Já pensou em fazer uma viagem depois que a pandemia de Covid-19 terminar?

Afinal, o que fazer depois da pandemia? Muitas pessoas pretendem festejar, reunir os amigos, rever familiares… E, claro, viajar!

O turismo foi um dos serviços mais afetados pela crise do coronavírus no Brasil. O setor é responsável por 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

De acordo com a Confederação Nacional de Comércio, Bens e Serviços (CNC), o setor já acumula perdas de R$ 87,7 bilhões desde o início da pandemia.

Mesmo com a grande queda, alguns destinos e pontos turísticos já voltaram a funcionar. Porém, em todos os casos e para evitar surpresas, as mesmas recomendações: público limitado, higienização, obrigatoriedade de máscaras e distanciamento social.

Para ajudar você a fazer a viagem dos sonhos no pós-pandemia (e pós-distanciamento, pós-máscaras…), selecionamos 10 destinos imperdíveis e fora do comum para você conhecer no Brasil!

Reprodução/tripadvisor

1 – Alter-do-Chão, PA

Para inaugurar a nossa lista, nada melhor do que um destino paradisíaco.

Alter-do-Chão, localizada no município de Santarém, no Pará, foi considerada a praia mais bonita do Brasil pelo jornal britânico The Guardian.

A vila possui lugares imperdíveis para visitar, como praia Ilha do Amor – um dos cartões postais da cidade – e o Lago Verde, que abriga a Floresta Encantada (quando o nível do rio Tapajós baixa, é possível encontrar praias de água doce, somente acessadas por barcos).

Para quem gosta de trilhas e ecopasseios, pode escalar a Serra da Piraoca.

A especialidade gastronômica da região são os peixes dos rios Tapajós e Amazonas, como pirarucu, tucunaré, tambaqui, filhote de Surubim, que feitos com temperos na brasa satisfazem todos os paladares.

O povo de Alter-do-Chão ainda possui forte ligação com os rituais da cultura de seus ancestrais.

Por isso, duas vezes por ano acontecem o “Festival Borari”, que enaltece as danças e gastronomia nativa; e o “Sairé”, uma festa que mistura a religiosidade cristã e as tradições indígenas.

As festividades acontecem em julho e setembro, respectivamente.


Reprodução/Trilhas e Aventuras

2 – Carrancas, MG

Carrancas é mais conhecida como a cidade das cachoeiras, com aproximadamente 70 cachoeiras catalogadas!

Dentre elas, algumas são inacessíveis por estarem localizadas em propriedades particulares e outras precisam de guias licenciados. As demais possuem livre acesso e são separadas por grupos ou “complexos”.

Os principais são: Complexo da Ponte, Complexo da Toca, Complexo da Fumaça, Complexo da Zilda, Serra do Moleque, Complexo do Grão Mogol e Complexo Vargem Grande.

A melhor forma de rodar por Carrancas é de carro, pois as cachoeiras ficam afastadas. Porém, existem empresas de turismo que realizam passeios.

Caso você também opte por ir de ônibus até a cidade, é necessário pegar um ônibus até Lavras, e depois outro até Carrancas.

Dica: leve dinheiro em espécie, pois na cidade não possui banco. Você só pode sacar dinheiro pela Casa Lotérica.


Reprodução/Wikipédia

3 – Piranhas, AL

Um destino que mistura história e natureza e é pouco conhecido se localiza na cidade de Piranhas, em Alagoas.

Charmosa, com casinhas coloridas e chão de paralelepípedo, em 2003, a cidade foi tombada pelo Iphan como Patrimônio Histórico Nacional.

A cidade foi base de acampamento para Lampião e sua trupe na época do cangaço. Por isso, não deixe de visitar o Museu do Cangaço, que possui alguns pertences e muito da história da época.

Também é possível fazer passeios como a Rota do Cangaço, e, na cidade vizinha, em Canindé de São Francisco (aproximadamente 15 km), conhecer o Cânion do Xingó, que surgiu após a construção da Usina Elétrica do Xingó a partir das águas do Rio São Francisco.

Ainda em Piranhas, vale a pena subir o Mirante Secular para vislumbrar a bela vista da cidade e assistir ao entardecer. Não deixe de conhecer stands de artesãos e cultura local no Centro de Arte e Cultura. Outro ponto interessante é a Igreja de Nossa Senhora da Saúde, inaugurada em 1855.

Apesar de alagoana, a melhor forma de se chegar a Carrancas é de carro saindo de Aracaju. O trajeto tem cerca de 220 km. Caso opte por ir de ônibus, também há opções saindo de Aracaju para Piranhas ou Canindé de São Francisco.

Dica: Se for de ônibus, é bom fazer uma reserva com algum taxista da região para levar aos passeios pois o transporte público não funciona bem.


Reprodução/CVC

4 – Jalapão, TO

Apelidada de deserto das águas, o cenário do Jalapão possui cachoeiras cristalinas, chapadões, dunas alaranjadas de quase 40 metros e piscinas naturais. Um verdadeiro paraíso para quem curte se aventurar na natureza!

Localizada no Tocantins, a região é um conjunto de cinco áreas de conservação, incluindo um parque estadual. Uma área maior do que os estados de Sergipe e Alagoas.

Não deixe de visitar a Cachoeira da Velha, localizada dentro do Parque estadual do Jalapão e a maior da região. Outra cachoeira imperdível é a Cachoeira do Formiga, que possui águas de cor azul-esverdeada.

Também é possível visitar um mirante na Serra do Espírito Santo, as dunas do Jalapão e ainda o Cânion Sussuapara! Ufa! Muitos passeios, hein?

A melhor época para visitar a região é na seca, no período de maio a setembro. Para chegar no local, o ideal é ir de 4×4. Algumas agências de turismo fazem o translado do aeroporto de Palmas. Além disso, não é indicado circular no Parque sem um guia.