Aí vem ele de novo e junto chegam gripe e resfriado. Começa com a velha coceirinha na garganta. Então, em poucas horas, vêm os espirros e o nariz vermelho; no dia seguinte, a gente fica imprestável e ainda precisa torcer para não ser o vírus da gripe suína e nem o da Covid-19. Todo ano, adultos têm em média de dois a quatro resfriados, enquanto as crianças chegam a ter espantosos seis a dez.

A cada atchim!, desanimamos: é tarde demais para começar o controle dos resfriados… ou não? Neste inverno, experimente um novo plano de ataque.

Em vez de tomar superdoses de remédios contra gripe e resfriado na esperança de que resolvam o caso, seja mais esperto nas opções de tratamento. Assim, combinando os remédios certos do armário, da cozinha e da lojinha de produtos naturais, é possível reduzir o desconforto dos resfriados e evitar que os sintomas durem semanas. 

Nos slides a seguir, veja o que você pode fazer diante dos sintomas e quando se preocupar. 

Fahroni/iStock

Antibióticos? Não peça

Gripes e resfriados são causados por vírus. Logo, tomar antibióticos, que só funcionam em infecções bacterianas, não adianta nada. E tomar antibióticos como estratégia de prevenção para reduzir o risco de complicações graves também não se justifica, de acordo com um estudo publicado na revista especializada British Medical Journal.

Existem remédios contra vírus, que podem ajudar em casos de gripe, mas somente se tomados nas primeiras 48 horas de sintomas. “Ao interromper a maneira como a gripe evolui, os antivirais podem reduzir em 40% a gravidade dos sintomas e em cerca de 30% a duração da doença”, diz o Dr. Rod Pearce, presidente do Conselho de Clínica Geral da Associação Médica Australiana.

A melhor prevenção é a vacina contra a gripe. Ela é ainda mais importante para quem tem mais de 65 anos, tendência a se resfriar, sofre de asma grave ou alguma doença que deprima o sistema imunológico.


Prostock-Studio/iStock

A asma como fator

Quem sofre de asma pode ter resfriados com sintomas bem mais intensos e duradouros, de acordo com uma pesquisa do Centro Médico Monash (CMM), na Austrália. “O vírus do resfriado penetra mais profundamente nas vias aéreas e nos pulmões”, diz o professor adjunto Philip Bardin, diretor de pesquisa respiratória do CMM. “Isso significa que essas pessoas tendem a reagir mais ao vírus e a ter sintomas que se prolongam. “O melhor conselho? Se você ou seus filhos têm asma e se resfriam, o melhor é consultar logo o médico.


Damir Khabirov/iStock

Devemos fazer exercícios?

Sem vontade de subir na esteira? Então dê ouvidos ao organismo: o repouso é uma boa maneira de ajudar o sistema imunológico a combater o resfriado. “Entretanto, se os sintomas se limitam à cabeça e não incluem outras áreas do corpo (ou seja, nada de tosse, febre nem dores no corpo), não há indícios de que exercícios moderados prolonguem a duração do resfriado”, diz Pearce.


isa-7777/iStock

Acabe com ele na cozinha

A vovó estava certa: às vezes, a comida é o melhor remédio. Os estudos confirmam o seguinte:

Chá verde

Rico em antioxidantes, tudo indica que o chá verde reduz a incidência e a duração dos resfriados e promove a imunidade por melhorar o funcionamento das células T (células de defesa do organismo).