Em época de festividades, especialmente no Réveillon, muitos animais de estimação sofrem com o barulho desconhecido e ensurdecedor para seus ouvidos. As consequências passam por perda de controle do intestino e da bexiga, lesões autoinfligidas em resposta à ansiedade ou até mesmo convulsões.

Para proteger os seus animais de estimação, faça todo o possível. Listamos algumas dicas para preservar o bem-estar e segurança deles.

  • chendongshan/iStock

    1. Evite que seus animais de estimação tenham acesso à rua

    Não à toa, a expectativa de vida de um animal com acesso à rua é muito menor do que a de um criado dentro de casa. A esperteza deles não os tornam imunes a atropelamentos, envenenamentos, brigas, agressões ou contágios.

    Se a casa for preparada para impedir o acesso à rua, já eliminamos pelo menos duas das mais graves possíveis consequências do pânico de fogos: fugas e quedas de andares altos.

    Quando eles se assustam com barulhos altos e repentinos, disparam um alarme que os faz correr sem parar para pensar. Se isso acontecer com os seus animais de estimação, garanta que eles fiquem a salvo vedando qualquer saída e deixando seus portões fechados.

  • smrm1977/iStock

    2. Truque do pano (Tellington touch)

    A técnica do pano, desenvolvida pela canadense Linda Tellington-Jones, consiste em amarrar um tecido sobre o peito e o dorso do animal. Assim, o pano envolverá seu pet formando um oito.

    A leve pressão exercida pelo pano ativa o sistema nervoso autônomo, fazendo o pet sentir-se mais seguro. Também há no mercado produtos como camisetas e coletes antiestresse, criados a partir do Tellington touch.

    Veja abaixo como você pode aplicar a técnica facilmente em seus animais de estimação para protegê-los do estresse:

  • Wavetop/iStock

    3. Não tente conter seu animal com uma guia

    Um dono bem-intencionado pode achar que prender o animal com uma guia vai conter sua agitação, mas isso é perigoso: a ansiedade provoca movimentos frenéticos nos animais, e eles podem acabar se enforcando.

     

  • Thiede/iStock

    4. Tampões de ouvido

    Para proteger os seus animais de estimação, invista em um tampão de ouvido específico para eles. Alguns modelos podem ser encontrados em pet shops, e não custam muito caro.

    Evite colocar tufos de algodão, que podem sair facilmente e ainda serem engolidos. Se o seu pet não ficar incomodado, experimente amarrar um pano, como uma gaze, em volta da cabeça deles.

  • fcscafeine/iStock

    5. Prepare o ambiente

    Quando o barulho pode ser previsto, como por exemplo durante as festividades de ano-novo, o ideal é preparar o seu bichinho. Evite deixá-los em cômodos em que haja portas de vidro, para não correr o risco de eles se jogarem contra elas.

    Coloque ainda travesseiros e almofadas nas paredes, para evitar impactos, e cobertores nas janelas, para abafar o som. Forre possíveis tocas, como dentro do guarda-roupa ou embaixo da cama, com uma fronha ou cobertor. Se você é dona de gatos, também pode apoiar bebedouros e caixas de areia na parede ou num móvel firme, para que não sejam derrubados.

    Ventiladores e ar-condicionados também produzem sons reconfortantes, além de mitigar outra causa de estresse, em especial no final de ano no Brasil: o calor.

    Veja também: conheça 8 dicas para enfrentar o calor dentro de casa

    A comida deles não deve ser deixada à vontade. Forneça refeições em horários programados e priorize uma alimentação leve, com o intuito de prevenir distúrbios digestivos.

    Alguns animais, principalmente os cães, podem descontar sua ansiedade e medo uns nos outros. Por isso mantenha-os separados se não estiver em casa com eles ou não tiver condições de separar possíveis brigas.

  • OlgaMiltsova/iStock

    6. Florais e sedação

    Alguns calmantes florais, assim como para humanos, podem ser úteis para acalmar seus animais de estimação. Nos últimos anos, muitos donos de pets têm procurado o tratamento floral para aliviar o estresse e mantê-los mais calmos.

    O ideal é que o tratamento seja contínuo, e, se possível, acompanhado de um veterinário, que poderá indicar os mais adequados.

    Entretanto, alguns casos mais graves requerem um cuidado um pouco maior. Nesse sentido, a sedação pode ser uma opção para evitar possíveis problemas cardíacos. Mas atenção: este recurso deve ser sempre feito e supervisionado por um veterinário.

     

  • Dorottya_Mathe/iStock

    7. Adestre seu cão

    Além das opções de emergência, você e seu bichinho podem se preparar para as festas do próximo ano com um adestramento específico para trabalhar a ansiedade causada por sons altos.

    Essa opção é bem mais demorada, e requer dedicação. Procure um profissional em sua cidade e tenha em mente que o processo pode demorar, dependendo do animal. Além disso, a probabilidade de um animal mais jovem obter sucesso é maior do que um mais velho. Por isso, se você adotou um cãozinho recentemente, procure por essa opção a longo prazo se for possível.