Não há como não adorar a ciência moderna, sobretudo quando ela nos dá boas razões para saborear o chocolate amargo. Atualmente, sabe-se que o chocolate, o qual já foi considerado um “prazer pecaminoso”, contém os mesmos antioxidantes encontrados no vinho tinto e em muitas frutas e legumes associados à redução do risco de doenças cardíacas.

Além disso, é um ótimo antídoto contra ansiedade, estresse, hipertensão arterial e mau humor. Conheça todas as outras qualidades a seguir.

Benefícios do chocolate amargo

As sementes de cacau, usadas para a fabricação de licor e manteiga de cacau e cacau em pó, ingredientes presentes em produtos à base de chocolate, são excelentes fontes de flavonoides. Esses poderosos antioxidantes neutralizam os radicais livres que danificam as células e causam doenças. Além disso, contém mais partículas de cacau ricas em flavonoides que a versão ao leite. Se a sua ideia é comer o chocolate para fins medicinais, esqueça a versão doce: aposte no produto com pelo menos 60% de cacau. Quanto maior o teor de cacau, mais benefícios o chocolate traz.

Os flavonoides do chocolate aumentam os níveis de óxido nítrico no organismo. Esse gás faz os vasos sanguíneos relaxarem e se dilatarem, o que se traduz em melhora na circulação do sangue e na pressão arterial. O chocolate é composto de três tipos de gordura em quantidades aproximadamente iguais. Um é o ácido oleico, uma gordura benéfica para a saúde do coração também encontrada no azeite de oliva. Já as outras são os ácidos esteárico e palmítico, que são formas de gorduras saturadas. Ao contrário das gorduras saturadas que elevam os níveis do colesterol ruim (LDL), o ácido esteárico aparentemente tem efeito neutro sobre ele. Por outro lado, o ácido palmítico eleva os níveis de colesterol, mas representa apenas um terço das calorias de gordura no chocolate.

O que dizem os cientistas

O chocolate, presente clássico de Dia dos Namorados, também acalenta corações partidos. As mulheres são conhecidas por recorrer a ele para afogar as mágoas. Cientistas examinaram os efeitos do chocolate nos níveis do hormônio do estresse. Para isso, convocaram 30 pessoas para participar do estudo e testaram seus níveis de ansiedade. Constatou-se que, dessas 30 pessoas, 13 apresentavam alta ansiedade e 17, baixa.

Todas comeram 20 g de chocolate amargo duas vezes ao dia. Depois de duas semanas, eles examinaram amostras de sangue e urina coletadas dos participantes e descobriram que o chocolate diminuiu os níveis de hormônio do estresse de todos os voluntários. Porém, a queda nos níveis de ansiedade daqueles mais ansiosos foi maior que a dos que apresentavam níveis mais baixos.

O chocolate é rico em feniletilamina (PEA), um composto de ocorrência natural com efeitos semelhantes aos das anfetaminas e que pode desencadear enxaqueca em pessoas suscetíveis.

No que diz respeito ao coração: a Associação Americana do Coração resumiu anos de pesquisas sobre o chocolate numa matéria publicada em seu periódico. A conclusão? “O cacau de fato exerce efeitos cardiovasculares benéficos.” Segundo o artigo, o motivo para os benefícios do chocolate é a concentração de polifenóis, substâncias também encontradas em frutas e vegetais. Por fim, o consumo do chocolate amargo reduz inflamações, outro fator de risco para doenças cardíacas. Além disso, aumenta a sensibilidade à insulina, um fator importante no tratamento do diabetes do tipo 2.

Dicas para as compras

Prefira o chocolate amargo à versão ao leite. Aposte nos produtos com pelo menos 60% a 75% de cacau. Quanto maior o percentual de cacau, mais amargo será o chocolate, mas você ganha na quantidade de antioxidantes. Já o chocolate ao leite não produz os mesmos benefícios que a versão amarga. Ele contém leite, um ingrediente altamente saturado. O processamento industrial retira grande parte dos flavonoides do cacau e do xarope de chocolate. Portanto, o chocolate branco não contém cacau e não oferece nenhum benefício à saúde.

A questão das calorias

A quantidade de chocolate amargo usada em alguns estudos, 100 g, contém exorbitantes 550 calorias, que é um valor calórico considerável para se ingerir diariamente. Se você pretende saborear o chocolate todos os dias, limite-se a 40 g, que contêm 220 calorias. Mas certifique-se de cortar 220 calorias menos saudáveis de sua alimentação. Caso contrário, você corre o risco de engordar 10 kg em um ano. Para uma dieta equilibrada, consulte a nutricionista.