumam ser antibacterianas!

Essa camada é feita de algodão e permite a passagem do sangue. Portanto, o fluxo não ficará em contato com a pele, ele será absorvido pelas camadas seguintes, deixando-a sempre seca.

5. São à prova de vazamento

O número de camadas de uma calcinha pode variar de fabricante para fabricante e de acordo com o tipo para cada fluxo. No entanto, há uma padronização quanto à última camada, que sempre será impermeável.

Fonte: Iurii Maksymiv/iStock

Sendo assim, é possível afirmar que pelo tecido da calcinha o sangue não irá passar. Essa confecção permite mais segurança no dia a dia e também à noite, quando o fluxo se intensifica.

6. São fáceis de lavar e secar

O tecido utilizado nas calcinhas absorventes são muito fáceis de lavar. Com um pouco de sabão neutro ou de coco dá para lavar no banho. Se for colocar na máquina de lavar, opte por usar um saquinho para peças delicadas.

Se você tiver um fluxo intenso, retire o excesso de sangue da calcinha antes de colocá-la na máquina de lavar.

Não utilize amaciante ou alvejante, pois podem danificar a camada impermeável. Além disso, seque ao sol ou na sombra, mas não convém colocar na secadora.

Por Thaís Garcez