O mel é um doce milagre da natureza. Em apenas uma busca por néctar, as abelhas podem visitar até 100 flores num raio de 15 km. Com sabor mais doce que o açúcar e textura viscosa, é excelente para aliviar tosse e dor de garganta. E o elevado teor de açúcares faz dele um antibiótico natural.

Raízes históricas

É possível que o mel seja o remédio caseiro mais antigo do mundo. As abelhas o produzem há pelo menos 100 milhões de anos. Há registros escritos sobre o mel de aproximadamente 7.500 anos atrás, no Egito e na Suméria. Dos 900 remédios do Egito antigo conhecidos, 500 continham mel. No século I, Plínio, o Velho, registrou seu tratamento para edemas e cálculos renais numa receita que continha mel e abelhas em pó. Registros escritos revelam que atletas olímpicos da Antiguidade jantavam mel e figos para melhorar o desempenho nas provas.

Na era medieval, o uso medicinal do mel ficou restrito à sua capacidade de deixar os remédios menos intragáveis, além de ser usado para curar feridas. Centenas de anos depois, o produto acabou entrando na composição de medicamentos patenteados em todo o mundo.

Matthew T Rader/Unsplash

O que o mel tem?

Sabe-se que o mel é composto basicamente de açúcares. Dele, 38,2% são frutose e 31%, glicose. O restante é formado de oligossacarídeos e dissacarídeos como a sacarose e a maltose. Que o mel é repleto de substâncias benéficas também já se sabe: num novo estudo, foi constatado que os fitonutrientes presentes no mel não processado evitaram câncer de cólon em cobaias de laboratório.


Anita Austvika/Unsplash

O mel também contém antioxidantes, inclusive um chamado pinocembrina. Segundo estudos realizados na China com tubos de ensaio e cobaias, tudo indica que essa substância protege as células do cérebro. Ainda não se sabe se exerce efeitos semelhantes no cérebro humano. Outros antioxidantes presentes no mel incluem quercetina, kaempferol e apigenina.


joey333/iStock

Acne

O mel mata as bactérias, o que explica por que esse antigo remédio popular melhora a acne. Um tipo especial de mel da Nova  Zelândia, o mel de manuka, uma árvore do gênero Leptospermum, de madeira dura e folhas aromáticas, está sendo estudado por suas propriedades antibióticas poderosas o suficiente para exterminar Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA). Mas você não precisa importar mel do outro lado do mundo. Basta aplicar uma colher de chá de mel puro às áreas afetadas. Alguns especialistas em remédios caseiros recomendam fazer uma mistura de ½ xícara de mel e uma xícara de farinha de aveia. Deixe a pasta na pele durante 30 minutos e depois enxágue. As impurezas aderem à aveia e são descartadas. A aveia reduz a inflamação e cria uma barreira protetora sobre a pele, mantendo-a hidratada.


lolostock/iStcok

Ansiedade

Um estudo neozelandês de 2009 descobriu que ratos alimentados com mel, que tem efeito antioxidante intenso, apresentaram menos ansiedade num labirinto complexo que os que receberam uma quantidade equivalente de sacarose. Isso também pode funcionar no labirinto estressante da vida. Portanto, substitua o açúcar pelo mel.