Durante décadas os cientistas acreditaram que vitaminas e minerais, além das fibras, fossem os componentes mais importantes para a saúde contidos em frutas frescas, verduras, legumes, grãos integrais, castanhas e sementes. Novos estudos, porém, estão revelando que vários outros compostos vegetais têm iguais poderes curativos. A cenoura, por exemplo, contém diversos fitonutrientes benéficos, conforme sua cor. O chá de hibisco tem fitonutrientes que podem proteger o coração.

Um dos primeiros cientistas a descobrir as propriedades dos compostos vegetais, os fitonutrientes, foi o Dr. James Joseph, do Centro de Pesquisas de Nutrição Humana em Envelhecimento, da Tufts University, Massachusetts. Em 1999, ele e sua equipe relataram que a ingestão de mirtilos podia melhorar a capacidade motora e reverter a perda de memória recente, e em 2003 anunciaram que essa mesma fruta podia ajudar as pessoas a superar uma predisposição genética à doença de Alzheimer. Isso era parte de um processo, ainda em andamento, de identificação de mais de 5 mil substâncias químicas (até agora) que protegem as plantas contra ataques de insetos, animais e doenças, e de análise de seus efeitos sobre a saúde humana. Hoje, os cientistas acreditam que os fitonutrientes são responsáveis por muitos dos benefícios de frutas, legumes e verduras.

Modificando a natureza

Alguns fitonutrientes têm sabor amargo, levando algumas pessoas, em especial crianças, a rejeitar alimentos que os contêm, como brócolis, couve-de-bruxelas, repolho, couve-flor e couve. Isso estimulou a indústria de alimentos a passar décadas produzindo híbridos menos amargos e a desenvolver processos para tirar o amargor desses vegetais, a fim de estimular seu consumo. Como resultado, hoje, eles contêm quantidades menores dessas saudáveis substâncias químicas. Agora os cientistas de alimentos e agricultores começaram a trabalhar para identificar antigas variedades ricas em nutrientes e fazer uma polinização cruzada com variedades comerciais para produzir híbridos que não só contenham mais dessas substâncias químicas necessárias à vida mas que também sejam saborosos.

Famílias de fitonutrientes

Estudos identificaram diversos grupos de fitoquímicos, incluindo:
● Antocianinas, encontradas em alimentos azuis ou roxos. Têm ampla variedade de ação: ajudam a combater a inflamação que se acredita estar por trás de muitas doenças, desde Alzheimer a diabetes e doença cardíaca.

● Carotenoides, que estão relacionados a um menor risco de doença cardíaca e alguns tipos de câncer, e presentes sobretudo em frutas e vegetais cor de laranja. Os carotenoides nos alimentos de outras cores incluem o licopeno em frutos vermelhos (associado a um menor risco de alguns tipos de câncer, especialmente o de próstata); e a luteína em frutas, legumes e verduras verdes, laranja e amarelos (presente no cristalino do olho, podendo ajudar a evitar cataratas e degeneração macular relacionada à idade).

● Glucosinolatos, presentes nos vegetais crucíferos, da família do repolho. Demonstrou-se que eles protegem contra câncer de mama e de próstata.

● Polifenóis, que têm propriedades anti-inflamatórias e protegem as células nervosas. Alguns podem ajudar a evitar o câncer e o mal de Alzheimer. Estão no chá, vinho, café e em frutas e vegetais azuis e roxos.

● Resveratrol, encontrado no vinho tinto e em derivados da uva, pode proteger contra alguns tipos de câncer, doença cardíaca, síndrome metabólica e degeneração das células nervosas.

Todos os anos, numerosos estudos constatam que algumas frutas, verduras ou legumes, ou grupos desses alimentos (como grupos de cores), parecem oferecer certa proteção contra doenças específicas, que tendem a se desenvolver com a idade. Para obter uma mistura saudável de fitonutrientes, coma frutas, legumes e verduras de cores diferentes todos os dias.

 

Texto extraído do livro Os segredos de saúde mais bem guardados do mundo.