A internet encurtou caminhos e facilitou a comunicação entre pessoas do mundo inteiro, tudo em um ambiente descontraído e informal. Cometer erros de português, de certa forma, ficou mais fácil na rede, e isso é um perigo caso você esteja procurando um emprego, por exemplo – muitas empresas pesquisam os perfis de candidatos na internet.

Por esse motivo, saber os principais erros cometidos na rede é essencial. Mas lembre-se: nem sempre é necessário escrever formalmente, apenas tenha bom senso! Confira os 5 principais erros de português que ocorrem na internet:

1. “De encontro a” ou “ao encontro de”

Muita gente confunde essas duas expressões, usando a primeira quando, na verdade, quer expressar o sentido da segunda. Veja o exemplo:

“Esta promoção que recebi no trabalho veio de encontro às minhas necessidades!” – Errado! O que o falante quer dizer é que a promoção foi favorável a ele, ou seja, veio ao encontro das necessidades dele!

A expressão De encontro a designa algo que se opõe, se choca com outra. Veja o exemplo:

“A demissão veio de encontro à expectativa que eu tinha de comprar um carro.” – Certo! A demissão se opôs à expectativa que ele tinha de comprar um carro.

Simplificando:
de encontro a = ir contra
ao encontro de = ser a favor

2. “Há” ou “a”

Essa dificuldade na hora de usar um dos dois é clássica! Muita gente confunde. Mas, uma vez que você aprenda, não vai mais esquecer:

“Eu me casei a cinco anos.” – Errado! O correto é “Eu me casei há cinco anos”! Pois é o verbo haver que indica passado, não a preposição a. Por sua vez, se a frase se referir a um acontecimento futuro, é o “a” que deve ser empregado:

“Vou me casar daqui a cinco meses!” – Certo! “A” exprime tempo futuro.

Simplificando:
há = exprime passado
a = exprime futuro

Dica extra: O uso do  dispensa o uso do atrás. Veja:
“Isso aconteceu há muito tempo atrás.” – Errado! A ideia de passado já foi expressa no uso do Há, portanto, o uso do atrás é redundante. Basta dizer: “Isso aconteceu há muito tempo.”

3. “Faz” ou “Fazem”

Ainda falando sobre verbos, o uso equivocado do verbo fazer no plural quando este é impessoal volta e meia aparece em posts. Veja:

“Fazem dez anos desde que ele se foi.” – Errado! O verbo não concorda com “dez anos” porque dez anos não é o sujeito da frase. Veja:

“Faz dez anos desde que ele se foi.” – Certo! O correto é o uso do verbo no singular porque, neste caso, “fazer” é impessoal, ou seja, não tem sujeito.

4. “Assistir” ou “Assistir a”

Este erro está quase consagrado. Na língua falada é quase aceitável, mas na escrita não pode! Veja:

“Hoje vou assistir o último capítulo da novela das oito no restaurante com meus amigos.” – Errado! “Assistir” sem preposição significa ajudar, cuidar. “Assistir” no sentido de ver deve ser usado com a preposição a obrigatoriamente:

“Hoje vou assistir ao último capítulo da novela das oito.” – Certo!

Um uso correto do verbo assistir sem preposição seria: “Hoje assisti meu avô, que está doente no hospital.”

5. “Mal” ou “mau”

Estas duas palavras existem no português e é comum fazer confusão na hora de escrevê-las. Mas atenção pois elas possuem significados diferentes.

“Comemos muito mau durante a viagem.” – Errado! “Mau” é o oposto de bom, enquanto “mal” é o oposto de bem. Sendo assim, a forma mais fácil de não errar mais o uso dessas palavras é trocá-las pelos seus antônimos.

“Você está sendo mau!”  (antônimo: sendo bom)

“Estou me sentindo mal!” (antônimo: sentindo bem)

6. “Agente” ou a gente”

As duas formas estão corretas e existem na língua portuguesa. Contudo, seus significados são diferentes e, por isso, devem ser usadas em situações diferentes.

“Agente vai ali e já volta.”– Errado! A palavra “agente” é um substantivo e designa que ou quem atua ou opera em algo: agente sanitário, agente da polícia federal, agentes climáticos; confira o exemplo:

“James Bond é o agente secreto mais famoso do cinema.” – Certo!

“O agente da federal prendeu mais um hoje.” – Certo!

A expressão “a gente” é uma locução pronominal formada pelo artigo a e o substantivo gente. Essa locução se refere a um conjunto de pessoas, à população, humanidade, povo. Confira os exemplos:

“Por que você não vem com a gente ao cinema?” – Certo!

“Toda a gente daquela região sabe que ele não presta.”– Certo!

É importante atentar-se que embora a locução pronominal “a gente” expresse ideia de pluralidade, ela é gramaticalmente equivalente ao pronome pessoal reto ela, devendo assim o verbo ser conjugado na terceira pessoa do singular. Confira o exemplo:

“A gente é muito feliz.” – Certo!

“A gente somos muito feliz.” – Errado!

7. “Acerca de” ou “cerca de”

Embora não tão comum este erro de português, de vez em quando, surge em algumas redações.

“Eu quero saber tudo o que você sabe a cerca desse assunto.” – Errado! “Cerca de” pode significar tanto “perto de”, quanto “mais ou menos”. Enquanto “acerca de” é o mesmo que “sobre” ou “a respeito de”.

“Esta cidade fica a cerca de 5 Km daqui.” – Certo!

“Preciso falar com você acerca de um problema pessoal.” – Certo!

8. Emprego dos verbos no infinitivo

Outro erro muito recorrente é a confusão que algumas pessoas vêm fazendo na hora de empregar o verbo no infinitivo na escrita (justamente pelo fato de a gente não pronunciar o “r” no final em verbos como dar, estar, ficar etc.). Veja o exemplo:

“Você vai está no escritório hoje?” – Errado! Trata-se aqui de uma locução verbal composta pelo verbo auxiliar e o verbo abundante no infinitivo. Portanto: “Você vai estar no escritório hoje?” – Certo! 

Outro exemplo:

“Você deveria dá o dinheiro a ele.” – Errado! Aqui também se deve empregar o infinitivo, pois o verbo “dar” não está sendo conjugado. Veja: “Você deveria dar o dinheiro a ele.” – Certo!