Quando você inala o que é estranho aos pulmões, como fumaça de cigarro, vírus, bactérias, poluentes e vapores químicos, os seus brônquios se rebelam, aumentando de tamanho e produzindo mais muco, numa tentativa de isolar os “intrusos”. Como resultado, você tosse, fica ofegante e sente cansaço. Um ocasional ataque viral ou bacteriano – ou exposição a muita fumaça ou poluentes – leva a uma bronquite aguda.

Os principais sintomas de bronquite são: tosse com muco amarelado, cinza ou verde; desconforto ou aperto no peito, sensação desconfortável ao respirar; infecções, calafrios e febre baixa; cansaço; chiado; dor de garganta; congestão nasal.

Principais estratégias de prevenção

1. Pare de fumar

O cigarro é responsável por 85% a 90% dos casos de bronquite crônica. Os especialistas afirmam que o cachimbo e o charuto também podem desencadear o processo. Uma das razões é que o pulmão dos fumantes produz mais muco, que reveste as paredes das vias respiratórias, transformando-as em uma superfície contínua e favorecendo assim o crescimento de bactérias e vírus.

Mas a boa notícia é que quando você para de fumar, a melhora é imediata. Para muitas pessoas, a tosse crônica, causada pela produção extra de muco, começa a ceder cerca de um mês depois de elas pararem de fumar.

2. Evite ser fumante passivo

Fumar irrita os tecidos do pulmão, facilitando a inflamação e aumentando as chances de se contrair uma infecção pulmonar. Uma pesquisa alemã mostrou que a exposição contínua à fumaça de cigarro no trabalho aumentava em 90% as chances de se desenvolver bronquite crônica. Portanto, a exposição diária – de pessoas que moram com um fumante – triplica os riscos.

Bronquite crônica? Use um expectorante regularmente!
Mucolíticos fluidificam o muco do pulmão, fazendo com que fique mais fácil expectorar, permitindo sua eliminação e uma respiração mais fácil. Os ingredientes ativos incluem guaifenesina (encontrada em dezenas de medicamentos, tanto líquidos como em comprimidos) e acetilcisteína.

3. Lave as mãos com frequência e leve álcool gel na bolsa

Lavar as mãos com água e sabão até cinco vezes por dia diminuiu em até 45% o número de infecções das vias respiratórias superiores entre recrutas da Marinha; segundo estudo realizado por dois anos pelo Centro de Pesquisas em Saúde da Marinha, em San Diego. Além disso, tenha sempre álcool gel na bolsa, no carro e na sacola de ginástica, para utilizar nas ocasiões em que você não tiver uma pia por perto. Pesquisas mostram que o álcool gel com 60% de álcool etílico pode matar quase todas as bactérias e vírus.

4. Tome vacina contra gripe anualmente

Bronquite aguda e crises de bronquite crônica muitas vezes são secundárias a uma gripe. Por isso, uma vacina anual contra gripe reduz o risco de bronquite. A mesma proteção pode ser obtida com o uso da vacina contra pneumococos. Se você tiver bronquite crônica, as suas possibilidades de contrair gripe ou pneumonia serão maiores, assim como serão maiores os riscos de você contrair doenças mais graves ou até mesmo o de falecer de doenças respiratórias.

Para diminuir o risco de sua bronquite piorar, siga os conselhos listados. Mas, se você tosse três meses a cada ano, por dois anos consecutivos, você já tem bronquite crônica. Nesse caso, consulte um médico.