Muitos brasileiros não ingerem ferro suficiente. Além disso, poucos compreendem que a deficiência de ferro pode torná-los fracos, incapazes de se concentrar e suscetíveis a infecções. Todavia, ferro demais pode ser perigoso. Necessário em todo o corpo, o ferro é um elemento essencial da hemoglobina – carregador de oxigênio dos glóbulos vermelhos do sangue. O corpo humano, que obtém a maior parte de que precisa dos alimentos, monitora cuidadosamente este mineral. Ele absorve mais quando a demanda é elevada e menos quando as reservas são adequadas.

Como o corpo humano perde ferro quando ocorre sangramento, as mulheres que menstruam têm frequentemente níveis baixos. Pessoas que fazem dietas, vegetarianos e atletas também podem apresentar deficiência de ferro. Aliás, existem tipos diferente de vegetarianismo, veja aqui as características de cada um.

A importância do Ferro

Ao ajudar o sangue e os músculos a receber oxigênio, o ferro fornece energia para cada célula do corpo. Embora seja difícil ocorrer deficiência de ferro apenas por má alimentação, mulheres com fluxo menstrual intenso podem precisar de suplementos. Se o seu fluxo menstrual é muito intenso, verifique a possibilidade de ser endometriose, saiba mais. Pessoas com determinados problemas de saúde, também. Os suplementos têm como objetivo evitar ou corrigir a grave condição conhecida como anemia.

Você sabia? Mulheres mais jovens precisariam comer 15 caixinhas de passas (30 g cada) para obter os 15 mg de ferro recomendados.

A manutenção de uma boa fonte de ferro fornece energia, ajuda o funcionamento do sistema imunológico e aguça os sentidos. Estudos mostram que até mesmo uma deficiência de ferro leve podem resultar em redução da atenção em adultos e no mau desempenho escolar em adolescentes.

Alimentos ricos em Ferro

Os alimentos ricos em ferro incluem fígado, carne de vaca e carneiro. Mexilhões, ostras e mariscos também contêm ferro. Os vegetarianos podem obter bastante ferro de feijões e ervilhas, vegetais folhosos, frutas desidratadas, sementes e cereais enriquecidos. Folhas escuras também são ótimas fontes de ferro, veja como incluí-las na salada. Além disso, levedo de cerveja, algas, melaço e farelo de trigo também são ótimas fontes. O cozimento de tomates ou de outros alimentos ácidos em panelas de ferro também adiciona ferro aos alimentos.

De quanto você precisa?

A ingestão diária recomendada de ferro para homens e mulheres de todas as idades é de 14 mg diários. Para combater a anemia é necessário ferro adicional por um período de semanas ou meses.

Se você consome menos ferro através da sua alimentação ou perde devido a sangramento menstrual intenso, sangramento gástrico ou câncer, seu corpo retirará ferro de suas reservas. A princípio não há sintomas, mas, à medida que as reservas de ferro diminuem, também diminui a capacidade do organismo produzir hemácias. O resultado é a anemia ferropriva. Essa doença se caracteriza por: fadiga, fraqueza, palidez, falta de ar, palpitações e maior suscetibilidade a infecções.

Os suplementos de ferro só devem ser tomados sob supervisão médica. A automedicação pode ser perigosa! Além disso, pode mascarar uma causa de anemia, como uma úlcera que esteja sangrando.

Alguns estudos correlacionam o excesso de ferro a um maior risco de doenças crônicas. Entre elas: doenças cardíacas e câncer de cólon. O excesso de ferro pode ser perigoso, sobretudo para adultos com tendência genética a absorvê-lo em excesso (hemocromatose). Crianças também são especialmente sensíveis à dosagem excessiva de ferro.

Se você reparou alguns dos sintomas listados acima, procure o seu médico. A deficiência de ferro pode causar danos à sua saúde, além de ser a causa de doenças graves.