O primeiro caso do novo coronavírus no Brasil foi confirmado na última quarta-feira (26), mas o uso de inteligência artificial (IA) para auxiliar no combate ao Covid-19 já evolui rapidamente ao redor do mundo. Com base em conceitos como o de aprendizado de máquina, cientistas estudam soluções para todas as etapas da doença – desde a prevenção até o tratamento.

E, apesar do grande incentivo para adoção de boas práticas de higienização que vem sido feito à população, é na pesquisa e no desenvolvimento de vacinas e medicamentos que a comunidade médica se mantém atenta – de onde devem sair as soluções mais eficazes em termos de saúde pública.

Leia também: Em perguntas e respostas, tudo o que se sabe até agora sobre o coronavírus

Inteligência Artificial e Diagnóstico

Na China, pesquisadores da Universidade de Wuhan trabalham com um programa baseado em IA para detectar possíveis infecções causadas pelo novo coronavírus e acelerar o processo de triagem e diagnóstico para pacientes com suspeita da doença.

O processo funciona por meio de um algoritmo que atua junto a exames de tomografia computadorizada: por meio das imagens, o software é capaz de identificar sinais de pneumonia relacionada ao vírus.

Imagem: ipopba/iStock

Um time de cientistas de diversas nacionalidades também acompanham informações em redes sociais e em demais canais na web para identificar dados que possam indicar ocorrências do Covid-19 em outros países. O estudo é feito por meio de aprendizado de máquina, com programas capazes de minerar dados em plataformas de mídias sociais, reportagens e canais oficiais de saúde pública.

O software é capaz de rastrear posts de indivíduos reportando sintomas passíveis de associação com o vírus. Em seguida, por meio de recursos de geolocalização, é possível fazer o cruzamento desses dados com informações oficiais de áreas com casos suspeitos para monitorar surtos de forma mais rápida. Os cientistas usam processamento de linguagem natural para distinguir quando um usuário está apenas discutindo sobre a doença ou, de fato, reportando sintomas.

Imagem: gorodenkoff/iStock

Prevenção e tratamento

No que diz respeito a soluções para tratamento do Covid-19, o caso mais recente, em destaque na comunidade científica, é o da empresa Insilico Medicine que está utilizando a inteligência artificial para identificar moléculas com ação inibitória do vírus.

Cabe ressaltar, porém, que os medicamentos passam por diversos testes em laboratório até serem considerados seguros para o teste em humanos – chamada de “pré-clínica”, essa fase da pesquisa pode demorar anos, em determinados casos. Contudo, espera-se que o processo seja acelerado para testes em pessoas dentro do próximo ano, devido à urgência da situação.

Para o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, Anthony Fauci, a única maneira certeira de parar uma epidemia de coronavírus é a vacinação. Por isso, pesquisadores estão correndo contra o tempo.

A previsão é de que a primeira vacina contra o Covid-19 seja testada em humanos no mês de abril, o que já é um recorde para a ciência.

Quer saber mais sobre o coronavírus e como se proteger dele? Ouça o que tem a dizer a Drª. Débora Otero, infectologista.

Ana Marques
Ana Marques
Jornalista formada pela UFRJ, Ana é entusiasta de tecnologia, dos dispositivos móveis e da inteligência artificial, mas também defensora das relações humanas e das conexões feitas por meio de encontros. Sua relação com a cobertura tecnológica teve início em 2016, no TechTudo, ainda como estagiária. Em 2018, passou a integrar a equipe de Conteúdo do comparador Zoom.com.br, onde foi editora de Mobile (Celulares, Tablets e Wearables) & Eletrônicos até agosto de 2020. Atualmente é autora no Tecnoblog.