O nome ômega-3 cobre uma série de ácidos gravos. Três deles são especialmente importantes para a saúde: o ácido eicosapentaenoico (EPA), o ácido docosa-hexaenoico (DHA) – ambos encontrados nos peixes gordurosos – e o ácido alfalinolênico (ALA), encontrado em fontes vegetais. Esses ácidos graxos fazem parte da membrana de todas as células do nosso corpo. Eles controlam as substâncias que entram e saem da célula e o modo como as células e se comunicam entre si. As células com nível elevado de ômega-3 na membrana são mais fluidas e trabalham com mais eficácia. Quem tem uma alimentação rica nesses torna o seu organismo uma “máquina bem-lubrificada”.

O salmão é rico em ômega-3. Quer conhecê-lo mais a fundo? Ele mesmo pode se apresentar…

Os ácidos graxos ômega também modulam a produção de poderosas substâncias semelhantes a hormônios chamadas eicosanoides. As produzidas pelos ômega-3 são anti-inflamatórios e reduzem o risco de infarto. Caso este aconteça, é menor a probabilidade de ser fatal. Um estudo de sobreviventes de infartos fez uma importante descoberta. Quando tomavam diariamente uma cápsula com um grama (1 g) de ômega-3, o risco de morrer de doença cardíaca caía 25%. As gorduras ômega-3 também:

1. baixam os triglicerídeos do sangue (tipo de gordura armazenada associada ao aumento de coágulos)

2. reduzem o ritmo cardíaco anormal e a incidência de AVCs

3. retardam o acúmulo de placas que enrijecem as artérias e baixam a pressão arterial.

Mais benefícios do ômega-3

Outras pesquisas promissoras indicam que os ômega-3 podem ajudar a combater a depressão. Mas ainda é cedo para dizer que possam ser usados para tratar a depressão clínica ou o transtorno bipolar. Um estudo financiado pelos Institutos Nacionais da Saúde dos Estados Unidos busca verificar se o DHA pode retardar o avanço da doença de Alzheimer. E um estudo canadense preliminar com camundongos pode trazer pistas importantes na prevenção da doença de Parkinson.

Conheça a dieta mediterrânea.

Outras pesquisas preliminares constataram que aumentar a ingestão de ômega-3 na alimentação ou com suplementos é útil em pacientes que sofreram transplante de órgãos e reduz o risco de câncer de mama, cólon e próstata. Estão em andamento outros estudos sobre o efeito dos ômega-3 sobre asma, dismenorreia, eczema, lúpus, pré-eclâmpsia, síndrome nefrótica, esquizofrenia, prevenção de AVCs e colite ulcerativa. Mas sua eficácia nessas áreas ainda é desconhecida.

Fiquemos de olho nas próximas pesquisas e atualizações.

Aprenda dicas para preparar peixes deliciosos.