Faça uma busca
|
Publicado em: 29 de abril de 2020

7 dicas para prevenir crises de asma

Algumas mudanças no dia a dia podem ajudar a evitar crises, confira.

Imagem: AntonioGuillem/iStock

A asma é uma doença pulmonar crônica na qual há redução do calibre das vias respiratórias, provocando sibilos, sensação de aperto no peito e dificuldade para respirar. Saiba mais sobre a doença e como prevenir as crises a seguir.

Embora a asma seja uma doença crônica, as alterações que ocorrem durante a crise são temporárias, e os pulmões em geral funcionam normalmente fora dela. Entre os gatilhos mais comuns estão a exposição a fumaça de cigarro, poluição urbana, ácaros, baratas, animais de estimação e pólen.

Quando a doença começa ainda na infância, a frequência e a intensidade das crises tendem a melhorar com a idade e podem desaparecer na vida adulta. No entanto, alguns adultos têm recaídas, muitas vezes após infecções virais. Além disso, a asma é considerada um fator de risco em caso de Covid-19.

Algumas crises são logo revertidas por medicamentos broncodilatadores, que “abrem” as vias respiratórias. Outras são prolongadas e exigem uma injeção de adrenalina e corticosteroides.

Como prevenir crises de asma

É comum alergias alimentares desencadearem crises de asma; nesses casos, a identificação dos desencadeadores é muito difícil. As recomendações gerais abaixo ajudarão a diminuir as chances de crise ou complicações:

cookiecatagency/iStock

1. Reduza a exposição aos gatilhos

É importante evitar exposição a fumaça de cigarro, ar frio, exercício extenuante ou alérgenos. A asma sazonal é desencadeada por diversos polens, fungos e outros fatores ambientais.


vadimguzhva/iStock

2. Controle seu peso

Alguns estudos identificaram uma relação entre o ganho de peso e a asma que tem início na vida adulta. Além disso, quando pessoas obesas com asma perdem peso, pode haver melhora nos sintomas.


Edalin/iStock

3. Identifique os alimentos gatilhos

Pessoas alérgicas a fungos ou a mofo podem reagir a fungos em queijos, cogumelos e cachorros-quentes, ou a alimentos fermentados, inclusive molho de soja, cerveja, vinho e vinagre. Leia com cuidado os rótulos dos alimentos e fique atento ao cardápio do restaurante quando for comer fora.


margouillatphotos/iStock

4. Coma mais peixes gordurosos

Os ácidos graxos ômega-3 presentes em salmão, cavala, sardinha e outros peixes de água fria têm efeito anti -inflamatório e podem combater a inflamação brônquica.


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados