Começando com o  leite materno, nossas necessidades e hábitos alimentares mudam durante a vida, da infância à velhice. Uma das chaves para uma boa saúde é adaptar sua dieta e seu padrão de refeições. Desa forma, a maximizar a ingestão dos nutrientes de que você precisa em cada período da vida.

O leite materno

É o melhor para proteger o intestino do bebê e ajuda a aumentar as bactérias saudáveis nele presentes. Elas têm papel vital na digestão, aumentando a imunidade do bebê e determinando se as calorias extras são armazenadas como gordura. O leite materno contém amidos especiais que alimentam essas bactérias intestinais boas e reduzem o número das bactérias más que causam pneumonia, infecções do ouvido médio e meningite. O leite materno contém enzimas, hormônios e anticorpos que combatem infecções.

Dê menos calorias ao seu bebê

O leite materno tem 15% a 20% menos calorias do que as fórmulas, o que pode ajudar a evitar que o bebê ganhe peso em excesso. E bebês acima do peso estão mais propensos a apresentar problemas de saúde mais tarde.

Desmamar mais cedo?

A amamentação exclusiva além dos 4 meses pode não reduzir o risco de alergias, como já se acreditou; na verdade, pode até mesmo aumentar o risco, segundo uma revisão publicada no British Medical Journal. A revisão também sugere que os bebês alimentados apenas com leite materno por seis meses ou mais podem não receber ferro suficiente. Esse elemento é vital para o desenvolvimento mental, físico e social. Converse com seu médico sobre o momento certo para fornecer a seu bebê os alimentos sólidos.

Bebês que se alimentam sozinhos estão mais propensos a apreciar alimentos saudáveis

Sirva-se

Incentivar o bebê a comer com as mãos pode evitar ganho de peso no futuro e promover um gosto natural por alimentos saudáveis, dizem psicólogos ingleses. Eles descobriram que os bebês que foram incentivados a comer com as mãos alimentos variados, ao desmamarem, ficaram mais propensos a refeições saudáveis. Bebês alimentados com a colher mostraram preferência por doces e tendência a ganhar peso em excesso.

Pratique a regra de seis

Se seu filho não gosta de verduras e legumes, então, sirva-os pelo menos seis vezes. Assim recomenda um estudo americano no qual crianças foram incentivadas a provar diversas vezes dois vegetais dos quais elas não gostavam, um com um molho saboroso e outro sem. Nos dois casos, as crianças gostaram dos vegetais na sexta prova. A maioria das crianças pequenas não come verduras e legumes suficientes. E esse estudo sugere que isso se deve ao fato de que leva algum tempo para desenvolver o gosto por eles, portanto, dê um molho, se quiser.

Segredos do sucesso

Muitas vezes os bebês amamentados “no peito”, quando crescem, têm paladar mais curioso do que os alimentados com outros leites. Isso porque o leite materno fornece um caleidoscópio de sensações gustativas que muda conforme o que a mãe come. Pesquisadores da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, descobriram que bebês amamentados preferem sabores mais fortes.

O que parece ocorrer é que as constantes pequenas alterações no sabor do leite materno tornam os bebês amamentados mais receptivos a novos sabores e, portanto, mais dispostos a experimentar uma variedade maior de alimentos quando se introduz sólidos na sua dieta.

Se seu filho toma mamadeira, experimente usar diferentes tipos de leite, pois os sabores podem variar de uma marca para outra. Assim, seu bebê também se acostumará a uma variedade de sabores diferentes.