Em meio a polêmicas, o Sistema Único de Saúde (SUS) incorporou em sua rede dez novas terapias alternativas. Com a ampliação o SUS passa a oferecer o total de 29 terapias alternativas, também chamadas de Práticas Integrativas Complementares (PICs). Dentre as novas práticas aceita pelo Sistema Único de Saúde está a aromaterapia.

A aromaterapia é um tratamento que consiste na utilização de óleos essenciais e outras fragrâncias com o objetivo de melhorar o bem-estar físico e psicológico.

Apesar de toda a polêmica envolvendo a decisão, muitos estudos vem sendo realizados pelo mundo comprovando o efeito que alguns aromas podem causar nos seres humanos. Confira abaixo alguns deles:

Amêndoas aliviam a dor

Pesquisadores canadenses pediram que 20 mulheres e homens mergulhassem as mãos em água muito quente enquanto eram expostos a diversos aromas. Quando sentiram cheiros agradáveis, como o de extrato de amêndoas, as mulheres relataram 38% menos dor; elas tiveram níveis mais altos de dor com odores adstringentes, como vinagre. Os aromas não afetaram a dor dos homens. Especialistas afirmam que aromas específicos podem ser usados para dar mais conforto aos pacientes no pós-operatório, porém mais pesquisas ainda são necessárias.

Jasmim melhora o sono

Em um estudo apresentado em 2001, pesquisadores analisaram 20 pessoas enquanto dormiam em cômodos com cheiro de jasmim, lavanda ou sem aroma algum. Os participantes se mexeram menos durante o sono e relataram níveis de ansiedade mais baixos depois de sentir o aroma de jasmim. Também se saíram melhor em testes de cognição, o que pode ajudar estudantes ou atletas que têm problemas para dormir.

Limão contra a tristeza

Em um estudo japonês, pesquisadores expuseram 12 pacientes com depressão a uma mistura aromática cítrica (composta sobretudo de óleo de limão) circulada na ventilação de uma sala na qual passavam a maior parte do tempo. O aroma regulou os níveis hormonais, aumentou a imunidade e diminuiu as dosagens de antidepressivos de que os pacientes precisavam. Para levantar o ânimo, aplique óleo essencial de capim-limão na parte interna do pulso.

Pimenta-do-reino ajuda a parar de fumar

Em um estudo de 2013 publicado no Journal of Alternative and Complementary Medicine, fumantes cheiraram óleos essenciais de pimenta-do-reino ou de angélica. Ambos reduziram a vontade de fumar. Os que inalaram a pimenta relataram uma suave sensação de ardência na garganta, semelhante à que experimentavam ao fumar. Enquanto o grupo da angélica descreveu um relaxamento similar ao induzido pelo cigarro. Os pesquisadores sugerem que os fumantes cheirem uma gota dos óleos, juntos ou separados, quando bater a vontade de fumar.

Canela melhora o equilíbrio

Quando o neurologista Alan Hirsch, da Fundação para o Tratamento e Pesquisa de Olfato e Paladar, aplicou a 11 participantes um teste de estabilidade, dez tiveram melhora ao sentir o aroma de um pão de canela, em comparação com outros aromas. O tempero também pode estimular outras habilidades motoras. Pesquisadores da Universidade Jesuíta Wheeling descobriram que a canela diminui a fadiga e a irritação com o trânsito e aumenta a atenção dos motoristas. O tempero estimula o sistema nervoso central, melhorando o desempenho e a motivação.

Banana diminui a fome

Em um estudo conduzido pelo Dr. Hirsch, mais de 3 mil pessoas acima do peso foram expostas a aromas como banana e maçã verde quando sentiam fome. Elas perderam em média 2,250 quilos por mês nos seis meses do estudo. Alguns odores desencadeiam a liberação de hormônios que dão a sensação de saciedade.

Rosas estimulam sonhos bons

Em um estudo alemão, mulheres que dormiram num quarto com aroma de rosas relataram sonhos agradáveis. As expostas a cheiro de ovo podre tiveram maior probabilidade de ter pesadelos. Os especialistas dizem que os odores podem afetar as respostas emocionais do cérebro. Como aromas gostosos estão em geral associados a boas lembranças, eles podem estimular sonhos mais agradáveis.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!