Faça uma busca


|
Publicado em: 12 de outubro de 2020

Dengue: como reconhecer os sintomas e iniciar o tratamento

Saiba reconhecer os sintomas da dengue e como tratar.

Imagem: Polina Tankilevitch/Pexels

A dengue é uma doença infecciosa que pode variar de sintomas leves a graves, ocasionando a morte do paciente se não tratada com rapidez e eficácia. Ela é endêmica de climas quentes e úmidos, como grande parte do Brasil e países vizinhos da América do Sul.

É uma doença viral transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, mas outras espécies da família Aedes também podem transmitir. Existem cinco tipos do vírus em circulação atualmente – tipo 1, tipo 2, tipo 3, tipo 4 e tipo 5 – mas só os quatro primeiros estão presentes no Brasil. A variedade de tipos não produz diferença na forma como a doença se manifesta, apenas na possibilidade da pessoa ser contaminada novamente por uma outra forma do vírus.

Atualmente, há uma vacina contra a dengue disponível e que oferece proteção contra os 4 tipos do vírus. Ela é produzida com o vírus atenuado, significando que não oferece imunidade completa, mas induzindo uma resposta imunológica do corpo e prevenindo as formas mais graves da doença.

Há quatro tipos diferentes de vírus da dengue circulando pelo Brasil
Martin Lopez/Pexels

O vírus

O vírus da dengue é do gênero Flavivirus, o mesmo da Febre Amarela – também transmitida pelo Aedes aegypti. Dos quatro diferentes tipos do vírus da dengue, a exposição a um deles garante imunidade permanente para o mesmo, mas temporária para os outros. Não é possível pegar mais de um tipo de dengue ao mesmo tempo, com as infecções sendo responsabilidades de um sorotipo somente.

Em casos de segunda ou terceira infecção de dengue, aumenta-se o risco de uma forma mais grave como a dengue hemorrágica. Entretanto, é possível sofrer com o caso mais severo mesmo sendo a primeira infecção.

O mosquito

O Aedes aegypti é o transmissor da doença, sendo infectado e espalhando o vírus através da picada. Apenas a fêmea é responsável pela pica, pois necessita do sangue para dar continuidade ao ciclo de reprodução. No calor, seu ciclo de reprodução fica mais rápido e, com mais mosquitos no ambiente, o número de casos aumenta.

Normalmente os mosquitos picam durante o dia, no início da manhã, mas isso não quer dizer que a capacidade de transmissão do vírus fica desativada após esse período. A picada do Aedes aegypti pode transmitir a dengue durante o dia todo. 

O mesmo mosquito responsável po transmitir a dengue também transmite outras doenças como a febre amarela e a malária
créditos: Pixabay/Pexels

O mosquito adquire o vírus ao picar algum ser humano ou primata infectado pelo vírus. Após isso ele passa cerca de dez dias com o vírus inoculado no corpo até ser capaz de transmitir pela saliva. O vírus da dengue não se manifesta com sintomas nele, que não sofre com alterações negativas ou danosas.

Também é responsável por causar doenças como Zika Vírus e a Chikungunya, que têm sido destaque nos noticiários brasileiros recentemente pelos inúmeros problemas que causam.

Após reproduzir-se, a femêa do Aedes aegypti deposita seus ovos em superfícies com água parada, sempre próximo à atividade humana. Achava-se que era preciso água limpa e parada para ter o ambiente perfeito para a proliferação das larvas, mas descobriu-se que não. O mosquito da dengue também se reproduz com facilidade em esgotos e outras águas turvas.

Como acontece a transmissão da Dengue?

Outras formas de transmissão da dengue além da picada do mosquito são conhecidas, como por meio de transfusão de sangue ou de mãe para filho. É possível infecção direta por contato com outra pessoa, mas são extremamente raros sendo. A maior a probabilidade de propagação é uma pessoa infectada contaminar os mosquitos que vivem naquele ambiente e então ocorrer a proliferação para novo grupo.

Após ser contagiada, a pessoa pode demorar de três a quinze dias para manifestar os sintomas, mas uma semana costuma ser o tempo médio. 

Sintomas da Dengue

A dengue pode ser assintomática na maior parte dos casos, você é infectado pelo mosquito e não toma ciência do fato. Porém, quando os sintomas se desenvolvem podem se apresentar de diferentes maneiras:

  • Dengue leve
  • Dengue hemorrágica
  • Dengue grave

A mais leve possui como sintomas um quadro clínico similar ao da gripe: dor intensa em músculos e articulações, febre alta, dor de cabeça atrás dos olhos, cansaço, enjoo e vômitos. Em crianças também há ocorrência de diarreia e garganta inflamada, além de ter um risco maior de complicações.

A dor de cabeça forte atrás dos olhos é um dos sintomas da dengue
créditos: KatarzynaBialasiewicz/iStock

A forma hemorrágica é caracterizada quando, após a febre abrandar seguinte aos dias iniciais, surgem erupções ou manchas na pele e também sangramentos nasais e labiais. Nesse momento ocorre a queda da pressão arterial e baixa das plaquetas, além de possíveis sangramento gastrointestinais. Essa fase é mais provável quando o organismo já tem imunidade à dengue, mas não exclui primeiros casos. 

De acordo com estudos, organismos já sensibilizados ao vírus podem reagir com uma resposta imunológica “excessiva” em contato com novos tipos. O resultado seria um processo que leva a perda de líquidos e, por consequência, a queda da pressão arterial. 

O terceiro tipo é a forma de dengue mais grave, que tem sintomas cardiorrespiratórios, alterações neurológicas e insuficiência hepática afligindo o paciente. Tonturas também são parte do quadro clínico, assim como outros sintomas ligados à pressão arterial. Esse momento necessita atendimento médico com o máximo de urgência. A dengue pode ser fatal caso não tratada corretamente.

A dengue pode evoluir de uma forma para outra em poucos dias, portanto o retorno para unidade de saúde onde foi atendido e diagnosticado é indicado.

O diagnóstico

O diagnóstico inicial da dengue é feito de forma clínica, analisando o histórico e exames físicos do paciente. Por ser uma doença que passa por epidemias e tem sintomas característicos, a grande maioria dos casos são identificados já na consulta. Entretanto, também são feitos exames e testes para descartar hipótese de outras doenças.

Somente um exame laboratorial pode confirmar se é realmente dengue
RF._.studio/Pexels

Os exames de sangue para contagem de plaquetas são um deles, mas esses podem ter alterações que não necessariamente irão refletir o quadro da dengue. Já os laboratoriais são os mais seguros para a confirmação da doença, tanto por isolamento do vírus nos dias iniciais da doença quanto pelo exame sorológico, para detectar anticorpos.

A prova do laço – método realizado restringindo a circulação sanguínea de uma área e contando os pontos vermelhos que surgem – não é confiável como diagnóstico preciso.

O tratamento

Não existe um tratamento específico para a doença, como um antiviral que interrompa o ciclo de vida do vírus. Tratam-se os sintomas com antitérmico e analgésico, além de muita hidratação – a água de coco é recomendada.

A hidratação intravenosa pode ser indicada para casos mais sérios, em que o quadro de desidratação do paciente está mais agravado. Pessoas com as formas mais agressivas de dengue podem precisar de internação hospitalar ou mesmo na unidade de tratamento intensivo.

Agua de coco ajuda bastante no tratamento da dengue
créditos: PicturePartners/iStock

O uso do paracetamol é indicado, mas deve ser moderado por ser metabolizado no fígado e sobrecarregar o órgão. A dipirona é indicada sem limitações, exceto para aqueles que apresentam reações alérgicas.

Entretanto, o uso de medicamentos à base de ácido acetilsalicílico – como a aspirina – devem ser evitados. Eles possuem efeito anticoagulante e podem desencadear ou piorar quadros hemorrágicos no contexto da dengue.

Como prevenir a Dengue?

É melhor prevenir do que remediar, popularmente dito. E para a dengue existem algumas formas conhecidas de prevenção . O uso de repelente é uma opção e existem fórmulas desenvolvidas especialmente contra o mosquito Aedes aegypti.

Rpelentes são uma proteção a mais contra a dengue, mas é preciso ter cuidado quando se tem bichos e crianças em casa
créditos: NARIN EUNGSUWAT/iStock

Porém, nem todas as pessoas têm o costume de aplicar repelente continuamente e não pode ser a única opção de proteção. Inseticidas específicos também existem, mas nem todo cidadão tem acesso. Então como prevenir a dengue?

Todos os anos, próximo a chegada do verão, as instituições públicas pedem a ajuda da população para vedar ou remover locais propícios para reprodução dos mosquitos. As fêmeas do Aedes aegypti costumam colocar seus ovos milímetros acima da superfície da água, podendo permanecer conservados nesse estado por mais de um ano. Quando a chuva cai ou a água sobe, os ovos eclodem na hora e liberam mais mosquitos.

Portanto, o trabalho não é somente esvaziar reservatórios com água parada, mas limpá-los também. É preciso esfregar bastante as superfícies e colocar uma colher de água sanitária caso retorne a encher com água. A água sanitária também funciona para poças de água parada.

Zelar pelo ambiente em que se vive também é uma forma de se combater a dengue
créditos: Jasmin Sessler /Unsplash

Saiba mais sobre Como prevenir a dengue em 6 passos simples

Atenção:
Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico ou farmacêutico.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados