Ter um armário cápsula é compreender que menos é mais. Essa nova maneira de organizar o guarda-roupas surgiu nos Estados Unidos com o objetivo de repensar o consumo de moda de forma mais consciente e sustentável.

Peças de roupa versáteis são a base de um armário cápsula. Bebendo na fonte do minimalismo, a ideia é reunir uma quantidade razoável de roupas que podem ser usadas por um período determinado de tempo.

Montando o seu armário cápsula

A blogueira norte-americana Caroline Rector foi a idealizadora do conceito de armário cápsula. De acordo com sua visão, é preciso olhar para o guarda-roupa com mais critério, ou seja, avaliar o que realmente você usa ou não, e saber usar o que já tem.

minimalismo
Imagem: I_rinka/iStock

A partir de então, o próximo passo é separar em torno de 37 peças, entre roupas e sapatos, que você possa usar em cada estação do ano, ou seja, por 3 meses. Portanto, elas devem ser fáceis de combinar e adequadas ao clima do momento.

Mas, trazendo para a nossa realidade, na qual as estações não são bem definidas, o desafio é maior, pois será preciso selecionar diversos tipos de peças. De vestidos a casacos, de sandálias a tênis.

Roupas íntimas, pijamas e roupas para exercícios não precisam estar nessa cota de 37 peças.

Tudo aquilo que não for útil deve ser guardado em caixas ou malas fora do armário; para serem usadas nas próximas estações. O importante é ter peças que te possibilite montar diversos looks para o dia a dia.

Principais vantagens

Todo esse processo é um exercício de desprendimento e autoconhecimento. Ao final, você aprenderá a ter mais peças curinga, entenderá o seu estilo e passará a comprar menos.

dicas de look
Imagem: AlenaMozhjer/iStock

Além disso, adotar o armário cápsula como estilo de vida pode te ajudar a:

  • Criar mais combinações com uma mesma peça. Provavelmente você deve ter uma saia que combine com uma blusa social e também com uma camiseta de malha. Será um grande estímulo à criatividade!
  • Conhecer o próprio corpo. O tempo passa e o nosso corpo muda. Por isso, é importante avaliar se vale a pena manter ou não uma determinada peça no armário.
  • Ter senso de custo-benefício. Nas próximas compras – que podem ser para usar na próxima estação – opte por peças de qualidade, que duram mais e sejam mais versáteis.
  • Economizar. Se antes toda vitrine era uma tentação, com a limitação de 37 peças por 3 meses os gastos diminuirão consideravelmente.
  • Fazer constantes doações. Durante a composição do armário cápsula a cada peça que entrar outras poderão sair, seja por não querer mais usar ou por não caber mais.

Essa técnica vale para homens e mulheres. Se o seu momento é o de repensar seus atos de consumo, começar pelo guarda-roupas pode ser uma boa ideia.

Por Thaís Garcez