Inchaço? Azia? Sobrancelhas ralas? Quase todos nós temos algum probleminha de saúde ao qual não damos atenção. Mas observar os sinais do corpo de que algo não está certo agora pode evitar um grande transtorno mais tarde – e talvez até salvar a sua vida!

Confira a seguir 9 sinais que você não pode ignorar e descubra o que fazer:

lenanet/iStock

1. Perder o canto externo das sobrancelhas

Por que se incomodar?

“Sobrancelhas ralas podem ajudar a diagnosticar casos mais avançados de hipotireoidismo”, diz Paulo Lacativa, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Ter essa pista extra facilita o diagnóstico, quando analisada em conjunto com outros sintomas, que podem variar de acordo com a idade do paciente.

“Nas pessoas mais novas, além do inchaço no pescoço (bócio), costumam surgir sintomas como sonolência, frio, prisão de ventre, pele ressecada e cabelo quebradiço. Já nos mais velhos, a depressão é o sintoma mais comum”, explica o especialista.

O hipotireoidismo resulta de uma glândula tireoide hipoativa, que faz com que o corpo funcione mais devagar, e aumenta os riscos de cardiopatias, glaucoma e demência.


jarun011/iStock

O que fazer?

Um exame de sangue revela se os níveis do hormônio estimulante da tireoide (TSH) ou do hormônio tiroxina estão baixos demais. Se estiverem, é preciso passar a vida toda tomando comprimidos receitados pelo endocrinologista.


master1305/iStock

2. Estômago inchado

Por que se incomodar?

O câncer de ovário tem sintomas imprecisos que os médicos e as mulheres podem não perceber. Mas, segundo Luiz Mathias, chefe da Ginecologia do Instituto Nacional do Câncer (INCA), “o sintoma com mais alto risco de câncer de ovário é o aumento persistente do tamanho do abdome”. Outros sintomas incluem dificuldade de comer e sensação de estar cheia ou estufada, além de dor pélvica, nos casos mais avançados. A sobrevida chega a quase 100% se o diagnóstico for precoce, mas diminui exponencialmente se a paciente esperar muito para ir ao médico.

Sandra Clarke, que vive na Alemanha com o marido, recebeu o diagnóstico de câncer no ovário aos 21 anos. Percebeu que engordara um pouco e que a calça jeans parecia apertada, mas não deu muita atenção. O que a fez procurar o médico foi uma dor aguda no abdome, que ela achava que devia tratar antes de viajar nas férias de verão.

“Deve ter sido a decisão mais sábia da minha vida”, diz. “O médico me disse que eu tinha um tumor e que precisava me internar o mais rapidamente possível.”

Sandra extraiu o ovário direito e a tuba uterina, e passou por uma exaustiva quimioterapia. Mas, se tivesse demorado mais tempo, teria sido necessária uma histerectomia total. Sandra, agora com 33 anos, sabe que ainda pode ter filhos.


Antonio_Diaz/iStock

O que fazer?

Um ginecologista pode fazer um exame à procura de cistos e, então, recomendar exames de ultrassom e de sangue.