Na verdade, todas as pessoas liberam gases (flatulência) de 14 a 23 vezes ao dia (a frequência é a mesma para homens e mulheres), embora, na maioria das vezes, não sejam acompanhados de odores. Esse fato, porém, não torna a flatulência menos embaraçosa. Se você quer evitar constrangimentos, siga estes conselhos:

Sintomas

Excesso de gases, cólicas abdominais fortes, distensão abdominal.

Causas

Os gases são produzidos quando as bactérias existentes no cólon fermentam carboidratos não digeríveis contidos nos alimentos ricos em fibras e em suplementos de fibra. Intolerância à lactose ou ao glúten, síndrome do cólon irritável, colite ulcerativa e doença de Crohn também podem provocar gases. Antibióticos, alguns remédios para diabetes, laxantes, medicamentos para emagrecer, para fazer parar de fumar e a cirurgia bariátrica (para redução de estômago) também. Ingerir alimentos adoçados com alcoóis do açúcar, como sorbitol e manitol, também causa cólicas e excesso de gases.

O que os gases significam?

Às vezes, os gases intestinais são um sinal de intolerância alimentar ou distúrbios digestivos, como:
Intolerância à lactose:
Se você apresenta gases e dor abdominal depois de ingerir laticínios ou beber leite, talvez careça da lactase, enzima necessária para decompor o açúcar chamado lactose contido nesses alimentos. Um simples teste respiratório consegue diagnosticar esse problema. Soluções: tomar suplementos de lactase, adicionar gotas de lactase ao leite ou ingerir laticínios com pouca lactose.

Intolerância ao glúten:
Se o seu corpo não digere o glúten, uma proteína encontrada no trigo e em outros grãos, você pode apresentar gases, inchaço, perda de peso, fezes oleosas e extremamente fétidas e outros sintomas. A saída é evitar o glúten, mas consulte antes o médico.

Síndrome do cólon irritável:
Se você libera gases normalmente mas sente sempre a barriga distendida e apresenta episódios de diarreia e/ou constipação intestinal (prisão de ventre), talvez tenha a síndrome do cólon irritável. Mudanças na alimentação, redução do estresse e medicamentos podem ajudar.

Principais estratégias de prevenção

“Pegue leve” no feijão e em outros “perigos”.
Os feijões são ótimos para a saúde, mas, muitas vezes, os gases são o efeito adverso. O culpado é um açúcar não digerível chamado rafinose, também encontrado no repolho, no brócolis e no aspargo, entre outros. O ser humano não tem uma enzima capaz de decompor a rafinose, portanto as bactérias benéficas do trato intestinal fazem o serviço de “mastigar” esse açúcar.

As bactérias emitem gases, e, pouco depois, você faz o mesmo. Especialistas da Universidade de Michigan afirmam que aumentar gradualmente a quantidade de feijões e de outros produtores de gases na alimentação minimiza esse efeito colateral indesejável.

Acabe com o gás do feijão.
Lavar bem o feijão elimina um pouco da rafinose. Ao cozinhar o feijão, deixe-o de molho antes. Adicione 1/8 de colher (chá) de bicarbonato de sódio à água para retirar ainda mais a rafinose. Não cozinhe o feijão na água em que ficou de molho.

Observe suas reações a estes provocadores de gases.
Outros alimentos contêm açúcares difíceis de digerir que frequentemente se tornam alimento para as bactérias eliminadoras de gases do seu intestino. Cada pessoa reage de uma maneira, portanto não pare de comer uma fruta, uma verdura ou um legume nutritivo antes de saber se é ele que está causando essa reação. Os maiores culpados são os alimentos ricos em frutose, como tâmara, uva, maçã e pera, assim como os que contêm sorbitol, como maçã, pera, pêssego e ameixa.

Reforços para a prevenção

Peça água sem gás e esqueça o refrigerante.
As bolhas dos refrigerantes contêm gás, que você ingere quando toma bebidas gaseificadas, incluindo cerveja e champanhe.

Escolha arroz.
Alimentos que contêm amido, como batata, milho e massas feitas de trigo, produzem gases quando são digeridos no intestino grosso. Mas isso não acontece com o arroz, pois é o único amido completamente absorvido no intestino delgado, tornando-o a melhor opção para quem sofre com a flatulência.

Elimine os doces light ou diet.
Muitos chicletes, doces, chocolates, biscoitos, bolos e caldas (melaços e xaropes) light ou diet são adoçados com alcoóis do açúcar, como sorbitol e manitol. Quando as bactérias do trato digestivo decompõem esses alcoóis, o resultado pode ser ruídos e emissões embaraçosas.

Troque de antiácido.
Usar bicarbonato de sódio ou um antiácido que contém essa substância para aliviar a azia e a má digestão pode se transformar, literalmente, em um tiro pela culatra. Os especialistas advertem que, enquanto neutraliza os ácidos do estômago, o bicarbonato produz muito dióxido de carbono, e boa parte dele é eliminada pelo trato intestinal. Apenas ½ colher (chá) de bicarbonato de sódio pode produzir gás suficiente para fazê-lo passar vergonha.

Recorra a outro tipo de antiácido, como os que contêm carbonato de cálcio, que neutraliza o ácido, ou pergunte ao seu médico a respeito da cimetidina ou ranitidina, que reduzem a produção de ácido.

Tempere o feijão para acabar com os gases.
Pesquisadores indianos descobriram que adicionar alho e gengibre (fresco ou seco) ao feijão durante o cozimento reduz a flatulência.

 

Texto extraído do livro Saúde 100%.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!