A anemia é um quadro clínico em que há falta de glóbulos vermelhos no sangue ou deficiência de hemoglobina nessas células. Na anemia, o organismo não consegue ter acesso a oxigênio suficiente, daí a fraqueza e o cansaço. Embora possa não haver sintomas, esse é um quadro que pode ser uma ameaça à vida caso não seja diagnosticado e tratado. Se você suspeitar de que está anêmico, é indispensável procurar imediatamente um médico, para verificar a causa. O tratamento irá variar, dependendo do diagnóstico.

Principais sintomas

  • Fraqueza, cansaço, tontura, irritabilidade ou confusão mental.
  • Palidez, especialmente das gengivas e conjuntivas ou debaixo das unhas.
  • Palpitações, falta de ar.
  • Feridas na boca ou na língua, tendência fora do comum para ter equimoses ou sangramentos.
  • Dormência ou formigamento dos pés ou das mãos.
  • Náuseas e diarreia.

Causas da anemia

A deficiência de ferro, causa mais comum da anemia, em geral deve-se a uma perda gradual e a longo prazo de sangue. Desse modo, debilita as reservas de ferro no organismo. Quando ele é insuficiente, os níveis de hemoglobina caem. Veja como evitar a deficiência de ferro no organismo.

Mulheres no período menstrual, principalmente aquelas cujo fluxo é intenso, têm tendência à anemia por deficiência de ferro. Entretanto, tanto homens quanto mulheres podem desenvolver essa deficiência por qualquer doença que provoque sangramentos lentos. Por exemplo: hemorroidas; pólipos retais ou úlceras; câncer de cólon ou estômago; uso prolongado de anti-inflamatórios esteroides. Como hoje em dia muitos alimentos são enriquecidos com ferro, dificilmente uma anemia desse tipo pode ser atribuída à carência desse mineral na alimentação.

A maioria das mulheres, depois da menopausa, e dos homens, independentemente da idade, se alimentam com quantidades adequadas de ferro e não devem tomar suplementos multivitamínicos e minerais que o contenham. O excesso de ferro atua como “oxidante”, gerando moléculas nocivas, denominadas radicais livres, que aumentam o colesterol e bloqueiam as artérias. O excesso de ferro foi associado a doenças cardíacas.

Menos comuns são as anemias por deficiência de vitamina B12 ou ácido fólico. Esses dois nutrientes são essenciais à produção de glóbulos vermelhos. Alcoólatras, fumantes, pessoas com certos problemas digestivos, vegetarianos, indivíduos com mais de 50 anos e mulheres grávidas ou que estejam amamentando apresentam maior risco. Isso ocorre pela má nutrição ou pela incapacidade de absorverem adequadamente essas duas substâncias. As outras formas de anemia podem ser atribuídas a doenças crônicas, como câncer, lúpus ou artrite reumatoide. Ou ainda, doenças hereditárias, como anemia falciforme; ou exposição a drogas tóxicas, produtos químicos ou radiação.

Anemia profunda

A anemia falciforme é um tipo de anemia profunda que requer cuidados especiais. Ela se caracteriza pela deformação e quebra dos glóbulos vermelhos do sangue. Nesse caso, o tratamento é feito por meio de medicamentos e transfusão de sangue. Também por isso, é importante que os bancos de sangue estejam sempre abastecidos. Para doar sangue, você precisa:

Para evitar qualquer tipo de anemia, coma alimentos ricos em ferro – feijões, fígado, carne vermelha, nozes e mariscos -, em ácido fólico – frutas cítricas, aspargos, espinafre, cogumelos, soja – e em vitamina B12 – queijo, peixe e ovos.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!