Você sofre com a artrite reumatoide? Segundo um estudo realizado em 2018, 1 em cada 100 pacientes são diagnosticados com a doença, que atinge principalmente mulheres acima dos 18 anos. No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, 2 milhões de pessoas sofrem com a doença. A incidência pode estar relacionada à alimentação, que possui forte influência no combate e prevenção. Por esse motivo, listamos os 11 piores alimentos para artrite que você deve evitar ao máximo, ou ao menos diminuir o consumo.

A artrite reumatoide provoca principalmente dores, rigidez e cansaço nas articulações, bem como desgaste das cartilagens dos ossos. O diagnóstico e o tratamento, quando realizados no início, podem minimizar o impacto no dia a dia.

Veja também: 25 coisas que você precisa saber sobre a artrite

Além do tratamento especializado, que deve ser realizado por um médico, há remédios caseiros que podem ajudar a minimizar as dores.

Além da alimentação, que envolve alguns cuidados, muitos médicos recomendam a prática de exercícios. A caminhada, por exemplo, pode ajudar aliviar os sintomas, aliada aos medicamentos receitados. Outros exercícios também podem ser feitos, mas atenção: procure um médico para saber quais exatamente são recomendados para o seu caso.

Restringir alimentos que reduzem a produção de produtos finais de glicação avançada (ou AGEs) é uma alternativa saudável. Esses produtos são proteínas e lipídios são gerados a partir da exposição com açúcares, e causam envelhecimento precoce e doenças degenerativas, como o Alzheimer e o diabetes.

Veja abaixo os 11 piores alimentos para quem tem artrite e reorganize sua dieta para reduzir os efeitos da doença no seu corpo:

baibaz/iStock

1. Laticínios

Os laticínios são um grande problema, já que podem agravar as inflamações. Muitos adultos não necessitam de laticínios no dia a dia, principalmente porque os nutrientes oferecidos são importantes apenas para a fase de crescimento. Na fase adulta, esses produtos podem ser substituídos facilmente por outros como quinoa, lentilhas, nozes, tofu, feijão e espinafre.


belchonock/iStock

2. Açúcar adicionado

O açúcar adicionado é a quantidade além da taxa natural de açúcar presente nos alimentos em geral. Normalmente vem sob as formas de dextrose, frutose, sacarose, maltose, galactose, lactose, glucose, maltodextrina, xilitol, eritol, manitol e o sorbitol.

As inflamações causadas pela artrite estão ligadas diretamente à quantidade de açúcar consumida diariamente. Isso porque há um aumento nos processos finais de glicação avançada (AGEs), que acontecem quando proteínas e gorduras do corpo entram em contato com o açúcar.


anatoliy_gleb/iStock

3. Glutamato monossódico (MSG)

O glutamato monossódico, ou MSG, é muito utilizado na culinária oriental a fim de realçar o sabor dos pratos. Acontece que a quantidade de sódio no produto é imensa, o que pode levar à retenção de líquidos e inchaços, e, para quem tem artrite, causar ainda mais dor.


Age Barros/iStock

4. Álcool

Ingerir álcool pode causar sérios danos ao organismo, e saber dosar as quantidades é essencial. Mas o álcool também pode causar gota, e se tornar um verdadeiro empecilho para quem tem artrite. Isso porque, com essa condição, o ácido úrico não é metabolizado corretamente, levando à criação de pequenos cristais nas articulações, gerando inflamações, e, consequentemente, dor.