O ácido fólico, ou vitamina B9, foi identificada pela primeira vez na década de 1940, tendo sido extraída do espinafre. Como o organismo não consegue armazená-la por muito tempo, é preciso repô-la diariamente. No organismo, ele é utilizado milhares de vezes ao dia para “fabricar” células sanguíneas, curar ferimentos, “produzir” músculos etc.

Além disso, o ácido fólico é fundamental para a formação do DNA e RNA e garante que as células se duplique normalmente. Sobretudo, é importante no desenvolvimento fetal e ajuda a produzir substâncias químicas essenciais para o cérebro e o sistema nervoso.

Principais funções

Níveis adequados de ácido fólico por ocasião da concepção e durante os três primeiros meses de gravidez reduzem bastante o risco de defeitos congênitos graves. Essa vitamina também regula a produção e o uso pelo organismo de homocisteína – uma substância semelhante a um aminoácido que, em níveis elevados, pode lesar o revestimento dos vasos sanguíneos, tornando-os mais suscetíveis à formação de placas aterosclerótica. Além disso, pode ajudar na prevenção de determinados cânceres, inclusive os de pulmão, colo uterino, cólon e reto.

Conheça 12 dicas para prevenir o câncer colorretal.

Turma da Mônica e Corpo Humano

Benefícios adicionais

A vitamina B9 pode ajudar na depressão. Como níveis elevados de homocisteína podem contribuir para essa condição, alguns especialistas acreditam que ela poderia ser eficaz; já que pessoas com depressão muitas vezes têm carência de ácido fólico. Os suplementos de B9 também têm-se mostrado úteis no tratamento da gota e da síndrome do cólon irritável. Como níveis elevados de homocisteína podem ser fator contribuinte para a osteoporose, o ácido fólico poderia ajudar a manter os ossos fortes.

Entenda melhor a osteoporose e como evitar essa doença.

De quanto você precisa?

Embora seja relativamente rara, a deficiência aguda de ácido fólico pode causar uma forma de anemia, diarreia crônica e atraso no crescimento. Os alcoólatras e aqueles que tomam determinados medicamentos para câncer ou epilepsia são suscetíveis à deficiência aguda. Porém, muito mais comum é um nível baixo da vitamina; que não provoca sintomas, mas eleva o risco de doença cardíaca ou de defeitos congênitos. O Ministério da Saúde sugere um limite superior diário de 1.000 mcg para os adultos.

  • Para manter a saúde e prevenir doenças cardíacas – dose diária de 400 a 800 mcg
  • Para mulheres que podem engravidar – dose total diária de 800 mcg (reservas adequadas de ácido fólico são importantes pois a vitamina participa do desenvolvimento dos bebês desde a concepção.)
  • Pessoas com depressão – 400 mcg ao dia como parte de um suplemento de complexo B

Compre um suplemento de ácido fólico que também tenha vitamina B12. Uma dose excessiva de um pode mascarar uma deficiência do outro.

Outras excelentes fontes de ácido fólico são os vegetais verdes, feijões, grãos integrais e suco de laranja. Alguns derivados de trigo integral também costumam ser enriquecidos com ácido fólico.

Se você tiver algum problema de saúde, físico ou psiquiátrico, converse com seu médico antes de tomar suplementos.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!