Os animais, tanto quanto nós, precisam de uma alimentação saudável e equilibrada para se manterem fortes e viverem por mais tempo. A qualidade e a variedade dos alimentos para animais melhoraram e agora existem muitos produtos naturais no mercado, possibilitando que você alimente seus bichinhos com uma dieta mais livre de substâncias químicas e conservantes artificiais.

Escolha a dieta

É difícil escolher a dieta certa para seu animal. As rações preparadas comercialmente são convenientes, mas podem ser caras. Já os alimentos caseiros são mais baratos, porém exigem planejamento.

Assim, experimente oferecer a seu animal variedade, tanto pelo bem da saúde quanto para mantê-lo interessado. Se quiser mudar a dieta dele, é melhor introduzir novos alimentos aos poucos.

Observe a aparência, o comportamento e a saúde geral do seu animal. Esses são os melhores indicadores para ver se você está dando a seu bicho de estimação uma dieta equilibrada e saudável. Procure ajuda veterinária se não estiver certo de o animal estar recebendo os nutrientes de que precisa.

1. Alimentos crus

Muitos veterinários defendem uma dieta de alimentos crus. Existem vários motivos para isso.

  • Uma dieta mista de carne crua, ossos e legumes se aproxima mais da dieta ideal de seu animal.
  • Comer alimentos crus é bom para a saúde bucal do animal. Proporciona dentes e gengivas mais fortes, e ele terá menos probabilidade de ter mau hálito.
  • Os ossos crus são uma boa fonte de cálcio. Também fornecem pequenas quantidades de cartilagem, tutano e minerais, que são essenciais para ossos fortes e saudáveis.
  • Ossos cozidos não são bons para gatos. Eles podem quebrar, enfraquecer os dentes e até sufocar o animal. Além disso, reduzem o suprimento de cálcio, mineral essencial para os gatos.

2. Alimentos comerciais

Os animais podem se desenvolver bem com alimentos preparados comercialmente. O Sindirações, Sindicato da Indústria dos Alimentos para Animais do Brasil, tem normas para a fabricação e a comercialização das rações para animais de criação.

  • Escolha rações comerciais de boa qualidade em pet shops e supermercados. Embora elas possam custar mais, elas também são superiores às marcas mais econômicas.
  • As variedades de boa qualidade normalmente contêm fibra saudável. Os alimentos enlatados comerciais mais baratos contêm fibras fermentáveis, que podem causar flatulência, fezes mais volumosas e com mais odor.
  • Procure marcas comerciais que contenham antioxidantes, bem como suplementos balanceados de vitaminas e sais minerais. Essa informação costuma aparecer em destaque na embalagem do produto.

3. Comida caseira

Pode ser difícil avaliar se uma dieta caseira é mais barata do que uma preparação comercial. Por isso, a combinação de ambas é provavelmente a chave para um animal feliz e saudável.

13 dicas para deixar seu pet mais feliz

Assim, vale a pena complementar a dieta do animal com sobras e restos de comida, desde que esta não seja salgada ou gordurosa. É importante também levar em consideração a raça, a idade, o tamanho e o estilo de vida do seu animal. Para animais com problema de saúde, necessidades nutricionais especiais ou que tenha alergia a corantes ou conservantes, sempre opte pela alimentação caseira.

→ Variedade de legumes

Os antioxidantes, presentes em certos legumes, estão ausentes em muitos alimentos comerciais para animais. Eles neutralizam as moléculas tóxicas (radicais livres) que podem ser um fator determinante de várias doenças.

  • Adicione uma pequena quantidade de legumes crus à dieta de seu gato. Gatos alimentados só com carne têm mais probabilidade de sofrer de insuficiência renal na velhice.
  • Corte os legumes em fatias finas ou cozinhe ligeiramente para auxiliar a digestão. Isso imita a maneira como os legumes são comidos pelos cães e gatos na natureza – parcialmente digeridos pelo estômago de suas presas.
  • Sirva os legumes em pequenas porções para evitar flatulência.
  • Se preferir alimentar seu cão com uma dieta vegetariana, consulte o veterinário para que o animal receba todos os nutrientes de que precisa.

→ Compre bem

Procure cortes de carne ou ossos mais baratos no açougue e retire a parte mais gorda. Além disso, considere cortes de carne menos sofisticados, como vísceras. O fígado é particularmente bom. Contudo, evite fígado de carneiro para os cães, pois pode causar hidátide se vier de um carneiro infectado.

→ Orgânicos? 

Comprar alimentos certificados como “orgânicos” é a sua garantia de que foram produzidos sem o uso de substâncias químicas, pesticidas, hormônios ou antibióticos, e de que não são modificados geneticamente. Assim, comprar carne orgânica garante que ela vem de animais saudáveis. Alimentos rotulados como “naturais” são mais baratos que os orgânicos, mas os fabricantes podem fornecer poucas informações sobre a maneira como foram produzidos. Por isso, leia o rótulo cuidadosamente antes de comprar!