Corticoides ajudam a reduzir a mortalidade por Covid-19, diz estudo





Cientistas da Universidade de Oxford já haviam apontado em um estudo publicado em junho que um corticosteroide barato, a dexametasona, poderia auxiliar na redução da taxa de mortalidade por coronavírus.

Um novo estudo, dessa vez publicado na revista científica Journal of American Medical Association, comprovou que o uso de medicamentos corticoides reduz a letalidade da Covid-19 em pacientes graves. Essa descoberta abre um novo caminho para tratamento da doença.

O estudo publicado contou com dados de 12 países – incluindo o Brasil. No total, mais de 1.700 pacientes participaram das pesquisas, e três medicamentos foram usados: dexametasona, hidrocortisona e metilprednisolona.

(Imagem: Gustavo Fring/Pexels)

Segundo a pesquisa mais recente, os corticosteroides testados foram capazes de reduzir até 20% o número de óbitos – valor significativo do ponto de vista estatístico. Em contrapartida, 41,5% dos integrantes do grupo de controle, isto é, que usou placebo, veio à óbito.

Leia também: Vulnerabilidade social e mortes por Covid-19: uma íntima relação

No Brasil, conduziram o estudo chamado Coalizão III com cerca de 299 pacientes graves e intubados, 60% do sexo masculino. Como resultado, a dexametasona reduziu em média dois dias o tempo na ventilação mecânica

ss

Como os corticoides funcionam?

Os corticosteroides não combatem o vírus, mas reduzem a inflamação provocada pela doença – especialmente no pulmão. Dessa maneira, permitem que os pacientes continuem absorvendo o oxigênio na UTI.

Conforme a Covid-19 se agrava, o organismo entra em choque contra si mesmo e passa a destruir também os tecidos saudáveis. Os corticosteroides agem como anti-inflamatórios e imunossupressores, inibindo a ação do sistema imunológico nesses pacientes.

(Imagem: Pixabay/Pexels)

Entre os esteroides pesquisados, o desempenho da hidrocortisona em pacientes foi similar ao da dexametasona, com redução de mais de 30% do número de mortes. Por outro lado, a metilprednisolona diminuiu em apenas 9% a mortalidade.

Efeitos colaterais

O medicamento dexametasona é uma opção apenas para pacientes com casos severos de Covid-19 internados em UTI. Salvo o uso supervisionado por indicação médica, sua utilização pode trazer risco a outros pacientes.

Apesar do uso de corticoides comprovadamente auxiliar a redução da mortalidade de paciente graves da Covid-19, seu uso por pacientes leves pode levar à óbito.

“Isto não é para casos leves nem para prevenir a doença. Na verdade, esteroides, principalmente esteroides poderosos, podem estar associados com a replicação de vírus, ou seja, eles podem facilitar a divisão e a replicação dos vírus no corpo. Por isso é excepcionalmente importante que esse medicamento seja reservado para casos severos”, afirma o diretor-executivo da OMS (Organização Mundial da Saúde), Michael Ryan

(Imagem: Julie Viken/Pexels)

Entre alguns dos efeitos colaterais estão o aumento da glicose, fraqueza muscular e o aumento na pressão arterial.

Atenção:
Os corticoesteroides não são indicados para casos leves nem para prevenir a doença. Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico.

Leia também: Ivermectina e nitazoxanida não terão mais retenção de receita

coronavíruscorticóidesCovid-19dexametasona