Faça uma busca
|
Publicado em: 8 de julho de 2020

O guia essencial para o inverno contra gripe e resfriado

Gripe e resfriado podem chegar nesta estação do ano e deixar as pessoas bastante indispostas

Imagem:
Publicidade


Aí vem ele de novo e junto chegam gripe e resfriado. Começa com a velha coceirinha na garganta. Então, em poucas horas, vêm os espirros e o nariz vermelho; no dia seguinte, a gente fica imprestável e ainda precisa torcer para não ser o vírus da gripe suína e nem o da Covid-19. Todo ano, adultos têm em média de dois a quatro resfriados, enquanto as crianças chegam a ter espantosos seis a dez.

A cada atchim!, desanimamos: é tarde demais para começar o controle dos resfriados… ou não? Neste inverno, experimente um novo plano de ataque.

Em vez de tomar superdoses de remédios contra gripe e resfriado na esperança de que resolvam o caso, seja mais esperto nas opções de tratamento. Assim, combinando os remédios certos do armário, da cozinha e da lojinha de produtos naturais, é possível reduzir o desconforto dos resfriados e evitar que os sintomas durem semanas. 

Nos slides a seguir, veja o que você pode fazer diante dos sintomas e quando se preocupar. 

Publicidade


  • Fahroni/iStock

    Antibióticos? Não peça

    Gripes e resfriados são causados por vírus. Logo, tomar antibióticos, que só funcionam em infecções bacterianas, não adianta nada. E tomar antibióticos como estratégia de prevenção para reduzir o risco de complicações graves também não se justifica, de acordo com um estudo publicado na revista especializada British Medical Journal.

    Existem remédios contra vírus, que podem ajudar em casos de gripe, mas somente se tomados nas primeiras 48 horas de sintomas. “Ao interromper a maneira como a gripe evolui, os antivirais podem reduzir em 40% a gravidade dos sintomas e em cerca de 30% a duração da doença”, diz o Dr. Rod Pearce, presidente do Conselho de Clínica Geral da Associação Médica Australiana.

    A melhor prevenção é a vacina contra a gripe. Ela é ainda mais importante para quem tem mais de 65 anos, tendência a se resfriar, sofre de asma grave ou alguma doença que deprima o sistema imunológico.


  • Prostock-Studio/iStock

    A asma como fator

    Quem sofre de asma pode ter resfriados com sintomas bem mais intensos e duradouros, de acordo com uma pesquisa do Centro Médico Monash (CMM), na Austrália. “O vírus do resfriado penetra mais profundamente nas vias aéreas e nos pulmões”, diz o professor adjunto Philip Bardin, diretor de pesquisa respiratória do CMM. “Isso significa que essas pessoas tendem a reagir mais ao vírus e a ter sintomas que se prolongam. “O melhor conselho? Se você ou seus filhos têm asma e se resfriam, o melhor é consultar logo o médico.


  • Damir Khabirov/iStock

    Devemos fazer exercícios?

    Sem vontade de subir na esteira? Então dê ouvidos ao organismo: o repouso é uma boa maneira de ajudar o sistema imunológico a combater o resfriado. “Entretanto, se os sintomas se limitam à cabeça e não incluem outras áreas do corpo (ou seja, nada de tosse, febre nem dores no corpo), não há indícios de que exercícios moderados prolonguem a duração do resfriado”, diz Pearce.


  • isa-7777/iStock

    Acabe com ele na cozinha

    A vovó estava certa: às vezes, a comida é o melhor remédio. Os estudos confirmam o seguinte:

    Chá verde

    Rico em antioxidantes, tudo indica que o chá verde reduz a incidência e a duração dos resfriados e promove a imunidade por melhorar o funcionamento das células T (células de defesa do organismo).


  • Burhanuddin Helmi/iStock

    Alho

    Quem toma suplemento de alho tem menos probabilidade de ser vítima de resfriados. O ingrediente mágico? A alicina, substância que também dá ao alho o sabor picante.


  • iko636/iStock

    Canja de galinha

    Ela parece agir como anti-inflamatório natural e pode reduzir sintomas do resfriado como nariz entupido, dor de garganta e tosse. Veja nossa receita de canja de galinha.


  • BartekSzewczyk/iStock

    MITO ou FATO?

    Assoar com força ajuda

    MITO – Até um milímetro de muco nasal pode ser jogado de volta nos seios da face quando se assoa o nariz com força, de acordo com uma pesquisa da Universidade da Virgínia, nos EUA, que usou corantes e tomografia computadorizada para acompanhar o que acontece nesse momento. Essa força reversa pode até piorar o resfriado.

    O melhor? Tente assoar o nariz com cuidado, uma narina de cada vez.


  • baibaz/iStock

    Os laticínios pioram o muco

    MITO – “Não há prova científica de que leite e laticínios provoquem o acúmulo de muco nos pulmões e nas vias aéreas”, diz Aloysa Hourigan, nutricionista chefe da Nutrition Australia.

    Descubra se você tem alergia alimentar, sensibilidade ou intolerância.


  • Prostock-Studio/iStock

    A vacina contra a gripe não age instantaneamente

    FATO – Depois da injeção, pode levar até duas semanas adquirir imunidade ao vírus. Leia também nosso artigo Não boicotem as vacinas.


  • Kana Design Image/iStock

    Os lenços de papel reduzem a disseminação dos resfriados

    MEIA VERDADE – O Dr. Pearce diz que eles podem interromper a transmissão do resfriado, se forem jogados fora logo após o uso.


  • Ridofranz/iStock

    Sentir frio pode causar resfriados

    MEIA VERDADE – O Centro de Resfriado, no Reino Unido, descobriu que 29% dos voluntários que ficaram 20 minutos com os pés nus mergulhados em água gelada resfriaram-se nos cinco dias seguintes, contra 9% dos que ficaram com os pés nus em bacias sem água. A razão? As pessoas costumam ter no corpo o vírus do resfriado, mas sem sintomas. A exposição ao frio provoca a contração dos vasos sanguíneos, o que, por sua vez, reduz o fluxo de leucócitos que combatem o resfriado. Veja 11 sinais de que você já teve Covid-19.


  • Sasha_Suzi/iStock

    Crianças e resfriados

    Seu filho está febril, espirrando e tossindo, e quer colo. Eis como ajudar:

    1. Verifique a temperatura

    “Se a criança tem menos de 5 anos, consulte o médico caso a febre chegue a 38,5°C ou dure vários dias”, diz Pearce.


  • kwanchaichaiudom/iStock

    2. Só ponha sal

    Um estudo realizado na República Tcheca verificou que a lavagem do nariz com solução salina reduziu substancialmente os sintomas nasais em crianças resfriadas. Veja cuidados para lavar o nariz.


  • grinvalds/iStock

    3. Evite os descongestionantes

    Cada vez mais estudos indicam que descongestionantes podem ser prejudiciais a crianças, em especial as que têm menos de 2 anos. Alguns remédios para tosse e resfriado para crianças de menos de 2 anos são vendidos somente com receita médica.


  • Jovanmandic/iStock

    4. Dê mel antes de dormir

    Uma dose de mel na hora de dormir dá mais alívio à tosse das crianças do que os medicamentos indicados para combatê-la, afirma uma pesquisa do Penn State College. Mas não dê mel a crianças com menos de 1 ano, porque pode provocar envenenamento por botulismo.


  • Florin Cristian Ailenei/iStock

    5. Observe as mudanças

    Corra para o médico mais próximo se a criança gripada ou resfriada sofrer qualquer piora preocupante, como dor de cabeça crônica, chiado na respiração, dificuldade para respirar, tosse seca, urticária ou se ficar pálida e sonolenta, aconselha Pearce. “Em dúvida, é melhor levá-la ao médico.”


  • fizkes/iStock

    Cuidados com os remédios

    Se tomar, não dirija

    Após tomar alguns comprimidos contra resfriados, há o risco de cochilar ao volante, principalmente se eles contiverem codeína ou algum sedativo anti-histamínico, que podem causar sonolência. Saiba como aliviar sintomas de bronquite e alergias.


  • Fahroni/iStock

    Doses a mais

    Remédios não são pirulitos. É perigoso tomar doses maiores ou com mais frequência do que o indicado pelo médico. Por exemplo, o excesso de paracetamol pode provocar lesões permanentes no fígado e aspirina demais, sangramento no estômago. John Bell, consultor da Pharmacy Self Care, diz que os remédios contra gripe e resfriados que misturam substâncias como analgésicos e descongestionantes podem ser ainda mais perigosos. Obedeça à dosagem recomendada. Nunca se esqueça de anotar quanto remédio tomou e a que horas.


  • Jens Rother/iStock

    Analgésico com álcool

    Toda vez que se misturam remédio e álcool, aumenta a possibilidade de reações perigosas. Evite álcool quando estiver resfriado porque ele pode atrapalhar o sono, provocar desidratação e confusões na hora de tomar remédios.


  • AntonioGuillem/iStock

    Perda de olfato

    O nariz pode ficar ainda mais entupido quando se usa descongestionante nasal em excesso, provocando a denominada rinite medicamentosa, além do aumento da congestão. Nunca use sprays nasais durante mais de quatro dias seguidos.


  • Yoyochow23/iStock

    Nada de vaselina

    Passar vaselina sob o nariz inflamado pode grudar os pelos minúsculos das narinas, tornando mais difícil filtrar o ar que entra. Em casos raros, as partículas inaladas de vaselina podem se abrigar nos pulmões e levar a uma doença chamada pneumonia lipídica. Veja também 25 utilidades da vaselina no dia a dia.

    Use um pouco de gel nasal (vendido em farmácias) para tratar a pele vermelha ou irritada sob o nariz. Bell diz que utilizar vaselina de vez em quando não tem problema.


  • Prostock-Studio/iStock

    Contragolpe dos descongestionantes

    Se você está grávida ou amamentando, ou sofre de hipertensão arterial, doença cardíaca e glaucoma, os efeitos colaterais dos descongestionantes indicam que o melhor é abandoná-los. Consulte o médico antes de tomar remédios para gripe e resfriado.


  • makasana/iStock

    Excesso de mofo

    Os umidificadores podem promover a formação de mofo em paredes e tetos, o que exacerba a asma e os sintomas alérgicos. Lave o umidificador regularmente com água quente e vinagre. Fique algum tempo em outro cômodo para abrir as janelas e ventilar o quarto onde foi feita a umidificação.


  • kieferpix/iStock

    Interação com antidepressivos

    Confusão mental, alucinações e agitação são sintomas que podem indicar um problema chamado síndrome da serotonina, que pode ser fatal e ocorrer quando quem toma antidepressivos usa também remédios para tosse e resfriado. Se você toma antidepressivos, consulte o médico antes de usar tais remédios.


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close